sábado, fevereiro 25, 2017

UMA ÁRVORE MILENAR DE 3.500 ANOS


Sem uma  consciência ecológica e sem o amor e respeito por si mesmo, pela Terra Mãe,  pela natureza, e pela mulher o homem não constrói nada, mas apenas destrói.  
rlp


Esta bela árvore milenária está em risco de ser arrancada da Terra e levada de Portugal para uma Praça de Londres por um politico luso-britânico, vereador, em Inglaterra com a finalidade  e homenagear o Tratado de Windsor, a mais antiga aliança entre países que une Portugal e Inglaterra. Esta decisão revela como o Homem vaidoso e arrogante ousa na sua ignorância perpetrar um crime lesa Mátria ...
Este "senhor" revela  nesta estupida ideia toda a sua ignorância e a alienação própria de políticos que agem sem consciência nenhuma do valor da Natureza, da Terra e de cada árvore. 
Espero que a gente honesta daquela terra não ceda à vaidade de um acto criminoso perante a estupidez de um politico estrangeirado e à pressão politica  


"Recebemos carta do vereador luso-britânico em Londres, Guilherme Rosa, com raízes familiares em Tomar, que propôs à comunidade de Mouriscas que uma das oliveiras centenárias da freguesia seja transplantada para um parque da capital inglesa como forma de homenagear o Tratado de Windsor, a mais antiga aliança entre países que une Portugal e Inglaterra. A sua proposta é que seja uma oliveira que tenha, pelo menos, uma idade superior à do tratado (650 anos), e Guilherme Rosa nega que seja a famosa Oliveira de Cascalhos (ou do Mouchão), considerada a árvore mais antiga de Portugal, com 3.350 anos, que é património nacional e vai permanecer plantada na aldeia de Mouriscas (Abrantes), até porque é uma árvore oca e frágil e de impossível transplantação.
O que está em cima da mesa, e é alvo de um debate alargado na freguesia, é que seja doada uma das árvores milenares da terra e para isso até já existem proprietários disponíveis para doar uma destas oliveiras. Estas árvores estão a ser estudadas e protegidas por um grupo de defensores que criaram a Rota Milenar das Oliveiras de Mouriscas.
Mais pormenores e a carta do vereador português em Londres para ler na próxima edição do jornal O Ribatejo em papel."
iN jornal do Ribatejo
***


TEXTO DE HAZEL CLARIDADE:

"Guilherme Rosa, Councillor Guilherme Rosa, trago uma solução que lhe irá permitir agradar a gregos e a troianos:
Uma oliveira (quer seja milenar ou centenária, é igualmente sagrada e intocável) não sobreviverá no clima londrino. Se avançar com o transplante, a árvore irá morrer - e a culpa será SUA. Vai cair-lhe tudo em cima. Já imaginou a onda de indignação (ainda maior) que irá gerar-se, dirigida a si?
Para evitar causar a morte de um ser vivo de valor incomensurável, uma s...olução que decerto agradaria a todos seria oferecer SIMBOLICAMENTE uma oliveira a Inglaterra através da colocação de uma placa alusiva à aliança entre os dois países junto do espécime, mas mantendo-o na terra onde nasceu. Assim, os ingleses poderiam visitá-la aqui. Estaria até a beneficiar o turismo nas Mouriscas.
E na praça londrina onde estava a considerar colocá-la, poderia colocar uma estátua. Estou certa que os cidadãos ingleses ficariam muito reconhecidos pelo gesto (e os portugueses também).
Para não referir a fortuna que irá poupar com esta medida. Ainda está a tempo de evitar um erro que irá manchar a sua carreira. Faça isso. Por favor. Tudo ficará em paz.
Estou ao dispor para colaborar dentro da medida do que me for possível."
Hazel Claridade
(Tendo em conta a recente eliminação de diversos comentários discordantes na sua página pública, fica aqui a cópia do comentário que acabei de colocar lá. Como salvaguarda. :)

Sem comentários: