sábado, dezembro 26, 2015

SEM ENFEITES...



UM DIA DEPOIS...

"O Natal é a celebração de toda a miséria humana, e celebramos isso com um largo sorriso no rosto, ano após ano. A mídia fala de “espírito natalino”, “solidadariedade”, “devemos ser bons uns com os outros”, “natal sem fome” e etc. Minha pergunta é a seguinte: onde estava tudo isso antes do Natal e aonde vc irá enfiar todos esses conceitos após o Natal? Até quando iremos receber a hipocrisia de braços abertos, e estourar champagnes quando ela chegar?
Além diss...o, nos últimos dias, quantas vezes vc já não se pegou perguntando o que irá COMPRAR ou GANHAR neste Natal que se aproxima? Quantas vezes vc já se reparou que estava pensando o quão são belos os ENFEITES que pululam pela cidade e, principalmente, as luzes dos SHOPPING CENTERS? Já COMPROU e degustou quantos panetones? Já decidiu se irá ou não passar com sua doce FAMÍLIA ou com seus lindos VIZINHOS (afinal, não é hora para as costumeiras brigas que ocorrem durante o ano inteiro)? E os CARTÕEZINHOS? Não vá me dizer que vc esqueceu de COMPRÁ-LOS, com lindos desenhos de neve, pinheiros, duendes, renas e um Papai Noel gordo, rosa, feliz e com roupas quentes para um inverno rigoroso!.(...)
Toda essa felicidade do Natal nada mais é que ilusão e hipocrisia. Ilusão pois nada se dá sem o comércio. Esse feriado que vcs tanto amam é apenas uma máquina de gerar dinheiro, fazendo com que muitos trabalhem ainda mais para poucos abastados donos de lojas. Admita, sem comprar, comprar e comprar, seu Natal não é o mesmo, vc não é feliz! Sua família é uma justificativa para vc comprar, comprar e comprar. Mas vc não percebe que a mercadoria passa a ser a sua própria vida, e não somente o que vc compra. São seus valores e seus sentimentos que estão sendo negociados. Seu Natal, assim como sua própria vida, passa a ser a quantidade de dinheiro que vc tem no bolso. Não há Natal sem mercadoria. Hipocrisia, pois, como já disse, todos são mais amigos nessa época do ano, mas ao longo do ano inteiro exigimos mais segurança contra os pobres, exigimos a pena de morte e a redução da maioridade penal, desejamos pela morte e destruição dos favelados, sentimos ódio e medo das crianças nos faróis, porém, como agora é natal, ficamos bonzinhos. Talvez até daremos alguns presentes para quem não tem onde morar: roupas e brinquedos velhos, nosso lixo!!!
Minha sugestão é que vc aproveite o espírito natalino e faça algo de bom para alguém além de vc mesmo: destrua os enfeites de Natal da sua rua (luzinhas tão lindinhas, escondendo uma escuridão de miséria e mendicância); suma com todas as comidinhas calóricas de Natal que achar na sua casa (garanta que o peru passe do ponto, torrando-o);"

Natal de 2003 autor desconhecido)

1 comentário:

vania jones disse...

tal e qual, n mudo uma virgula.