sexta-feira, fevereiro 19, 2016

A "CONSCIÊNCIA SIMPÁTICA"



"A Inteligência do Coração, que estabelece a relação da Consciência inata com a observação do facto, é a Identificação.

Identificação significa viver com e no feito observado, sermos nós próprios o feito, experimentar e actuar, sofrer, alegrar-se com ele. Esta é a “Consciência Simpática” e não uma consciência subjectiva que a lógica pretende opor à Consciência objectiva. Sem dúvida, presta-se a confusões: a consciência cerebral se inscreve de maneira cerebral como acabamos de dizer e a Consciência inata inscreve-se na natureza dos organismos, ou seja, que o móbil da sua função é o impulso da sua necessidade, a Ideia o princípio de Harmonia. No ser humano, no animal superior, isto cria a emotividade.
Quanto maior é a sensibilidade emotiva, melhor se pode expressar a Consciência inata. Se o feito observado provoca uma “sensação”, uma reacção tipo egocêntrico, com que estamos ante a consciência subjectiva. Se o feito é observado por uma pessoa em estado de neutralidade, um estado impessoal, estamos diante da Consciência simpática. Daí todos estes problemas se resolverem numa cultura que implique um desprender-se do egoísmo e do domínio da parte mental (do filme cerebral).
(...)

in “ESOTERISMO E SIMBOLISMO” - R.A. SCHWALLER DE LUBICZ

Sem comentários: