sexta-feira, julho 15, 2016

FALTA-NOS A MÃE



O AMOR INCONDICIONAL?

"A Mãe, inicialmente como a própria Terra divina e depois em suas muitas formas como Grande Deusa ou Deusa Mãe, e também em seu papel dirigente, como representante humana ou como rainha que governa com autoridade da Deusa, manteve a raça humana sob o seu domínio até à aurora dos tempos. Assim aconteceu de acordo com a tradição antiga até que os homens foram superando a sua infantilidade da raça e (...) começaram a usar sua capacidade activa de agressão. No nível transpessoal, os deuses arrebataram o poder da Grande Mãe e o seu séquito. No nível político, os novos patriarcas substituíram os matriarcados de outrora."*


O Amor Incondicional da Mãe é o que mantem viva a espécie Humana e todas as espécies. É o que mantem o Cosmos, a  Terra e a Natureza, a que resta ainda incólume, e que nos alimenta e  permite respirar apesar da aberração de uma raça que se mata a si mesma e da barbárie inconcebível do HOMO sapiens...sem ele a humanidade está condenada ao caos e à miséria.

Toda a gente gosta muito de falar de "amor incondicional" e do altruísmo, mas sem o amor da Mãe não há tal coisa na Terra. Não é o amor de Deus nem em fé em deus que nos dá  essa experiência mas o amor da  Mão à nascença. Sem ele não nos tornamos humanos. Por isso confundimos o amor que vivemos, aquele que conhecemos humanamente basado na teoria e como um amor ideal, sonhado e difundido pelas religiões e supostos mestres, e  que na prática não conhecemos ainda pois negamos os mais elementares valores de respeito e dignidade em relação a nossa Mãe e à Natureza; raramente o vivemos na pele, mas falamos dele como se ele fosse verdade na nossa vida, o que não só nos ilude a nós e nos engana como atrasa o processo de consciência evolutiva do Verdadeiro Amor nosso e dos outros,  ao convencê-los de que ele é real nas suas vidas e não é...

 Assim, todos se iludem e  gostam de apregoar, recitar, receitar, encomendar, recomendar, vaticinar e sei lá que mais, um amor que não existe se nele não incluirmos o ódio. Fazer a elegia de um amor e negar o ódio face oposta da mesma moeda, não conseguimos perceber o que se passa na terra.
Vamos olhar com desencantamento para os ditos guias e lideres ou facilitadores que se encarregam desses simulacros de amor e ver que as suas vidas são de facto um caos afectivo, emocional e sexual, muitas totalmente opostas ao que apregoam. Tantos homens de boa fé ou de fé ou instrutores de entendimento "superior", de agora e de todos os tempos, são umas bestas para com as (suas) mulheres e as maltratam ou abusam a todos os níveis...incluindo crianças.

Não, o Amor dito Incondicional não existe em lado nenhum no plano humano neste mundo em que vivemos. O que existe é um jogo de simuladores  somente à disputa de egos "espirituais" e de poderes ...o que se manifesta é o poder pessoal e a ambição  económico por detrás das suas lideranças e tudo o mais na sua vida prática é  quase sempre  uma variedade imensa de egoísmos e vaidades camufladas de saberes,  do mesmo  modo  com o que se passou em séculos com a dita caridade e até o voluntariado...

Os homens são movidos por Vaidade e puro EGO...eles só pensam em poder e dominar a terra e as mulheres.


Não, "SEM MÃE NÃO SE PODE VIVER NEM MORRER" alguém dizia...  
O drama do ser humano principalmente do homem no mundo é que ele negou a sua Mãe. Ela nega a Mulher e a Deusa como principio maternal do mundo. Só assim se justifica uma sociedade musculadas baseada na força do mais forte na competição e da guerra.
O Amor incondicional só se  revela na Maternidade mais pura, no inicio da vida, na manifestação do amor da Mãe e da Deusa e só  nascidos nesse embalo é que ele se pode consolidar tornar real e espalhar invisivelmente na Terra e onde é preciso...de contrário o que vemos são os filhos sem Mãe, os criminosos, os  fanáticos, os desnaturados, os terroristas, os ditadores...
Tudo aquilo a que estamos a assistir hoje em dia no mundo, um mundo sem Mãe, um mundo orfão...
E enquanto a Mãe do Mundo e a Mulher não forem respeitadas o mundo cai dia a dia até ao caos final...e se transformará num inferno igual  ao mundo muçulmano onde as mulheres vivem  já um inferno.

RLP


*IN ANDROGINIA
Rumo a uma nova sexualidade - JUNE SINGER


Sem comentários: