"NÃO SOU FEMINISTA, SOU ANTROPOLOGICAMENTE LÚCIDA" Ana Hatherly

terça-feira, março 29, 2016

“stresse no trabalho”



A DOENÇA DO VALOR MATA…

“Assim que uma pessoa chega ao ponto de crer que não suscitara mais o desejo, que “além de um certo limite o seu bilhete já não tem validade”, que a sua força de existir aliás lhe é inacessível, um ser pode vir a anular-se. Estaríamos autorizados a falar de destruição da alma disfarçada de suicídio. Estamos longe, aqui, de fazer considerações hipócritas baseadas em “stresse no trabalho” e os remédios ridículos com que se pretender resolver a questão. A doença do valor mata porque ela priva de sentido os seres. Isolando os indivíduos, ela dissimula a realidade: mas um outro mundo é possível. “

IN A DOENÇA DO VALOR, A EPIDEMIA MODERNA  - Max Dorra

Sem comentários: