segunda-feira, junho 25, 2018

Cortar os laços energéticos de uma relação amorosa.





…"As mulheres podem custar até sete anos para cortar uma ligação com um homem. A eles, em vez disso, apenas 28 dias. Através da meditação, esta ruptura pode tornar-se mais fácil.

Ter relações sexuais com uma pessoa implica muito mais do que o prazer e a satisfação. Para a filosofia do Yoga, é uma instância onde se fundem duas almas através do Espírito. O ideal de uma relação sexual é o encontro amoroso entre dois seres que buscam a fusão total de suas almas, com princípios de vida comuns e com o pilar fundamental do compromisso, respeito e comunicação em que a mulher se sinta segura e amada, e que a mulher se sinta segura O homem sente-se contido e compreendido. Depois de ter sexo, que pode ser com um casal estável ou não, o corpo da mulher fica impregnado com a energia da aura do homem e a psique subconsciente masculina é absorvida pela psique feminina. Desta forma, uma mulher pode, literalmente, curar o seu homem se nesse acto sexual há amor. Caso contrário, se a mulher não é suficientemente forte produz muita confusão mental, é porque as mulheres que têm muitas relações sexuais com diferentes homens acabam por ter problemas psicológicos, já que esta energia deixa a sua marca durante um período de sete anos. Pelo contrário, a impressão feminina na aura masculina fica por um lapso de tempo de 28 dias, ou seja, um ciclo lunar. É aí que reside o problema das mulheres: a difícil tarefa de tirar um homem da cabeça e que do ponto de vista do Yoga, a cura, a meditação e o alinhamento de chakras poderia resolver esse terrível calvário para muitas. A razão para isso, reside na auto-estima da mulher porque é ela quem começa e termina uma relação, ou seja, são as mulheres que decidem se uma relação, tanto amorosa como sexual, se realiza ou não. A Mulher emite um sinal através das feromonas (hormonas de atração) que os homens são capazes de cheirar e que fazem com que acordem nele a sua sensualidade. Quando a mulher já não está entusiasmada com o relacionamento ou não quer nada com esse homem, não é capaz de segregar essa hormona por isso o homem não a sentirá. Assim se cria o que é conhecido como arco de luz (aqueles que se pintam aos anjos ao redor da cabeça), uma cúpula imaginária energética onde se projectam os pensamentos de ações conscientes.

Cortar laços
Os laços energéticos são criados quando existe uma ligação íntima especial entre duas pessoas. Estes "fios" São o meio por onde se manda ou recebe a informação ou a energia do ser. Esta seria a principal razão pela qual custa muito cortar uma relação humana com uma pessoa com quem tenha tido um vínculo afetivo, por muito curto que seja o período de tempo. Para poder cortar os laços afectivos com outra pessoa, é aconselhável praticar a meditação chamada kirtan kriyā, no qual é usado o mantra (som) do sa ta na ma onde vão se tocando por sua vez cada dedo com o polegar, e tem uma duração entre 11 e 31 minutos.

Sa evoca um sentido da emoção, da expansão e do conhecimento. Ta cria uma sensação de força e transformação, dando sabedoria, inteligência e paciência. Nd estimula um sentimento de amor universal dando vitalidade. A ma desenvolve a capacidade de se comunicar. Este tipo de meditação permite curar feridas emocionais e poder acessar e coordenar a capacidade mental e intuitiva. Além disso, ativa a "cadeia dourada", uma ligação esotérica entre a glândula pineal, que segrega a melatonina encarregada de ajudar a dormir, e a hipófise que mantém uma condição interna estável.

Para realizar esta meditação deve sentar-se no chão ou em uma cadeira com as pernas cruzadas e costas reta; colocar as mãos no colo; fechar os olhos e mover a cabeça em forma de l cada vez que você vai dizendo o mantra para que o A energia sai pela expressão. Depois cantar em voz alta o mantra por dois minutos para depois cantá-la em um sussurro forte por mais dois minutos. Em seguida, repetir o mantra na mente por três minutos e voltar para o passo anterior.

Para finalizar, inalar profundamente e expirar todo o ar dos pulmões, esticar os braços acima da cabeça o mais alto que se possa e abrir os dedos estirándolos para cima da coluna; respirar profundamente várias vezes para depois relaxar e descansar por um. Dois minutos. Para que este exercício seja realmente eficaz, recomenda-se realizar esta meditação por 40 dias consecutivos. Difícil ou não, vale a pena tentar."



A MULHER CONSCIENTE DE SI - É PRECISA

Levei uns dias a digerir isto….
Obviamente isto é uma ideia muito interessante e "romantizada" (a espiritualidade romântica) que pouco ou nada nos garante de concreto em relação aos tais filamentos que aprisionam as mulheres durante 7 anos aos homens com quem tem relações, mas é bonito e estimulante de ler e acreditar que sim…
Mas eu medito há quase 50 anos e garanto que não é nada assim tão técnico, nunca foi...não te curas da paixão nem do apego nem da fome nem da dependência de algo - sempre que houver razões para isso - mas é bonito de se dizer que agora basta meditar ou cantar um mantra...
Ah, o Youga e os Mantras...desculpem o cinismo, mas não, a meditação não cura constipações nem cancros nem quaisquer viroses e de certo não limpa filamentos nem tira ninguém da ignorância se a CONSCIÊNCIA interna e psíquica do individuo não estiver lá primeiro...mas acalma e relaxa, é um facto, dá recuo e talvez até te eleve um pouco o astral, depende da meditação e da seriedade da mesma, mas o que eu acho é que este texto está muito bem construído e ilude ou convence (escolham)  e leva mais uma vez as mulheres  para o relacionamento amoroso e o amor a dois, tendo o homem como foco da vida da mulher e não a própria mulher, como urge acontecer: obter  a sua autonomia e independência do sexo (como razão única da sua vida), ensinando-a a viver por si mesma para lá da mera sexualidade e do orgasmo ou do prazer…

HÁ MAIS VIDA PARA ALÉM DO SEXO!

Continua-se a querer olhar e ver a mulher apenas como um ser iminentemente sexual, em que só o corpo e o sexo parecem contar... Bem sei que é esse o programa e a formatação patriarcal que condiciona como ser social e cultural, sendo a mulher apenas um produto mental e moral das sociedade vigentes, iminentemente falocráticas, desde há séculos. Precisamos ABRIR outros campos de liberdade e de Consciência do Ser Mulher para que a Mulher possa ser um Ente e Ser ela mesma sem assa carga exclusiva do sexo e do casamento ou dos filhos.
Mais uma vez informo que não nego o sexo nemo  amor nem a maternidade, mas que não sejam esses os únicos objectivos da vida da Mulher e sim uma escolha consciente. Para que Não seja um padrão DOMINANTE nem uma obrigação social e moral.
Enfim, para mim é mais do mesmo com que se prende e angana as mulheres da New age; sim, para  mim a quarentena devia ser outra...mas eu já sou velha, claro, já não sonho com o par ideal, nem com o amor romântico...mas percebo muito bem que é isto que as mulheres gostam de ler...agora já podem curtir a vontade e depois meditam e isso passa… além do preservativo, claro.

rlp

Sem comentários: