"NÃO SOU FEMINISTA, SOU ANTROPOLOGICAMENTE LÚCIDA" Ana Hatherly

quinta-feira, abril 14, 2016

O DIREITO DE SER MULHER


“A literatura feminina do nosso tempo reivindicou primeiro para a mulher o direito a ser homem. Ela começa agora a reivindicar o direito a ser uma mulher.” - Kanters

"Com um desgosto comum a todas feministas que vem tentando participar do tão aclamado humanismo dos homens, apenas para descobrir por experiências amargas que a cultura dos homens não admite a participação de mulheres honestas, Virginia Woolf escreveu:

"Eu detesto o ponto de vista masculinista. Estou entediada ...do seu heroísmo, virtude e honra. Eu acho que o melhor que esses homens podem fazer é não falar mais deles mesmos."

Os Homens têm aclamado o ponto de vista humano; eles são os seus autores; eles são os seus possuidores. Os Homens são humanistas, humanos, de humanismo. Os Homens são estupradores, violentadores, espoliadores, assassinos; esses mesmos homens são profetas religiosos, poetas, heróis, figuras de romance, aventura, performances, figuras enobrecidas pela tragédia e pelo fracasso.

Os Homens vem aclamando a Terra, clamando por 'Ela'. Os Homens arruinaram-na a 'Ela'. Os Homens têm aeronaves, armas, bombas, gases venenosos, nous gases, belicosidade tão perversa e mortífera que eles desafiam qualquer imaginação humana. Os Homens batalham entre si e Ela ; as mulheres batalham para serem admitidas na categoria 'humano' na imaginação e na realidade. Os Homens batalham para manter a categoria 'humano' longínqua, circunscrita pelos seus próprios valores e atividades; as mulheres batalham para mudar o significado que os homens deram à palavra, para transformar esse significado difundindo-o a ele na experiência feminina."
_
Andrea Dworkin - pornography: men possessing women _

Sem comentários: