"NÃO SOU FEMINISTA, SOU ANTROPOLOGICAMENTE LÚCIDA" Ana Hatherly

quinta-feira, outubro 15, 2015

CHEGOU A HORA...



OS ÚLTIMOS 5 MIL ANOS...

(...)
"Durante este período de mudança, será necessário que as mulheres desatem o "nó da garganta" e se permitam falar. Chegou a hora. Para os homens, o desafio consiste em com­preender as mulheres e sentir. Devem deixar que o sentimento entre na expressão da vossa sexualidade e dos vossos relacio­namentos. Muitos homens estão atravessando um período de grande dificuldade em relação às mulheres. É verdade. O que estamos sugerindo à vi...bração masculina - e isso vale também para as mulheres, quando operam seu aspecto masculino - é que deixem o sentimento entrar na área da sexua­lidade. Sintam a amplitude da emoção e não apenas a sexuali­dade física, o estímulo localizado.
Existe um estímulo emocio­nal que necessita de um compromisso emocional e de uma confiança emocional. No campo electromagnético, este estímu­lo emocional vai abrir uma frequência dentro de vocês. Esta frequência, que a sexualidade representa, é um remanescente da vossa divindade. Os homens fecharam o seu centro do sentimento para serem os comandantes do planeta. Foram capazes de guerrear, matar e dominar o planeta por terem fechado este chakra do sentimento. E as mulheres concordaram em fechar o chakra da laringe, o centro da fala, para que os homens tivessem a oportunidade de comandar o sistema.
Tudo isso agora está chegando a um ponto de equilíbrio, de estabilização, de equalização. As mulheres começaram a abrir sua garganta há cerca de trinta anos, passando a ter a oportunidade de falar sempre. O problema é que muitas mulheres acabaram fechando o centro do sentimento ao abrirem o da fala. Começaram a parecer homens. É necessário equi­líbrio. A mulher agora está sentindo a necessidade de despertar o princípio feminino dentro dela. Vive num corpo feminino e controla o uso da vibração masculina no seu interior.
Saiu para o mundo, sente-se poderosa. Pode andar pelas ruas sem um véu a esconder-lhe o rosto e decidir se deseja, ou não, se casar. É dona de si. É responsável por suas próprias decisões. Está começando a se tornar mais suave, despertando seu lado fe­minino que a nutre e vitaliza. Ao se tornar inteira, com suas porções masculina e feminina, e se permitir vivenciar o DNA evoluído, ela transmite uma frequência. E esta será a frequência predominante no planeta. É inevitável que os homens abram o centro do sentimento. É o próximo passo que precisam dar para estabelecer o equilíbrio com as mulheres. Isto vai acontecer muito depressa para os homens."
(...)
In Mensageiros do Amanhecer – Barbara Marciniake

Sem comentários: