"NÃO SOU FEMINISTA, SOU ANTROPOLOGICAMENTE LÚCIDA" Ana Hatherly

domingo, julho 23, 2017

por um verdadeiro feminino



A BELEZA CONTRA A MEDIOCRIDADE...


"Em “Natureza” estão presentes as descrições de vários elementos, numa poesia que coincide com a beleza elementar dos Haikus orientais. Deve-se, no entanto salientar que a poesia de Safo não foi originalmente concebida desta forma, uma vez que nos chega em estado fragmentário, pelo que a maior parte destes poemas faria parte de um texto poético de maiores dimensões. Mas a semelhança com a beleza das imagens e metáforas da poesia do extremo oriente é marcante, apesar da distância geográfica e da impossibilidade de haver, na altura, um contacto (a não ser remoto) entre ambas as civilizações, de forma a possibilitar a troca de elementos literários a este nível. A poesia de Safo vem assim demonstrar o carácter universal da sensibilidade a uma beleza de contornos puros, arquetípica.

“Quando a Lua se torna clara
ilumina a terra
e as estrelas em seu redor perdem o seu brilho”.


Safo, "O desejo"

Safo era uma excelsa poetisa, uma mulher de uma sensibilidade hiper-feminina, uma sábia e uma Mestra, considerada a 10ª Musa por Platão e igualada a Sócrates...

Chamar pois sáfica ou lésbica a uma mulher que se veste de homem à partida, que se nega como mulher e se comporta como um homem e que seduz as mulheres como um macho manqué… é descabido e abusivo para não dizer ignóbil…Enfim, é, no mínimo, de mau gosto, além de redutor da grandeza e elevação poética da Grande Musa …diria mesmo, ofensivo da... Arte e da Poesia, como é redutor colocar grandes autores como Virgínia Wollf e Marquerite Yourcenar, no gueto das prateleiras das livrarias com designação de género: “gay e lésbica”…um atentado à inteligência e à liberdade de SER ao serviço dos lobbies homossexuais e comerciais, como se fosse pornografia.

Recorrendo a essa estratégia de vendas para serem exactos hoje em dia, teríamos de incluir também os grandes autores, mesmos os maiores e mais representativos da arte de todos os séculos porque nenhum autor, escritor, escultor ou poeta, de grande calibre ou génio, desde Miguel Ângelo, Da Vince a Shakespeare, William Blak a Goethe, nenhum deles teve uma “persona sexual” definida…variando as suas principais personagens entre travestis, hermafroditas, viragos, andróginos etc..
Rotular um autor e ainda por cima um autor que fez uma época ou uma escola é um absurdo proveniente da obstrução feita à liberdade de ser e da expressão sexual e emocional do Ser humano, através de preconceitos milenares muito católicos e medíocres como os que perduram ainda no nosso tempo…
Grandes poetas da actualidade e de todas as nacionalidades ainda a traduzem…e outros poetas menores que ao longo dos séculos a traduziram e reinventaram…

- Na verdade, as mulheres que viviam nessa época, num período vincadamente apolínio e de rebaixamento da mulher a todos os níveis, social, político e histórico, o facto de haver uma mulher que ao contrário dos homens da época, que elegiam os efebos e o corpo do homem era o eleito e o único esculpido na arte, tal como faziam a apologia da guerra, e haver uma mulher a fazer poesia elegendo a vida e o erotismo entre as mulheres deveria ser um sacrilégio para os poderosos da época que em dado momento queimaram e destruíram toda a sua obra..

rlp


NÃO AO "TRANSFEMINISMO"

 PORQUE HÁ MUITO QUE AS MULHERES NÃO SÃO MULHERES, FALTANDO-LHES SER APENAS MULHERES AUTÊNTICAS E PARA DEFINIR GÉNEROS HÁ QUE SABER A MULHER...

Por essa razão querer eleger o "Transfeminismo" em defesa do Género, é um erro crasso e tomar esta premissa como verdadeira um erro brutal contra a Espécie humana;  e claro ele não existe senão como mais uma invenção dos homens ou mais uma "variante" da mulher fictícia que eles inventaram há muito e com a qual se identificam e travestiam da mesma forma como hoje preferem usar e comprar bonecas insufladas em vez de mulheres reais.
Ainda são os homens trans que se valem dessas falsas  "mulheres" fora do Sistema, essa "escória" (que se denigre a si própria) que são as mulheres  subprodutos do Sistema falocrático que as criou e despreza e que sobram para fora do Sistema mas que em vez de quererem SABER DE SI E SER MULHERES apenas....elas querem...ser trans...porque, dizem:

"O sujeito do feminismo “mulheres” nos parece pequeno, é excludente por si mesmo, deixa de fora as sapatonas, xs trans, as putas, as de véu, as que ganham pouco e não vão para a universidade, as que gritam, as sem papeis, as maricas…"

E eu digo sim, O FEMININO É GRANDE, é imenso, a mulher é imensa, elas é que não sabem pois o "feminismo radical" é que as transformou em pequenas, "IGUAIS AOS HOMENS"...e essas mulheres, todas elas, as do lado de fora da barricada e as que pertencem ao Sistema, ELAS NÃO REPRESENTAM O VERDADEIRO FEMININO.

ASSIM, tudo isto não passa de uma manobra do próprio Sistema para impedir as verdadeiras MULHERES de serem MULHERES! Porque o perigo para o sistema vem da Mulher Verdadeira, da Mulher profunda, das forças ctónicas e telúricas, do Sagrado Feminino e não destas "vítimas" do sistema patriarcal...que o alimenta na luta errática.

O Feminino profundo não vem nem tem nada a ver com essas caricaturas de mulheres, desses travestis, dessa cópia generalizada, antiga, dessa tragédia shakespeariana, que deu todas essas "personas sexualis" que reclamam "direitos" em vez de HUMANIDADE simples e total e um novo PARADIGMA SOCIAL.

SOU TRANSFÓBICA SIM, POR UMA VERDADEIRA HUMANIDADE!


rlp

Sem comentários: