quarta-feira, junho 13, 2018

ELA ERA MINHA

"Felicidade clandestina"

"No meio do meu silêncio e do silêncio da rosa, havia o meu desejo de possuí-la como uma coisa só minha. Eu queria poder pegar nela. Queria cheirá-la até sentir a vista escura de tanta tonteira de perfume. (...) 
Até chegar à rosa foi um século de coração batendo. (...) 
O que é que eu fazia com a rosa? Fazia isso: ela era minha."

Clarice Lispector, em "Felicidade clandestina".

Sem comentários: