quinta-feira, outubro 15, 2015

A CABEÇA E O CORAÇÃO...



ONTEM COMO HOJE, O MESMO ERRO (de Descartes?)...

«Primitivamente, a cabeça devia ser regida pelo coração; ela só devia servir para engrandecê-lo. Hoje a cabeça do homem reina sobre o seu cor...ação, quando é ao coração que o ceptro deveria pertencer; vale dizer que o amor é superior à ciência, dado que a ciência deve ser apenas o archote do amor e que esse archote é inferior àquele que ele ilumina.»* *Louis-Claude de Saint-Martin


- Grandes místicos e grandes filósofos colocaram a mão na ferida desta humanidade dividida, mas nenhum viu ou quis ver que o coração faz parte da realidade expressa pelo lado feminino da humanidade que acorrentado e subalterno na mulher, e tendo o homem reduzido a humanidade a uma metade, activa e racional, dando-lhe primazia absoluta no seu mundo de razão poder e força, perdeu ele também essa metade instintiva e emocional (o amor) que corresponde à sua parte feminina e de que a Mulher, que ele suprimiu do seu vocabulário e da sua história, é o expoente máximo.
Eles continuam a não querer ver que não é elegendo uma Deusa Mãe imaculada nos altares a quem reza, mas elevando a Mulher real à sua dignidade que ele vai encontrar o equilíbrio do mundo. Se o Homem representa a "cabeça" a Mulher representa o "coração" nesta Humanidade e isso foi ignorado quase sempre pelas Tradições esotéricas e mesmo por grandes Mestres, mas só elevando os dois às mesmas alturas, unindo a Terra e o Céu o SER HUMANO poderá recuperar a sua verdadeira estatura de humano e para o qual foi criado!
Os homens e as mulheres continuam a escamotear verdades fundamentais como o facto do desequilíbrio do mundo derivar da falta do princípio feminino e do seu justo valor não ser efectivamente atribuído à Mulher e à Mãe. Em quase todo o mundo e em todos os países, uns mais do que outros, existe uma óbvia discriminação do ser mulher...e a negação dos valores que ela representa.
Ninguém quer ver que essa descriminação começa e é feita entre nós na própria linguagem, na omissão da mulher nos discursos, sempre no masculino, na falta de entendimento de que sem a emoção-coração - o polo que a mulher representa - e nela está a origem dos grandes dramas no Planeta?
rlp

republicando

Sem comentários: