"NÃO SOU FEMINISTA, SOU ANTROPOLOGICAMENTE LÚCIDA" Ana Hatherly

sexta-feira, setembro 25, 2015

UMA DITADURA MUNDIAL...

"Papa Francisco diz que é necessário um líder mundial para salvar a humanidade"
Portal...


"AS lideranças musculadas"

"A guerra é a coisa mais desprezível que existe.
Preferia deixar-me assassinar a participar nessa ignomínia."
Albert Einstein


CLARIFICANDO

Para algumas pessoas que me leem, sem me conhecer, já passei aqui de certeza por Conservadora, reacionária, racista e xenófaba...à escolha...

Contudo, prezo-me por ser uma pessoa humana e consciente, embora não "solidária", nem "caridosa", nem "crente" de nada, mas apenas HUMANA - o que faz de mim uma pessoa lucida, integra e com discernimento - e porque nunca estive do lado de nenhuma injustiça em 70 anos de vida, nem de nenhuma acção contra natura...fosse contra outros seres humanos ou animais; nunca na minha vida ergui um dedo para ferir ou magoar quem quer que fosse à minha frente - embora  quando escrevo possa ser dura e crua nas minhas observações, a maior parte das vezes digo apenas aquilo que SINTO. E o que sinto neste momento é um grande perigo...

Tenho neste momento uma percepção muito forte e uma INTUIÇÃO  profunda de um perigo iminente para o mundo, de uma ditadura mundial, mas maior ainda vejo o perigo PARA TODAS AS MULHERES, que serão amplamente esmagadas na sua tentativa de liberdade e postas ao serviço das Mafias como prostitutas e da reprodução ao serviço do Estado cujos lideres hoje já expressam bem essa linguagem de mais valia associando o seu discurso sobre as mulheres ao crescimento das populações e da economia, mas de que toda a gente à minha volta parece alheia ou estar cega...numa espécie de alienação patológica, demencial, como que engolidas por um Vórtice de "amor-ódio" a quem quer que seja, menos à sua obsessiva ideia do "bem" (mal) com que se matam e deixam matar.

rlp

NÃO ESQUEÇAMOS QUE:

"Seja em nome da defesa nacional, como nos EUA e na URSS, ou do santo nome de Deus, como no mundo muçulmano, a guerra e a preparação para a guerra servem para reforçar não apenas a dominância e violência masculinas, como o ilustram tanto a Alemanha de Hitler como a Rússia de Estaline, mas igualmente a terceira componente fundamental do sistema, o autoritarismo. Os tempos de guerra fornecem a justificação para lideranças "musculadas".


in O CÁLICE E A ESPADA de Riane Eisler - 19987/1995

1 comentário:

Krauser disse...

- Ora ! Todo aquele que conhece a palavra de Deus sabe que um governo mundial será instaurado; e também é sabido que esse tal governo trará a desgraça sobre a humanidade.