quinta-feira, novembro 05, 2015

AS CANALIZAÇÕES E...

A FALSA ASCENÇÃO

Vou introduzir-vos a um excerto de uma canalização onde se lê o que a seguir transcrevo e onde a autora faz afirmações altamente erróneas do meu ponto de vista e que induz a um erro comum gravíssimo, o mesmo que circula nestas abordagens, como sendo a visão new age e patriarcal da questão do feminino e do masculino sagrado e que corrobora de forma enviusada afinal de contas o branqueamento da mulher cindida - da mulher dividida, muito longe da mulher INTEGRAL e da mulher como iniciadora!

Essa visão "cósmica" do mundo, totalmente virada par o Céu e outras dimensões, é demasiado superficial e redutora de uma realidade concreta  na Terra e do que efectivamente se passa neste momento em que é urgente a integralidade do principio feminino e não do masculino, este demasiado activado e saturado por séculos de exercício da razão, de violência e guerra.
O mais grave nisto tudo  é que o que estas canalizações propagam em geral é ideias e conceitos e abstracções em nome do amor e do divino, como uma forma de alienação, completamente alheadas do plano da Terra e de Gaia e tem  no fundo o propósito de, mais uma vez, afastar as mulheres do seu potencial; sim, creio que é isso mesmo que elas pretendem, para que o poder exclusivo dos homens e a submissão (apagamento) das mulheres continue, desviando as mulheres da sua essência e trabalho interior de consciencialização do seu poder na manifestação e como responsáveis pela encarnação!

Leiam o que ela afirma:
(...)
"Primeiro, houve uma sociedade Matriarcal, onde o Feminino era visto como onipotente, e as mulheres estavam no controle das estruturas sociais e do poder. Esta foi substituída pelas estruturas Patriarcais, onde o Masculino se tornou dominante e assumiu o controle da sociedade. Em ambos os casos, havia uma falta de equilíbrio, e um domínio de um pelo outro." Célia fenn

Ora isto é absolutamente FALSO, PORQUE o verdadeiro matriarcado, centrado na Mater como Matriz de uma sociedade se caracteriza pela distribuição igual de bens, a civilização do CÁLICE, e que era inicialmente e por NATUREZA inerente à Mulher, uma sociedade equilibrada e equitativa, como o é o Principio feminino - hemisfério direito - e portanto esta é a visão que o patriarcado quer dar do matriarcado, tão brutal e cruel como o da Espada....

Depois ela diz:

"Nenhuma destas formas era equilibrada e como tal, não refletia o fluxo da Luz Divina e os Códigos de Luz do Coração Cósmico.
Na Nova Terra, estas Forças Divinas de Deus, conhecidas como o Masculino e o Feminino serão mantidas em absoluto equilíbrio em uma Sociedade da Quinta Dimensão. Não haverá domínio de ninguém por ninguém, e não haverá estruturas sociais que enfraquecerão grandes grupos de pessoas."


- Tudo isto é muito bonito, mas do texto em geral surge a ideia comum que aponta a realização da mulher para a sua união com a energia masculina como complemento e realização de si (e vice-versa), tal como a ideia superficial redutora na mente comum faz com o yin e do yang...e portanto, em vez de apontar para a cisão da mulher e a fracturação da sua psique, causada pelo patriarcalismo, todo o movimento new age aponta para a complementaridade do feminino e do masculino sem mais. Ora acontece que o feminino não está integrado na sua substância e essência primordial na mulher e assim NÃO HÁ MULHER. Não havendo mulher NÃO HÁ HOMEM.

O texto ainda veicula uma outra ideia errada de que é o  masculino que tem de mudar como se a mulher nada mais tivesse que fazer por si e em si senão unir-se ao masculino, para ser completa e portanto é o masculino que vai evoluir para o divino e depois salvar a mulher...ele sim transformado, como em todas as religiões patraircais. Ora a meu ver é a mulher que INICIA O HOMEM E O PODE TRANSFORMAR na medida em que ela se torna Mulher e também Mãe consciente do seu potencial realizado, ou seja a Mulher inteira que as religiões patriarcais dividiram entre a santa e a puta.

Na Terra porém, contrário a todas essas ideias, continua a ser a Mulher a ter de dar à Luz o Homem, seja o filho seja o amante...e é esta inversão que nem as mulheres mais espiritualistas viradas para o Pai conseguem entender que são elas e não eles que têm de mudar a face do Planeta e unir as forças cósmicas e telúricas...

Na verdade esta passagem quimérica da 3ª dimensão para a 5ª é uma utopia que nos desvia do trabalho na Terra Amada e da Mãe e Amante e do Feminino Sagrado, o CÁLICE, o contentor primeiro (nascimento) e a Atenor (fogo iniciático). Porque a Chave da transformação e da Alquimia de Gaia está nas mãos da mulher integrada.
Como diz uma amiga, "Nos círculos em que os textos desta CF são conhecidos e tidos como referencia, o PAI , o masculino, ainda que PAI-MÃE - porque é politicamente mais correto - falar da mulher, como fonte de poder em si mesma,  é heresia.
rlp

2 comentários:

Else Schumann disse...

O culto solar predominou, porém sem a energia feminina n há matéria, sem matéria n há evolução.

rosaleonor disse...

Sem dúvida - por isso tudo é tão árido e vazio nos dias de hoje...
abraço

rlp