"NÃO SOU FEMINISTA, SOU ANTROPOLOGICAMENTE LÚCIDA" Ana Hatherly

quinta-feira, julho 23, 2015

A velha ordem e a nova ordem... mundial



"A ABENÇOADA RAIVA"

Precisamos "sobreviver na selva patriarcal New Age" (L. Frazão)

É tempo de as mulheres expressarem a sua raiva ou a sua cólera, com CONSCIÊNCIA de si porque isso as liberta...
Hoje mais do que nunca, face a esta agressão milenar, fosse a de há seculos na escravatura que ainda perdura, fosse na posse absoluta do homem pelo casamento, seja do pai por lei,  seja hoje a opressão psicológica económica ou social em que ela continua sujeita e é (continua) prisioneira do sistema -  isto é obviamente uma Guerra antiga contra as mulheres (e não das mulheres contra os homens, não invertam a ordem das coisas)  - devemos reagir com todas as forças do nosso ser. A agressão às mulheres desde sempre, o domínio patriarcal do controlo do útero da mulher, dos seus filhos, da sua vida e do seu sexo, permanecem e agrava-se de formas dissimuladas e subtis na cultura e na politica-policial e na sociedade em que vivemos hoje e que julgamos muito "evoluída".

A tentativa de controlo da Mulher pelo útero voltou ao Parlamento português pela mão da direita reacionária para anular uma lei que há 5 anos libertou a mulher da perseguição policial pelo aborto...sendo duplamente condenada pelos homens e pelas  mulheres vis e mesquinhas que em nome da "vida" se traem e mentem e continuam a obedecer-lhes como animais de estimação, as procriadoras de serviço ...obedientes ao pai e ao seu deus misógino, temerosas do senhor todo poderoso.

A repressão da mulher e da sua verdadeira expressão como ser mantem-se de todas as maneiras e os homens continuam a querer influenciar e dominar de todas as formas a sua vida - sem esse domínio da mulher sem esse imaginário de poder e controlo da mulher as suas vidas perdem todo o sentido porque eles são vazios...não criam nada, não dão nada...só tiram, só exploram e só matam, tanto a mulher como a natureza mãe...eles são os predadores que pelas armas e pela força dominaram planeta e continuam a querer dominar porque são incapazes de dar vida como as mulheres...a inveja e o ódio da mãe caracteriza as sociedades patriarcais, e por essa razão o Homem  agride, viola e mata a mulher como seu principal inimigo em todas as guerras e revoluções...viola-a como posse do seu inimigo...como mãe do seu inimigo...como filha do seu inimigo... 

ISTO NÓS NÃO PODEMOS ESQUECER NEM BRANQUEAR...

Portanto, quando adquirido, é  muito importante que se não perca o sentido do nosso poder interior, dessa força  que nos torna coesas, do nosso fogo interior, da nossa expressão própria que é a da nossa dignidade como mulheres e não só, mas sobretudo a nossa completude como mulheres,  que é essencialmente vivido na expressão dos nossos sentimentos e emoções  e que quando as coisas não correspondem à nossa verdade profunda não as podemos calar.
 
Não é agora em nome da "paz interior" ou do "amor ou do respeito" do “outro” ou de um suposto caminho (deus ou mestre ou das estrelas) que devemos abdicar do que sentimos e do respeito que devemos ter por nós mesmas e pela nossa intuição!

Acho igualmente que muitas das teorias do “ser positivo” agora e o olhar só “o lado bom das coisas” também pode ser  e é uma armadilha a fim de não olharmos o lado que precisamos de facto olhar, ir mais fundo e conhecermo-nos a nós mesmas, pela maneira preconceituosa como nos negamos a encarar a nossa sombra e a dos outros.

Ora a sombra é indispensável para integrar os aspectos opostos da dualidade. E não é omitindo a sombra nem o dito "lado negativo" em nós, não a querendo ver ou ignorando-o,  que saímos da dualidade humana que faz parte da manifestação neste plano, e entramos no caminho do uno, com fizeram durantes séculos os cristãos, sempre em oposição e antagonismo entre o bem e o mal sem nunca discernir que ambas os aspectos estão e são uma manifestação da vida em cada indivíduo, homem ou mulher, e condenando e culpando a mulher do mal...por lhe ter dado a comer a maça da árvore do Conhecimento...
O que eu acho é que também para além desta religião e cultura contra a mulher e a necessidade de anular ou de a dominar,  muitas das novas teorias, terapias e canalizações nos incitam a uma aceitação e apatia ou mesmo a uma alienação idêntica à das velhas religiões. E poucas dúvidas me restam que pertencem a uma manobra do patriarcado - nova ordem mundial - para nos tolher de novo e são mais uma ameaça disfarçada á verdadeira liberdade da Mulher. 
É importante perceber que muitos ou quase todos os conceitos "Nova Era" são os mesmos preconceitos religiosos de sempre disfarçados de novos, em que vemos como realmente o ser humano se vê obrigado a manter uma atitude passiva e humilde de não ser nada e não ousa dizer o que pensa ou sente, por medo do castigo e do pecado... Antes era o medo de não ir para o céu...agora é o medo de não ascender... ou o medo de não ser "a mulher ideal" - do homem, do marido ou do mestre ou do partido etc.
As mulheres não precisam de chefes nem mentores...não precisam de guias nem de facilitadores - elas têm tudo o que precisam para SER potencialmente sem necessidade de recorrer a ninguém...Esse é o potencial das mulheres, para além de serem as Mães e as Amantes...e MULHERES PLENAS!
 
RLP  


NOTA MARGEM:

Não, definitivamente eu não tenho nada contra os homens em si, de per se...mas do seu Sistema e da sua opressão como representantes da ordem vigente. Nada de pessoal...nem de particular. Esta é a História dos homens e não a podemos ignorar. Cabe aos homens tomar consciência do que fizeram e mudar a sua atitude e contribuir para a mudança a começar por eles...não a querer ajudar as mulheres...
Basta que mudem por si...e para si...que se conheçam e queiram estar do lado da Natureza  Mãe Terra onde nasceram e encarnaram e amarem a Mulher que lhes deu vida a cada um deles...

4 comentários:

Noctur Spectrus disse...

Pelo que eu li dos seus textos, você está criticando uma sociedade que oprime a mulher. Se isso está ocorrendo no lugar onde você vive, dou total apoio à luta pelas mulheres. Mas quero te dizer que muitos homens já tomaram consciência disso e aos poucos esses pensamentos machistas estão sendo superados. No Brasil, houve uma grande lutadora a favor das mulheres, Maria da Penha. Graças à ela existem hoje leis que defendem as mulheres de agressões físicas no ambiente de convívio. Hoje a mulher já tem direito ao voto em dezenas de países que antes a impediam de participar politicamente das decisões do país. Hoje as mulheres podem ocupar cargos de trabalho que antes não podiam. Eu não tenho como afirmar isso sobre todos os países, mas uma imensa parte deles já está tomando consciência acerca do valor da mulher. Eu espero que um dia, essa barreira seja superada, mas não somente para as mulheres, como também para os homossexuais e todos os outros grupos que ainda hoje, sofrem por preconceito. Se você quiser, pode pesquisar sobre Maria da Penha, eu acho que gostará de conhecer a história dela, caso ainda não conheça.

Alma Morta

rosaleonor disse...

Olhe...apesar de ter muita consideração pelos meus leitores...e goste de respeitar as ideias alheias - não lhe vou responder mais quando percebo que não quer ver nem entender do que eu falo. Eu vivo num Pais europeu que tem as leis mais avançadas no papel...mas a realidade deste País que é pequeno comparado com o seu...é igual na prática e na cultura das massas do que fazem com as mulheres...ou ignora o que fizeram com esses colantes em carros com a Presidente do vosso pais a ser violada? - a maria pena? para os homens é nada porque eles continuam a tratar as mulheres como querem e o inconsciente colectivo é o mesmo de há um século etc.
Por outro lado fala em dar a cara? não ser anónimo? Oh alma morta - vá bater aquela porta - digo (a brincar com as palavras - vá bater a outra porta. Você é um anónimo como um pseudónimo pouco vivo...enfim, gostava de ser mais simpática mas não consigo - mas não tenho raiva de si...não é meu problema isso...

Noctur Spectrus disse...

Tentei apenas te lembrar sobre Maria da Penha. Eu sei que hoje as mulheres sofrem sim por conta do machismo. Mas em comparação com os tempos passados, houve sim um certo avanço. Eu reconheço que muito caminho deve ser percorrido ainda.

Anónimo disse...

No Brasil da Lei Maria da Penha, homens brasileiros matam 15 mulheres por dia, a cada 15 segundos uma mulher é agredida e ano passado 50.000 mulheres foram estupradas; os homens brasileiros estupraram mais mulheres do que cometeram assassinatos. Eu sou brasileira e sei que vivo num dos países mais machistas e misóginos do planeta.

Não percebo nenhuma mudança no comportamento machista dos homens brasileiros, infelizmente.