terça-feira, janeiro 12, 2016

AS RELIGIÕES CONTRA A MULHER

 
DE ONDE DERIVAM AS AGRESSÕES ÀS MULHERES...


"Segundo a ONU, 7 em cada 10 mulheres no mundo já foram ou serão violentadas em algum momento da vida. Isso implica desde assédio verbal ou até a morte, passado pela violação.

A desigualdade de forças entre os homens e as mulheres tenta explicar parte deste problema, mas não é tolerável em qualquer sociedade e deve ser denunciada. Nesse capítulo cabe aos homens (ou verdadeiros) uma parte importante na mudança de mentalidades....
 

Contribuem igualmente, para as agressões sexuais sobre as mulheres as desigualdades sociais produzidas pelas próprias sociedades e também, apesar de ser um assunto tabu, as crenças e práticas religiosas que sempre relegaram as mulheres para um plano secundário em relação aos homens."


O DEUS INIMIGO DAS MULHERES...

"Todo o indivíduo de sexo masculino tem de fazer três orações por dia para agradecer Deus de ter feito dele um israelita, de não o ter feito nascer mulher ou de não ter feito dele um rústico"
(Talmude, Men.43b)

"Mulheres sejam submissas aos vossos maridos assim como ao Senhor, porque o marido é o chefe da mulher. assim como a igreja é submissa em relação ao Cristo, as mulheres devem-no ser em relação ao marido"
 (Bíblia, Efésios 5:21-25)

"Os homens têm autoridade sobre as mulheres, em virtude da preferência que Deus lhes atribuiu sobre elas, a por causa das despesas que eles necessitam para as manter"
(Al Corão, Sourate 4:34)

In OCTOPUS

2 comentários:

Anónimo disse...

Tem um texto num blog que diz que as mulheres nascem, crescem e vivem na sindrome de estocolmo. Somos ameaçadas, assediadas, objetificadas e inferiorizadas desde o momento em que nascemos. E por isso, vivemos com medo. Temos medo. Esse medo, cria em nós a sindrome de estocolmo, pois somos obrigadas a viver, conviver com os nossos agressores e assediadores, os homens. Homens são a nossa razao de ter medo. E esses mesmos homens, são nossos pais, irmãos, primos, filhos, amigos, vizinhos, colegas de trabalho, namorados. E esses mesmos homens são aqueles que preferencialmente nos atacam, nos agridem, nos estupram e nos matam. Mas nós temos que conviver com eles diáriamente. E sobreviver nessa sociedade onde somos constantemente ameaçadas por eles. É muito difícil uma mulher escapar disso, da sindrome. As mulheres desenvolvem várias estratégias de sobrevivência e muitas "escolhem" se adequar aos padrões do feminino no patriarcado, outras se rebelam, outras vivem na corda bamba. Mas tudo é estratégia para sobreviver num mundo que nos odeia e não deixa de demonstrar isso, 24 horas por dia, sete dias na semana, 365 dias no ano. Todas as instituições patriarcais nos refletem o pensamento masculino sobre nós e todas tem na misoginia o seu padrão de atuação. É muito difícil ser mulher e se saber odiada e desprezada em todo o lugar. Até quando dizem que nos 'amam', nos 'amam' para nos explorar sexualmente ou na nossa capacidade de dar a luz. Os homens transformaram a existência das mulheres, num pesadelo.

rosaleonor disse...

Obrigada por este lucido comentário e espero que não se importe de eu o publicar como testemunho vivo da continua opressão mascarada de democracia que as mulheres vivem no mundo...

um abraço grande!