segunda-feira, dezembro 06, 2010

A MULHER QUE CAMINHA PARA SI




- Obrigado por esse blog tão lindo, ainda sou nova, e estou começando a entender toda essa coisa de ser mulher, mas tu me ajudas mto, obrigado = D

*****
Nada mais gratificante para mim do que o reconhecimento e a ajuda que este blog pode constituir na vida de uma mulher seja ela já adulta seja ela uma jovem como você.

O que escrevo não é para ensinar ninguém nem eu pretendo ser uma sumidade e menos ainda "iluminada"...nos assuntos que trato, mas apenas partilhar o que sinto e penso ser a emergência de uma nova consciência do SER MULHER.

O meu anseio é que toda a mulher se aperceba de como ela é rica e sábia e que toda a força e conhecimento necessários para ela ser íntegra e inteira estão dentro dela se ela se disposer a ouvir o seu coração...e se se disposer a passar pelos caminhos que devem ser trilhados sem medo nem vaidades...

Com a sinceridade e a abertura, a coragem de ser quem Ela já é...e de se afirmar na sua natureza profunda pondo de lado todos os esteriótipos, todas as divisões, todas as calúnias...todo o peso da mentira que pesa sobre a mulher selvagem e livre que ousa ser fiel a si mesma e à Deusa.

Porque a Deusa não é senão ela mesma, esse seu outro lado recalcado, esquecido, esse seu lado que lhe sussurra coisas que ela não quer ouvir porque tem medo de olhar para dentro de si e ver esse poder que a habita e que ela precisa para expressar todos os dons que a Grande Mãe da Vida lhe deu. Os dons que o patriarcado lhe roubou. A força que os donos do mundo, reis, padres e os pais lhe retiraram, deixando-a a mercê dos mercenários e dos soldados... (Parece radical demais...mas aconteceu assim há séculos e desde aí...continua a acontecer embora de formas aparentemnte diferentes, mais atenuado no ocidente, mas pior noutras partes do mundo.)

A Mulher que caminha para ela mesma sem precisar de se afirmar perante os outros, torna-se segura à medida que percorre a senda das suas antepassadas, aquelas de quem ainda ressoa a Voz através dos tempos, no vento seu aliado, as que não silenciaram, as que mantiveram o voto sagrado à Terra, as que nunca calaram o seu coração, as mulheres que contam histórias, as avós, as velhas dos tribos longíquos, as bruxas que foram queimadas nas fogueiras por fazer partos às suas irmãs, E AS AJUDARAM A PARIR SEM DOR...As feiticeiras que dançavam na noite sem medo dos padres, as que ousaram cantar e dizer que elas eram a força da natureza, a da seu sangue, do seu útero e dos seus ovários, todas as Mães da terra que amamentaram deixando um rasto de amor invisível que une todas as suas filhas/os; as xamãs que surgem cada dia mais e vêm ao nosso encontro, todas as que escutam a suas raizes, nas árvores, nas plantas, nos animais e fazem ECO com a VOZ DOLORIDA DO PLANETA e dos animais massacrados pelos homens e pela guerra...


Por isso ao voltar-se para si mesma a MULHER volta à sua verdadeira Natureza, volta à Grande Mãe, volta ao seu Útero e ao Útero da Terra e aí vai plantar as sementes de um Novo Mundo que está a chegar...

- A. Passe sempre e espero que desfrute de tudo o que aqui está e foi escrito...
Procure e encontrará as respostas que precisa...
Com carinho
rlp

1 comentário:

Anna Geralda Vervloet Paim disse...

Lindo Rosa!!!Tomei a liberdade de colocar uma parte do texto em meu blog.
abraços