terça-feira, dezembro 20, 2016

CRIMES CONTRA NATURA



 AS ATROCIDADES QUE AS MULHERES COMETEM CONTRA SI MESMAS...com o conivência criminosa de médicos e da moda cujo conceito de beleza é aviltante e que destrói toda a feminilidade.

..."Sabemos que a mulher atual é um organismo geneticamente modificado ou resultante dum processo de seleção que nada teve de natural... Não é razoável pensarmos, acho, que um organismo concebido para gerar vida e albergá-la durante 9 meses, tendo de protegê-la para chegar a bom termo, em circunstâncias por vezes tão desafiadoras, fosse fisicamente menos forte e capaz que o macho da espécie..." Luiza Frazão

"Observamos, ao longo dos séculos, a pilhagem, a redução de espaço e o esmagamento da natureza instintiva feminina. Durante longos períodos ela foi mal gerida, à semelhança da fauna silvestre e das florestas virgens. Há alguns milénios, sempre que lhe viramos as costas, ela é relegada às regiões mais pobres da psique. As terras espirituais da Mulher Selvagem, durante o curso da história, foram saqueadas ou queimadas, com seus refúgios destruídos e seus ciclos naturais transformados à força em ritmos artificiais para agradar os outros.”*


“Senhores, a mulher, a descendente do paleolítico e do neolítico, a nossa fêmea e nossa deusa, o ser que chamaria de mulher do homem, e que já não sabemos o que é, foi perseguida, atingida em seu corpo físico e em seu corpo mental, e devolvida ao nada!
Senhores, o ser que chamamos de mulher não é A mulher. É uma degenerescência, uma cópia. A essência não está aí, a nossa alegria e a nossa salvação não estão aí"...Chamamos mulheres a seres que dela não têm senão a aparência, tomamos em nossos braços imitações de uma espécie inteiramente ou quase destruída."**

* CLARICE PINKOLA ESTEES

**André Van Lysebeth, Tantra, o Culto da Feminilidade

Sem comentários: