quarta-feira, dezembro 07, 2016

A EQUANIMIDADE



A DUALIDADE

Poucas pessoas entendem a luta e a integração dos polos opostos...ou sequer imaginam que são complementares!
Poucas pessoas têm Consciência de como a dualidade humana processa o conhecimento e como o saber-sentir é uma e a mesma coisa a partir de uma neutralidade: ver acima da dualidade. A prevalência de um polo e a sua escolha em detrimento do outro, leva a todos os desequilíbrios tanto dentro da pessoa como fora...
AS pessoas lutam pelo bem contra o mal...e acham que os bons são eles e os outros os maus...Não querem ver que ambos os lados fazem parte de si, como da vida faz o dia e a noite, o sol e lua. Não é portanto separando...mas integrando essas polaridades que o individuo pode chegar a uma Consciência de si e sair do plano dessa dualidade em que a visão das coisas é sempre DIVISÃO, dualidade bem.mal e oposição...Assim, as pessoas ora pensam no amor e escondem o ódio e vice-versa...ou vêm a luz e negam as trevas. Tendem sempre a escolher o lado luminoso das coisas e a sua sombra vai para debaixo do tapete. É assim que nascem os dramas conflitos e guerras...o mal vem sempre dos outros...nunca é nosso!

 AS PESSOAS TEMEM A DOR...

- A dor não nos leva ao ódio, mas à consciência. A dor vem justamente do conflito dos polos opostos e da ignorância humana em negar um deles...
Há um estado intermédio que não é dor nem prazer, que não é odio nem amor, que não é tristeza nem alegria, mas equanimidade...
A Humanidade sofre porque anda sempre de um lado para o outro, nos extremos; cada individuo persegue só o lado bom da vida e os que não desfrutam do lado bom, viram-se para o mau que é não ter...

Confundimos ter em vez de SER...
 
Isto porque eu ontem discutia com uma amiga, alegre, voluntariosa, optimista...
Ela insurgia-se com a minha tristeza, a minha dor...e perguntava-me se eu não via o lado belo das coisas, se a minha vida não tinha tantas coisas boas e bonitas? E eu tive dificuldade em dizer-lhe que tenho - sim tenho muita paz e amor e muita coisa boa na minha vida - mas igualmente tenho o seu contrário...e que as coisas para mim tem todas o mesmo peso, ou seja tudo tem os dois lados. A Rosa tem espinhos...a serpente tem veneno...o amor contem o ódio em germe, o prazer contem a dor...e a juventude contem a velhice como a árvore contem as raízes...e a vida a morte...
Mas como dizer-lhe que a beleza da vida para mim está nisto... no compreender que ela é mesmo feita de tudo isso e que podemos olhar do fundo da alma sem oscilar entre o bonito e o feio e sem nos deixarmos tocar por nada...?
Podemos estar acima da dor como da alegria...e sentir ambas em uníssono, como uma sinfonia...
rlp

Sem comentários: