quarta-feira, setembro 07, 2016

FEMININO VERSUS MASCULINO




" Á medida que o arquétipo feminino consciente se desdobra na consciência, o seu arquétipo aliado muda também.  Tão pouco  conhecemos ainda o verdadeiro masculino consciente. Confundimos o princípio de poder patriarcal, que controla e altera a natureza a qualquer custo, com o masculino.  Assim, o masculino sofreu um desequilíbrio pela perda do feminino, e também ele pode ser renovado,  esclarecer-se e renascer em nós. Com a sua aparição, temos uma grande oportunidade para fazer alquimia espiritual, para encontrar o mistério do outro no casamento sagrado." - Connie zweig


O LADO FEMININO DO HOMEM e o lado masculino na mulher .

- O princípio Feminino, e o lado feminino do homem tem de ser activado, é certo, também ele foi adulterado pela poder patriarcal, mas a questão é que se a mulher ela própria esta desactivada da sua essência feminina, perdida desse Principio que é um dos pilares desta Criação, Yin e Yang, como vai o homem integrar o seu feminino se não tem espelho na mãe nem na amante?
A questão  que se trata aqui, e o foco do nosso trabalho específico, é fazer acordar na mulher antes de mais, essa consciência do seu feminino sagrado, esse lado oculto de si mesma pela sociedade patriarcal, essa parte da natureza Mãe e da sua própria natureza intrínseca da qual foi secularmente alienada, a parte que lhe foi usurpada e negada desde menina, para poder então haver um feminino integrado e sequentemente a integração dos opostos...Sem que a mulher reconheça em si esse principio como fonte do seu ser e como expressão intrínseca de si como mulher (hemisfério direito activo: emoção, intuição e síntese razão coração)  não há integração desse feminino nem complementaridade entre homem-mulher porque a mulher está desfocada diria ou amputada da sua natureza essencial. Esse feminino que a torna a mediadora das forças cósmico telúricas e que une céu e terra, o baixo e o cimo, homem e mulher nõa está activo na mulher e assim da mesma maneira que ficou às expensas da mulher a gestação do ser humano no seu ventre...também é ela a iniciadora do homem e isso foi deturpado, tendo sido invertidos os termos da Grande Obra alquimica e do casamento alquímico...
É evidente que o homem tem a sua componente feminina como a mulher tem a sua componente masculina que Jung definiu como anima no homem e animus na mulher e com o que eu não concordo. Eles são respectivamente anima na mulher e animus no homem, mas na ligação (casamento) alquímica (no interior) há a revelação ou o despertar dos seus opostos dentro e fora...isto grosso modo, é o que eu penso. Entretanto devido a prepotência e excesso do masculino no mundo também a mulher mais depressa expressa o seu animus do que a sua anima, daí certamente a confusão. Não nego nem nunca neguei o feminino nem a Deusa no homem...mas o processo inverteu-se e a mulher foi desligada da sua natureza essencial, da sua verdadeira natureza feminina. A mulher que conhecemos não é a mulher verdadeira. É uma mulher fragmentada, dividida e sem identidade...
TEMOS AGORA EM MÃOS O TRABALHO DESSE INTEGRAÇÃO NA MULHER. Em cada uma de nós...depois o homem e o seu feminino, é com ele descobrí-lo e abrir-se à Mulher e a Deusa, quando a Mulher integrar a Deusa e for uma Mulher autêntica e não este simulacro de mulher um subproduto do imaginário masculino cheio de silicone e botox.
(...)
rlp
Excerto de texto já publicado

1 comentário:

Ana Nazaré disse...

" O objetivo da terapia deveria ser fazer a pessoa encontrar a liberdade. Mas como ela irá senti-lo se está sempre em um ambiente de contágio emocional? É um problema que nunca tem fim"

Opinião de Alexandre Lowen em Medo da Vida