sexta-feira, dezembro 31, 2021

MEIA NOITE ...



DIAS ESTRANHOS...

Não é que eu não vos desejasse o melhor deste mundo para hoje e todos os dias, mas perante esta realidade de gente demente e alienada de um lado e do outro, o que é que eu posso dizer se em nome do amor se mata e se trai, se engana e mente?
Não consigo alinhar com isto. Não consigo conciliar esta disparidade humana ao ver pessoas supostamente bem intencionadas serem enganadas e a quererem persuadir os outros, com as melhores intenções, claro, sem respeitar a convicção profunda de cada um... sem respeitar o SENTIR que nos faz resistir a uma ofensiva geral - uma manipulação sistemática e colectiva- em que a liberdade do individuo é constantemente ameaçada...
Uma ofensiva sem tréguas levada a cabo por todos os meios de comunicação de forma a implementar o terror e medo nas populações e ao mesmo tempo como num circo dá-se-lhes palhaços, pão e bolos. O Circo do fim do ano, estes foguetes e fogo de artificio sem fim a distrair multidões acéfalas enquanto caminham para o abismo...
rlp


domingo, dezembro 26, 2021

NO NOSSOS DIAS...



"Nos nossos dias, em que tudo no Mundo, tal como uma conspiração demoníaca, ameaça em permanência a interioridade do homem e a sua própria valorização, extraindo-o (ou distraindo-o) de si mesmo, destruindo sua vida interior, como seu direito à possessão de um espaço, tempo e silêncio próprio, ou direito seu à possessão de uma personalidade própria e diferenciada – desde as formas delirantes de uma sociedade de produção, e consumo, até às formas exclusivamente sociais de relação pessoal, substituindo a vera comunhão, a fraternal, pela promiscuidade, vazia e destruidora – esta reapossessão do homem, será a maior conquista (ou reconquista) que agora nos nossos dias lhe urge efectuar."

"Nestes nossos dias, dado este perigo posto perante nossos olhos, e dado que as forças materiais foram impunemente e imprudentemente desencadeadas e manipuladas na sua prática, em alta tecnologia com aspectos de magia, entre as mãos de uma humanidade imatura e massificada e não por uma élite responsável, sabiamente controlada, tal como outrora, é sentida a premente necessidade de finalmente criar forças espirituais que contrabalancem, e limitem essas outras postas à solta num uso indiscriminado; e agora em acção altamente destruidora em toda a sua amplidão anárquica. Forças espirituais que cada homem por si e em si, numa sociedade futura necessariamente hierarquizada (tal como foi a sociedade indo-europeia a que pertencemos), deverá criar, readquirir no mais fundo do seu ser: unindo seu interior ao interior do mundo, como coração com coração. Reintegração suprema antropocósmica, tal como a que marcou essa nossa sociedade no passado, assim como todas as outras tradicionais. Em alta organização e não em massificação realizada pelo baixo, como a actual."

Dalila Pereira da Costa


sexta-feira, dezembro 24, 2021

A perda do feminino tem tido um impacto desastroso na nossa cultura.



O FEMININO PERDIDO...

“Com as invasões Indo-Arianas (por volta de 3500ªC.), surgiu a ideia de uma suprema divindade masculina, cuja raiva e cólera tinham de ser apaziguadas. Ao longo dos séculos, os cultos baseados num deus masculino de poderes ilimitados foram substituindo gradualmente a adoração de uma deusa indulgente.
(...)
A perda do feminino tem tido um impacto desastroso na nossa cultura. Tanto o macho como a fêmea se sentem profundamente feridos à medida que o segundo milénio da Cristandade se aproxima do fim. As dádivas do feminino não têm sido totalmente aceites e apreciadas. Entretanto, o masculino, frustrado devido a uma incapacidade para canalizar as suas energias em harmonia com um feminino devidamente desenvolvido, continua a liderar com a espada, brande as armas temerariamente e frequentemente flagelando o próximo com violência e destruição. No mundo antigo, o equilíbrio entre energias opostas era compreendido e honrado. No nosso mundo moderno, os atributos e atitudes do macho é que têm prevalecido. A distância entre a atracção pelo poder e a glória por parte do macho e “a adoração do filho primogénito”, um culto que produz muitas vezes machos mimados e imaturos - zangados, frustrados, aborrecidos e muitas vezes perigosos, é muito pequena. Eventualmente, incapaz de uma interligação com a sua “outra metade”, o masculino fica exausto. O resultado final do princípio feminino desvalorizado não é apenas o ambiente poluído, o hedonismo e o crime sempre crescente é o holocausto.”
*
In MARIA MADALENA E O SANTO GRAAL
A Mulher do Vaso de Alabastro - de Margaret Starbird


LEMBRAR A HISTÓRIA DOS HOMENS...



O FUTURO PARECE SOMBRIO, ENTÃO VAMOS RELEMBRAR UM POUCO DE HISTÓRIA PARA RENOVAR NOSSAS ATITUDES:

- Há apenas 500 anos, você poderia ser executado pelo Estado somente pelo fato de não acreditar no Deus cristão.
- Há apenas 400 anos a expectativa de vida média do ser humano era de pouco mais de 40 anos, sua vida girava em torno de um raio de cerca de 16 km e você nascia e morria sem conhecer o rosto da pessoa que governava sua existência.
- Há apenas 300 anos tinha-se plena convicção que as doenças eram provocadas por espíritos e ares malignos, e somente exorcismo e reza iriam te curar.
- Há apenas 200 anos negros eram considerados objetos de outras pessoas, podendo ter seus corpos vendidos, abusados e destruídos.
- Há apenas 100 anos mulheres não podiam votar e nem se divorciar. As que sabiam ler eram motivo de escândalo.
- Há apenas 70 anos o mundo conheceu a guerra em escala industrial, com os mortos sendo contados aos milhões, assistindo o horror do Holocausto e da bomba atômica.
- Há apenas 50 anos os homossexuais precisavam se esconder em guetos próprios, inclusive sendo castrados caso fossem descobertos.
- Há apenas 20 anos o acesso ao conhecimento era limitado por meios físicos.
Na maior parte do mundo, esses tempos sombrios ficaram para trás, graças à luta de muitos, que assim como nós, em algum momento devem ter ficado cansados, desestimulados e receosos se a luta valia a pena.
Mas eles não desistiram. FAÇAMOS O MESMO.
É nossa tarefa manter e expandir essas conquistas alcançadas com o próprio sangue derramado, para que as próximas gerações não enfrentem as mazelas pelas quais sofremos agora.
E que elas possam olhar para trás e agradecer aos que atualmente combatem todas as formas de injustiça, exploração e opressão.
O AMANHÃ É NOSSA RESPONSABILIDADE DE HOJE.
(Com Diego Vieira)
------
------
NA IMAGEM - Para repensar preconceitos.
---
Em 1487 o Papa Inocêncio VIII emitiu uma bula para o extermínio dos valdenses.
As forças católicas não mataram os habitantes simplesmente.
Eles fizeram saques, estupraram, torturaram e assassinaram.
De acordo com um relatório elaborado por Peter Liège:
As crianças pequenas foram arrancadas dos braços de suas mães, unidas por seus pés minúsculos, e tiveram as suas cabeças chocadas contra as rochas, ou usadas como cabo de guerra, entre dois soldados, tiveram os seus membros trêmulos arrancadas pela força principal.
Seus corpos mutilados foram jogados nas estradas ou campos, para serem devorados por feras.
Os doentes e os idosos foram queimados vivos em suas casas.
Alguns tinham as mãos os braços e pernas decepados e o fogo era aplicado às peças cortadas para estancar o sangramento e prolongar o seu sofrimento.
Alguns foram esfolados vivos, alguns foram assados vivos, alguns estripados, ou amarrados a árvore em seus próprios pomares, e seus corações arrancados.
Alguns foram horrivelmente mutilados, e de outros, os cérebros eram cozidos e comidos por esses canibais.
Outros eram enterrados vivos. Os pais foram levados à morte com as cabeças de seus filhos suspensas em volta de seus pescoços.
Os pais foram obrigados a olhar enquanto seus filhos ou filhas eram estuprados e massacrados, antes de ter-se permissão para morrer.

FOTO: Esta imagem está entre um grupo de cópias que ilustram o massacre dos valdenses, que teve lugar em 1655.
A jovem sendo torturada é dito ser Anna, filha de Giovanni Charboniere de La Torre. Wylie, James A., História dos valdenses (c1860)
A Igreja Católica fez isto - Os homens de "Deus".
A Igreja Católica é a vergonha da humanidade.
A sua lista de crimes vem desde o início do cristianismo até hoje quando esta igreja esconde e protege os seus padres pedófilos.

— com Joseronaldo Santos e Marcio D. Junior
Texto de João Santos.

Gostaria de acrescentar uma das resposta que, quanto a mim, completa na perfeição o texto acima:
Joao Santos, faltou corrigires esse texto, para dizeres que, há 200, começou o fim do antigo modelo de escravatura, para dar lugar ao início do novo modelo de escravatura, assente na imposição do actual sistema monetarista fiduciário e ideológico partidocrático classista do dinheiro sem valor, vulgarmente conhecido por sistema capitalista, que, muito convenientemente e simultâneamente, veio a ser estreado como o único meio de pagamento (e o único possível) de toda gente que foi obrigada a abandonar os campos agrícolas do Reino Unido para fornecer mão de obra escrava às fábricas, principalmente de armamento de guerra (80%), no início da revolução industrial inglesa. Foi a imposição do novo modelo de escravatura que deu origem à guerra civil norte americana... e à maioria das guerras que se seguiram, até aos nossos dias.

José Ângelo Pereira


quinta-feira, dezembro 23, 2021

O DIREITO A ESPERANÇA...



ALÉM DA BELEZA...

"Há em tudo um sentido para além da beleza: e que sinto ainda não consegui desvendar por fraqueza minha, falta de concentração. Parece que o mistério está ali, indefeso, prestes a rebentar, a dar-se, e que a culpa de sua negação é só minha.
Talvez que a beleza seja assim, transcendente. Contendo em si um sentido que não lhe pertence. Mistério que sinto para além do meu poder e que faz a dor da sua contemplação. A inatingível. Dura impossessão.
Talvez que ela seja aqui o único porto de abrigo. Mas aberto somente através do sofrimento. Porque a beleza é pungente.
E é esta a única marca da sua verdade."*

«Dentro do nosso corpo material ... existe um corpo espiritual que se ergue e conhece dentro de nós, quando sonhamos ou quando, na vigília, atingimos um momento de suprema contemplação ou iluminação... "

«Será neste futuro alargamento de nosso mundo conhecido e vivido, que devemos depositar toda a esperança para uma vera sabedoria e liberdade."**


*DALILA PEREIRA DA COSTA,
in "A Cidade e o Rio"

**Dalila pereira da costa
Portugal Renascido

EM VESPERAS DE NATAL...

Onde a beleza e a verdade, a paz e o amor universal? 

Publiquei este texto em 2014  já muito desiludida com o mundo e as suas premissas mas então  o que diria hoje, em que estamos mesmo mesmo no fim de um mundo louco e pervertido que sempre foi louco e injusto e brutal, não a Natureza ou os animais, mas a besta humana. Sim, que dizer hoje em que já nada de digno e verdadeiro ao cimo da Terra e tudo o que existe e assistimos no nosso dia a dia é esta alienação global, este entorpecimentos das massas esgazeadas. 
Ver toda esta loucura tornar-se viral, baseada no terror e no medo constante, em que nos perseguimos  em nome da saúde e com medo morte, e em que se pára a vida  e o contacto social, menos trabalhar, e que afasta as pessoas umas das outras, mas apertadas como sardinhas de lata nos metros e nos comboios, como gado. E em nome da Pandemia deixam morrer os idosos e os doentes sós e não se tratam os doentes graves e as televisões mais não fazem do que antagonizar os seres a instigar o medo e e a virar as pessoas umas contra as outras. Este é um tempo igual ao que eu vive nos anos 60, em que voltámos às ditaduras policiais, as ameaças à nossa intimidade e em que a liberdade de expressão e não só é ameaçada de morte... eu olho e digo, essa sim, é a maior doença que ataca esta humanidade estupidificada pelas crenças e pelas religiões, pelo consumo e pelo cinema de terror e agora pelos Midea e as redes sociais, e as populações analfabetas e aculturadas, completamente anestesiada pelo medo que eles propagam. 
Ninguém pensa nem já sabe o que é certo e errado e o próximo é varrido da nossa vida sem apelo nem agravo... e as pessoas só pensam no seu umbigo e em não perderem "direitos" tirando-os aos outros...alinhando-se com um "cartão sanitário" que tira a liberdade de escolha e o direito a nossa saúde e respeito pelo nosso corpo e a nossa alma!  
Sim, isto é uma guerra surda de morte lenta...


Há 8 anos em véspera de Natal como hoje eu escrevia isto: 

Penso hoje...especialmente hoje...véspera de uma noite que se quer de nascimento do "novo e da esperança"...de uma nova vida; a promessa de um menino de oiro...e todos os equívocos e loucuras que esse nascimento gerou num mundo sempre caótico e absurdo tão igual aos seus primórdios: em que gera a fome guerra e ódio em vez de paz e amor conforme o prometido...há dois mil anos...cinco mil anos, dizem não são nada e as vidas humanas também não...
Este mundo de cada vez menos esperança, e cuja fé mata....em nome d' aquele que a gerou...é um mundo sem Mãe...
Onde a beleza e a verdade, a paz e o amor universal? 
Não, não festejo nenhuma data natalícia que não seja a da Grande Mãe da Origem - aquela que dá a luz e nos amamenta desde o berço até a morte... Essa Mãe que foi esquecida dos homens - e que hoje é sacrificada em todas as fés...Ela é vendida, explorada e morta, violada e crucificada em todo o mundo...
Não tenho nada para festejar num mundo patriarcal de um deus único que fez da Mulher o seu bode expiatório...e a continua a castigar do pecado, diariamente violando e matando, acusando-a a ELA, a Mãe de todos os homens a culpada de todos os males que eles e as suas guerras de poder geram na terra...
rlp


quarta-feira, dezembro 22, 2021

Queria só dizer-vos ...



É O LIVRO DA MINHA VIDA...

Gostaria de vos falar do meu livro, o ultimo, Lilith, A Mulher Primordial... e as vezes retenho-me e não o faço porque não gosto de fazer publicidade ao que escrevo. Mas este é o livro que eu gostava de ter lido e procurei toda a vida e não encontrei. Sim, um livro que me falasse ao meu coração e me dissesse tudo o que eu sentia e respondesse a perguntas básicas. E digo-vos...eu leio este livro e fico a lê-lo como se não tivesse sido eu quem o escreveu...
E digo-vos isto não por falar do livro enquanto autora e para me congratular com isso ou promover-me como escritora, mas simplesmente PORQUE se trata de amor... e dessa consciência que me anima!
Trata-se de um livro cheio de amor e paixão pela mulher e por isso fico cheia de gratidão à vida que mo permitiu escrever e ser Eu mesma... Sim, é um livro que fala directamente à mulher que cada uma de nós é na sua vida real, fala à sua experiência de vida interior, dos seus conflitos e lutas sem respostas... até hoje.
Queria só dizer-vos o amor que sinto de cada vez que uma leitora anónima me envia a foto do livro que lhe chegou as mãos ou um texto belíssimo que me chegou hoje de uma mulher cheia de pujança de vida e radiante por se ter reencontrado na plenitude da Natureza e do seu Ser Mulher e se rever em Lilith ...
São suas estas palavras: "...estou a aconselhar o seu livro a todas as mulheres que tal como eu se sentem sós. As visionárias as independentes, as diferentes e as "putas"... (desculpe a linguagem). Adorava abraçar a mulher que tem a visão e a coragem de dizer ao mundo o que ser mulher"...

Fiquei muito grata à vida com o meu destino - hoje recebi mensagem de duas mulheres que compraram "o livro da SUA VIDA", disse uma delas... e não é a primeira...
Que melhor recompensa podia querer como premio da minha dedicação a esta causa de Ser Mulher...?
rlp


O QUE HÁ DE NOVO SOBRE A TERRA?



QUALQUER COINCIDÊNCIA COM A ACTUALIDADE É PURA SEMELHANÇA...


1530, Genebra,
Quando a peste bubónica regressou, a cidade estava bem preparada, com um novo hospital para acolher as vítimas. Médicos, paramédicos e enfermeiras estavam prontos a actuar e todos haviam contribuído monetariamente para este projecto, desde os magistrados aos comerciantes. Os próprios pacientes usavam fazer doações, e quando um deles morria, sem que tivesse família, os seus bens eram herdados pelo hospital. Quanto maior o número de enfermos, maior o número de subsídios e de possíveis heranças a receber.
Porém, ao contrário do que havia sido propagandeado, a peste parecia estar a desaparecer e não a regressar, mas se a peste dava lucro, havia que prolongá-la, e assim os médicos organizaram-se no sentido de a defenderem. Começaram por envenenar os pacientes de modo a fazer subir a mortalidade, mas como a mortalidade tinha de estar relacionada com a peste e não com outras doenças, experimentaram cortar, secar e triturar em almofariz os bubões linfáticos dos corpos dos defuntos, dando-os como remédio a outros pacientes em estranhas e elaboradas poções, uma vez que acreditavam estar neles os miasmas da peste. Não sendo suficiente, colocavam o mesmo pó nos lenços e nas roupas de todos os que pelos mais diversos motivos procuravam ajuda médica, mas ainda assim a peste parecia estar a regredir incontrolavelmente, pois eram cada vez menos os que recorriam ao hospital. Então, os médicos lembraram-se de pulverizar durante a noite as portas das casas com o dito pó, seleccionando sobretudo as mais ricas, as que poderiam dar-lhes maior lucro. Sem que conseguissem obter os resultados desejados, um dos médicos decidiu lançar o “pó de peste” sobre a multidão. Para seu infortúnio, nela encontrava-se uma rapariga que tinha estado no hospital e que reconheceu de imediato o cheiro. Foi o fim de uma longa narrativa que culminou na tortura, decapitação e esquartejamento dos “profissionais de saúde”.
Já agora, a peste negra nada teve a ver com bactérias, pulgas ou ratos, mas possivelmente com a queda de um ou vários meteoritos que rasgaram os céus desde a Ásia Central à Islândia, deixando um rasto tóxico na atmosfera que inclusivamente envenenou diversos lagos, matando peixes e toda a fauna neles existente. Ainda hoje as marcas do trágico evento podem ser analisadas nos anéis de crescimento das árvores, bem como na estratigrafia terrestre. A Islândia perdeu metade da sua população, contudo os ratos só lá chegaram no século XIX.
 
Bibliografia:
François Bonivard, «Chronicles of Geneva» vol. II, pp. 395-402, 1493-1570.
Mike Baillie, «New Light on the Black Death: The Cosmic Connection», 2006.


....estamos a ser testados...





Texto de Isabella Garnesche


".... Os testes nada testam porque os vjrus simplesmente são falácias farmacêuticas, não existem de todo, e esta é a única verdade que precisa ser conhecida.
Os "vjrus" não passam de exossomas, os quais podemos por analogia interpretar como uma espécie de "detergente" que elimina da célula toxinas, eles são um solvente de toxinas e comportam apenas e só material genético humano, do qual mais de 90% é bacteriano. São bactérias (entre elas a mitocôndria) que usamos nas análises genómicas a respeito de haplogrupos (estudos de população e ancestralidade).
Outra forma de accionarmos o exossomatismo é fragmentando as células, algo que é por norma levado a efeito em disco de Petri sob acção diversos fármacos, entre eles a tripsina, enzima pancreática que digere as células cultivadas artificialmente (a tripsina é equivalente a veneno de serpente).
Nunca um vjrus foi isolado a partir de fluidos supostamente contaminados, nunca se demonstrou que estes exossomas causem qualquer doença, bem pelo contrário.
As gripes são causadas por intoxicação electromagnética e têm geralmente os ciclos solares como principal factor; as constipações são processos de detox naturais realizados sob determinadas condições ambientais e orgânicas. A primeira é de carácter neurológico, a segunda é respiratória.
Já as zaragatoas não só provocam lesões mecânicas, como inserem óxido e etileno e óxido de grafeno na barreira sanguínea cerebral. Uma paciente minha nunca recuperou de uma zaragatoa realizada em Maio de 2020. Leucemias e outros cancros são expectáveis após o contacto com o óxido de etileno, já o grafeno provoca todos os sintomas atribuídos ao vjrus que nunca ninguém viu. O resto da cena é montada nos hospitais com recurso ao remdesivir que provoca falência renal e inundação pulmonar, erradamente interpretada como pneumonia bilateral, à qual se segue o ventilador. O resto é bem conhecido, são números no jornal da noite a semear o medo e a fomentar a divisão e a agressividade.
O ser humano está num patamar de consciência tão baixo, que para eu conseguir explicar às pessoas o que são exossomas, tenho de empregar o termo "vyrus", o único que elas conhecem.
Então vamos lá resumir: os vyrus são nossos amigos e não nossos carrascos."


domingo, dezembro 19, 2021

MULHERES & DEUSAS : HISTÓRIA E MITOS II

MULHERES & DEUSAS : HISTÓRIA E MITOS II: “Na pessoa de Enheduana, estamos na presença de uma mulher que foi ao mesmo tempo princesa, sacerdotisa, poeta, enfim, uma personalidade ...

as mulheres não entenderam a sua missão



“A DESTRUIÇÃO DO TECIDO SOCIAL É ANTES DE TUDO A DESTRUIÇÃO DA RELAÇÃO MÃE-FILHA, SENDO ESSE O SUSTENTO DE TODA A URDIDURA HUMANA, E COMPREENDER ISSO É COMPREENDER QUE ESSA MÁ RELAÇÃO MÃE-FILHA É A INTERIORIZAÇÃO BÁSICA, E MAIS PROFUNDAMENTE ARRAIGADA DENTRO DO SISTEMA" - Casilda Rodrigañez Bustos


Ninguém parece querer ver a urdidura de destruição social da Mulher na forma como a mulher e a mãe são atacadas sistematicamente até como mães. A forma como os Mídea e as Televisões atacam as mulheres vitimas de pobreza e de abandono, vitimais de violência doméstica, vitimas de todo o tipo de abusos e exploração social, familiar e sexual, quando em desespero de caso, como se tem registado ultimamente situações extremas de mães que matam os filhos à nascença, ou se tentam suicidar com eles ou os abandonam, sem sequer investigarem as causas e o desespero das mesmas.

Toda a gente, homens e mulheres caem em cima da mulher sem ver como a mulher está desprotegida socialmente e como ela é regra geral apontada como culpada secularmente, como essa essa ideia passa de forma subliminar nos filmes e nas histórias recentes, como a má da fita...ela é sempre a megera, a puta, a alcoólica ou drogada e a criança entregue ou salva pelo Pai herói que é impecável...e saudável, o Homem bom e dedicado pai...
Esta é a moral de quase todos os filmes e séries de Hollywood de há décadas para cá...Agora são os Gays que são os bons pais...e as mulheres mais uma vez as "putas" que vendem não só o sexo, mas, mais rentável, o útero, como "barriga de aluguer" - e a mulher continua a ser o elo mais fraco, a explorada e usada a todos os níveis incluindo as industrias farmacêuticas à conta do seu corpo ferido de morte por tanta infâmia perpetuada sobre si e o seu corpo...ou ainda as industrias da cosmética que as explora na sua fraqueza e inferioridade e complexos de culpa, que a instiga a ser bela para melhor ser usada pelo Homem...que cada vez mais a despreza abusa, viola e mata...
rlp


"Todas as mulheres que neste momento estão no planeta terra, têm uma função muito importante. Não é em vão, que a população é maioritariamente feminina, e não é em vão, que o planeta está a receber, maioritariamente, a polaridade da energia feminina.
A tradição cultural do planeta, a energia masculina predominou e foi utilizada de modo desequilibrado, foi utilizada através do poder, foi utilizada através da força.
Manifestou-se através de actos violentos, impôs no seio da família, a autoridade masculina.
Gerou profundos desequilíbrios, dores, dificuldades de relação, separação entre as famílias, separação entre os casais, separação entre os pais e os filhos, separação entre os amigos, separação!
E, vós mulheres, preocupastes-vos mais em igualar essa energia masculina, do que utilizar a vossa verdadeira energia, o vosso verdadeiro poder. Entendestes mal a vossa missão, não por culpa vossa, mas porque esse foi o sistema implantado, pelo uso desequilibrado da energia masculina.
Mas é o momento de parardes e é o momento de agirdes, de acordo com a vossa verdadeira essência. A energia feminina é o amor, a energia feminina é doce, é tranquila, é conciliadora, não é autoritária."
(...)
(autor desconhecido/a?)




quarta-feira, dezembro 15, 2021

A ALQUIMIA DA VIDA




"A minha alma é uma ponte entre o espirito e o corpo, como tal, conecta os opostos. Se eu não me mantenho centrada na minha alma não vou poder unir-me ao espírito, ou vou ficar estancada no plano material"
- Marion Woodman

O outro lado de mim...completa-me!

As pessoas teimam em separar o seu lado luminoso da sua sombra e pretendem ver-se só no lado da Luz…Pensam-se iluminadas como se a luz apagasse todos os traços da sua personalidade e a pessoa não tivesse mais de lidar com a sua sombra e o seu ego… e que essa luz só por si resolveria tudo. É como se o nascer do dia ocultasse todas as coisas sombrias que elas pensam como "más e negativas" e a noite fosse apenas um pesadelo a banir das vidas e do nosso dia e realidade...mas a VIDA em si é composta de dois lados e eles são concomitantes e estão presentes em tudo e a cada instante. Tanto como a dor está no prazer, a tristeza na alegria, e a noite no dia...ou no calor o frio, pois tudo tem duas faces e tudo o que temos a fazer é unir esses dois lados equilibra-los e integrar o suposto "bem e mal" que não são mais do que o oscilar da balança a pender por defeito para um dos lados apenas… Temos de nos centrar no Fiel da Balança… ou na nossa alma para atingir uma coesão existencial. Depois talvez possamos aceder ao plano espiritual por excelência, a uma Visão neutral das coisas. Negar os opostos, contudo, olhar só para um só lado de tudo porque nos disseram - as religiões - que isso era "o bem e o bom" é negar a ESSÊNCIA do mundo e da manifestação, é negar o principio do universo e do Tao. É negar a Alquimia da vida e a evolução da consciência… que se encontra mesmo ao Centro...no nosso Coração inteligente, num entendimento superior e que é apanágio de uma verdadeira humanidade.

rlp 

segunda-feira, dezembro 13, 2021

A “Via do Coração”

A FALSA PIEDADE...e a via do coração

"Toda a forma de altruísmo tem a sua contraparte de egoísmo.A Compaixão, pregada pelo Mestre Buda, é a comunicação com o sofrimento dos seres pela consciência da nossa solidariedade. Só sendo um amante verdadeiro, praticante do Amor impessoal, se é capaz, sem reflexo egoísta, unir assim o coração ao coração de outro ser humano e aligeirar, pela sua compaixão efectiva, o seu sofrimento.


Sofrimento não se deve confundir com dor. Uma dor é a consequência de uma desordem, ou de uma discordância entre uma impulsão inerente (instintiva) ao ser e uma impulsão pessoal (consciente).A dor pode ser o efeito de uma Karma ou de uma ignorância actual: porque a consciência pode encontrar um meio de evitar a dor de um sofrimento necessário.
A dor é uma reacção do ser pessoal físico ou mental.
O sofrimentos é uma luta pela tomada de consciência de uma falha entre o ser REAL desejável e o estado efectivo ; essa falha provoca uma tensão para encontrar o estado são;
Se há resistência nos elementos pessoais (fiscos ou morais) há dor:
Se há uma aceitação consciente, a dor pode ser eliminada e reduzida ao sofrimento, quer dizer á necessidade da provação (lição) e de cuja reacção vital pode mesmo tornar-se em prazer.
O sofrimento é a escola da consciência que não pode ser adquirida sem ele.
A Compaixão aceita passar as provas do seu sofrimento humano para melhor as transmutar: esse é um gesto de puro Amor.

A piedade é um reflexo pessoal diante da dor do outro apreciada pelo eu (pequeno); é a reacção do humano (inferior) que receia por si mesmo ter uma dor semelhante, ou então é a condescendência do benfeitor que se desculpa, por esse gesto de ser privilegiado.
Em todos os casos, é a impressão relativa da sua própria sensibilidade, uma apreciação pessoal (egoica).
Como é que o homem ignorante poderia decifrar a multiplicidade das causas e dos efeitos? Os senhores da compaixão que oferecem a sua beatitude para minorar o sofrimento humano, não tirariam a ninguém as provas (lições) necessárias para a sua evolução.
Estas palavras revoltarão aqueles que fazem parte “deste mundo”, porque eles praticam a piedade a fim de eles mesmos beneficiarem dela directamente (paga pelo bem que fazem). É por isso que é importante diferenciar a piedade arbitrária e a falsa caridade do altruísmo compassivo e desinteressado.

A natureza não tem qualquer piedade; ela obedece as directivas “providenciais” do seu Devir. Cada animal segue as leis da sua espécie , sem piedade pela espécie que captura e que assegura a sua sobrevivência; mas fora desta caça necessária, encontramos numerosos exemplos de atitudes altruístas que nos homens se atribui logo à piedade: devotamente de uma fêmea para com as crias de outra mãe…cuidados de alimentação levadas pelos seus congéneres a um animal ferido…sacrifício do individuo que expõe a sua vida para defender os jovens da sua tribo…
A característica deste altruísmo é que ela obedece a uma certa consciência inata de solidariedade animal, na qual não intervém nem cálculo nem juízo. Não existe piedade, mas justiça no sentido de obediência a uma lei da espécie (e que é inerente a todos animais e humanos).

O Ser Humano estando no cimo do reino animal (instintivo), encontra-se numa situação intermediária entre esta animalidade e o reino superior (sobre-humano) da qual a suprema qualidade é a totalidade das consciências da Natureza, e a consciência das suas consciências.
Entre os dois estados extremos, o ser humano ocupa uma situação incerta, entre a sua consciência instintiva obnubilada pelo seu mental, e a consciência espiritual cujo germe, escondido nele, não se encontra desenvolvida.
Neste estado intermediário em que o ser comum (que reage automaticamente ao instintivo animal) ele julga-se senhor da sua consciência cerebral, e tem a ilusão dirigir os seus actos e os seus sentimentos por um livre arbítrio aparente.

Na realidade, esse livre arbítrio não é senão a possibilidade de escolha entre obedecer ao chamado do reino (consciência) superior ou a obediência à lei do animal humano ao qual pertence o seu ser (consciência) inferior.
De acordo com a sua submissão a uma ou a outra destas directrizes, ele pode elevar a sua consciência ao sobre-humano ou sofrer a lenta evolução do animal humano.
(…)
Quanto ao altruísmo causado por um sentimento real de solidariedade provocado pelo sofrimento de alguém, pode haver duas fontes. A primeira é a consciência instintiva da solidariedade da espécie (animal e humana): é o altruísmo do animal e o do ser humano que escutam a sua consciência inata. A outra fonte, que é a consciência da solidariedade espiritual da Humanidade, é um grau superior deste altruísmo quando totalmente isenta de egoísmo, e que é a mais alta compaixão, impessoal e desinteressada. A “Via do Coração” é a que conduz directamente a ela.”
(…)


DE ISHA SCHWALLER DE LUBICZ – IN L’ OUVERTURE DU CHEMIN (tradução livre do francês...os parenteses em itálico são meus rlp)

Non cogitat qui non experitur...




"A sabedoria do amor consiste na aprendizagem pelo sofrimento, do prazer nele contido.
 Ana Hatherly

Quando se entende a essência do sofrimento - é por isso que ele existe - e integramos a nossa quota parte dele podemos sentir o sofrimento dos outros e sentir compaixão e não apenas a dor...é como transmutar a dor em amor-conhecimento...
rlp


Aprender a viver sem as pessoas e os afectos é difícil...assim como é ainda mais dificil viver entre afectos, pois estamos todos/as envolvidos dentro de um quadro de relacionamentos muito vasto e a todos os níveis do convívio humano, seja no meio da família, emprego, escola universidade, e parece que só assim crescemos, no meio dos outros...Acho que ninguém pode fugir a isso...mas podemos à medida que consigamos entender o nosso sofrimento profundo - porque é que os outros nos afectam tanto e nos fazem sofrer desde que nascemos, e a saber depois se é deles ou nosso o problema?
Tudo porque desde que nascemos queremos o amor de alguém? Da mãe do pai do irmão e depois do namorado e amante ou filhos e netos? Não podemos fugir a isto porque é dentro de um contexto humano que também vamos aprendendo e superando aquilo que nos afecta nas relações em geral, é dentro delas que vemos o que nos move pelas carências e paixões e devaneios mas é através da consciência dos nossos complexos e traumas que podemos aprender a não depender tanto delas...Na verdade, e infelizmente, as vezes tarde demais, é que percebemos que sofremos porque passamos a vida a querer que as pessoas fossem como nós esperávamos, ou as coisas fossem como necessitávamos...
Contudo, quando se entende a essência do nosso sofrimento e solidão - e a razão porque ele existe - e integramos a nossa quota parte dele -...podemos então sentir como nosso o sofrimento dos outros sem que porém ele nos afecte porque esse sofrimento se evoluímos de verdade se transforma em compaixão e não ficamos limitados apenas à dor-prazer e ao ciúme-raiva...É como transmutar a prazer-dor-sofrimento em amor-conhecimento... 

Não, não sou uma daquelas pessoas que pensa que tudo tem de ser curado e que há terapias ou mezinhas e remédios para tudo. Prezo e respeito o sofrimento em si como expressão natural do meu ser a nivel fisico mental e animico, face a uma realidade vasta e por vezes confusa e caótica: uma realidade (tanto interior como exterior) tantas vezes dramática ou trágica onde nada é realmente como pensamos, sonhamos ou idealizamos e por isso respeito e suporto o meu sofrimento sem medo e no caso das outras mulheres em geral, eu respeito o seu sofrimento quase como uma coisa sagrada, sem o querer mudar ou apagar...
O sofrimento é uma forma de se conhecer e é importante para a Mulher se regenerar ao contrário do que apregoam as medicinas e "terapias" de consumo, atacando e alterando as mudanças naturais porque a mulher passa na adolescência maternidade e menopausa...
O sofrimento, no aspecto fisico, tal como a doença não é aleatório nem opcional, ele é uma manifestação natural que avisa e dá sinal do que está mal ou do que falta consciencializar...
Porque "No meio do sofrimento consciente existe já a transmutação. O fogo do sofrimento transforma-se na luz da consciência. O ego diz: "Eu não deveria ter que sofrer", e esse pensamento aumenta nossa dor. Ele é uma distorção da verdade, que é sempre paradoxal. A verdade é que, antes de sermos capazes de transcender o sofrimento, precisamos aceitá-lo conscientemente."
(...) Ekarte Tolle
Por isso digo que precisamos do sofrimento para evoluir, pois "Non cogitat qui non experitur" (não sente quem não experimenta).

rlp

O Patriarcado interior vive na mulher...



As mulheres comuns acham normal estar sempre a pensar nos homens e sempre em primeiro lugar...foi isso que as suas avós ensinaram às suas mães...a "função" da mulher é servir o homem e o seu deus...e elas não esqueceram, continuam fiéis ao patriarcado! rlp



"Vivemos numa sociedade androcêntrica que vê o mundo desde o olho masculino. Basta ver como nos dias de hoje existem culturas que consideram as filhas inferiores aos filhos entre mil outros exemplos. O que a mãe diz... a linguagem da experiência... carece de importância é muito mais apreciada a linguagem de análise do pai. Nem sempre somos conscientes disto pois a nossa voz interior e instintiva foi dopada durante anos e anos. Quando nos impingem uma voz interior que faz o papel de crítico afastamo-nos da voz selvagem e instintiva inerente a mulher (esta voz nas mulheres surge como o Patriarcado Interno) concedendo espaço e realização as ideias e opiniões de orientação tradicionalmente masculinas e retira interesse e importância as tradicionalmente femininas. O Patriarcado interior é o reflexo da sociedade (mas também do teu processo pessoal). O melhor a fazer é identificar a voz desse crítico interior, dar-lhe nome e depois manda-lo de férias! E depois voltares a olhar-te ao espelho!"

in Facebook -Via Luiza Frazão




sábado, dezembro 11, 2021

NÃO MEXAM COM A MÃE...

 




Esta imagem dúbia de aparentemente um "homem" grávido é uma imagem que em nada gratifica a MATERNIDADE nem a Mulher...O que vemos é como uma mulher nascida mulher se transformou nesta criatura hibrida e insana que cortou os seios - mudou de sexo - que na verdade se esquartejou, mas que continuou com UTERO e só por isso pode gerar um filho e esse filho nunca será um ser normal ou equilibrado pois nasce de um ser cujos distúrbios e inconsciência promove esta espécie de vida... egoica e narcísica, desprovida de sagrado!


rlp




E AGORA MÃE? OS NOVOS MITOS ( reescrevendo)
A MÃE DOS ROBOTS!*

(*excertos publicados por Michelle Queirós)

"É preciso considerar que a essência ou princípio feminino NÃO PODE SER ENTENDIDA ATRAVÉS DE UM ESTUDO INTELECTUAL OU ACADÊMICO. A ESSÊNCIA ÍNTIMA DO PRINCÍPIO FEMININO não se permite tal ataque, o sentido real da feminilidade sempre escapa ao interrogador directo."
In OS MISTÉRIOS DA MULHER
M. ESTHER HARDING

ABERRAÇÃO?

"A destruição da identidade macho e fêmea, do Homem e da Mulher." RLP

A ABOMINÁVEL MÁSCARA DO DESTINO*

A MÃE É INCORRUPTÍVEL

"Uma mulher é uma mulher... é uma mulher!" RLP

"A Deusa, quando venerada como personificação da terra, automaticamente preside... a tudo o que nasce e é produzido desde o seu interior. Ela ganha forma e personalidade humanas..."
Cristina Aguiar in "As Máscaras da Grande Deusa"

NÃO MEXAM COM A MÃE...

"As pessoas podem ser gays e lésbicas e transexuais ou fazer o que quiserem com o seu corpo e o seu sexo... e até inventarem mil maneiras de prazer, inverter toda a ordem das coisas, MAS RESPEITEM A MULHER E A MÃE, porque SEM MÃE não há vida... Sem mãe não se nasce nem se morre..." RLP

REPODUCTIVE ROBOTS

"A PERDA DA IDENTIDADE FEMININA deu numa cópia caricatural do homem...
Tenho pensado muito em como as mulheres quase todas, excepto algumas raras excepções, estão completamente aprisionadas no Sistema patriarcal e como muito dificilmente sairão dele sozinhas...
Mas não posso deixar de ver as coisas como elas são, sem artificios e mentiras ou desculpas. Vejo hoje que é impossivel para uma mulher sozinha libertar-se e ser uma mulher consciente de si dentro do Sistema patrista. A batalha é mortal... e a mulher que não cede é morta ou anulada de muitas maneiras. AS que sobrevivem aos golpes duros do olhar alheio que julga e condena são muito poucas..."
Rosa Leonor Pedro in Mulheres e Deusas Blog

"Ah! Podem voar mudos, morrer astros,
Que tu és como Deus: Princípio e Fim!"

Florbela Espanca in Livro de Soror Saudade - 1923

IDÉIAS, TEXTOS E METÁFORAS RETIRADOS DO BLOG E OU FACEBOOK DE ROSA LEONOR PEDRO - ROSA MATTER ... MULHERES & DEUSAS BLOG - michelle queirós

sexta-feira, dezembro 10, 2021

CAMINHAR NA SOLIDÃO...



SOBRE O CAMINHO DO DESPERTAR...

Muito grata Rosa, pela partilha deste texto, sobre o caminho para o despertar... Na verdade (na minha óptica) não há despertar sem des-ilusão...implica um amadurecimento , há uma necessidade de despir de ilusões, para um olhar desperto para verdade e na luz do coração...estas des-ilusões conduzem ao caminho da plenitude no ser...e na verdade tudo o que des-iludimos e des-apegamos não nos faz falta ,nem nos serve ao propósito de cada um.
A dor, a solidão , a quebra de várias crenças, fantasias e ilusões...desfazer uma certa inocência , é o caminho necessário, diria (quase) "plutónico", para a maturidade , individualização , consciência e integração da totalidade...neste contexto feminino, surge no meu pensamento o mito de Perséfone...

Sinto também uma poesia nas travessias solitárias, dolorosas no caminho na travessia da profundidade das noites escuras do submundo...sinto também uma certa beleza nas aprendizagens, na transformação do resgate de luz e poder pessoal, que torna possivel o renascimento mais integrado , pleno, mais conectado com a essência e divindade e sacralidade dos processos...Além de que de certa forma sentimo-nos sozinhos , mas é apenas uma ilusão do sentimento de pertença e controlo do ser humano...na verdade sinto nos apenas peças cósmicas, e não visível, mas somos observados e de certa forma protegidos nessas mesmas travessias.
Obviamente numa sociedade actual, dissociada de si próprio e que encontra a sua identidade no consumo, no poder/posse, na gratificação, desejo e medo, tentativa de controlo e antecipação, da expectativa e a ilusão de realização dessa mesma expectativa...Desfazer tudo o que nos é incutido de forma social, educacional, geracional, e até de certa, forma ancestral porque atravessa séculos de crenças...O desapego, a desi-lusão é sentida de forma tremendamente solitária e dolorosa...e para a maioria sem visão e consciência cósmica
Um grande bem-haja pela abundância aqui partilhada

Elishaim-Carlota de Aragão Fernandes

quinta-feira, dezembro 09, 2021

UM CRIME CONTRA A MÃE E A VIDA

 




A ABOMINAÇÃO:

Que se poderá dizer desta imagem e de quem a promove e em nome de quê?
Esta imagem pretensamente des-construtora da familia e do género (o rosa e o azul invertidos) é apenas repugnante e triste... que criaturas sem mãe e sem amor nenhum (isso é verdade) podem criar esta cena de forma tão cretina.
Não sou cristã, mas esta aberração sendo um atentado à natureza do sagrado que evoca a imagem, é-o também à natureza humana e à integridade da Mãe e do Pai e da Criança! Isto parece-me um crime punível da maior severidade. Ver isto, consentir isto, em nome do "politicamente correcto" é o veredicto da INSANIDADE HUMANA a que se chegou! A destruição da identidade macho femea, do Homem e da Mulher. Quem promove isto é criminoso!

rlp

A CAUSA DO DESIQUILIBRIO HUMANO ACTUAL

"A sociedade patriarcal valoriza e promove apenas os aspectos masculinos, subestimando e até mesmo reprimindo os aspectos femininos. O resultado é que a mulher se esvazia, perde sua identidade feminina essencial e se torna uma “cópia” caricatural do homem; o homem, por sua vez reduzido à masculidade bruta e unilateral, perde a ligação com os valores femininos do seu mundo interior e passa a ter uma relação opressiva para com a mulher. Como restaurar a feminilidade, despontenciando a unilateralidade do mundo patriarcal, a fim de reequilibrar a identidade psicológica dos sexos e planificar a relação entre o homem e a mulher?"

In AMOR E PSIQUE (autor ?)


quarta-feira, dezembro 08, 2021

conectados em propósito e em espírito...




DESPERTAR: CAMINHO SOLITÁRIO...

 
*Solitário, mas não sozinho na difícil estrada do Despertar*

“A todos os meus amigos que sabem o que realmente está acontecendo ... a todos os meus amigos teóricos da conspiração ... sim, às vezes é uma maldição e nem sempre uma bênção estar acordado. 
Despertar é a jornada mais libertadora, alienante, excruciante, fortalecedora, solitária, confusa, libertadora, assustadora e expansiva.
Se você se encontrar a lutar enquanto tenta processar toda essa insanidade, você não está sozinho. 
Ninguém fala sobre a escuridão que acompanha o despertar ou a tristeza. 
Não apenas lamentar a vida e as ilusões que você já teve, mas também a compreensão de que quase tudo que você pensava que sabia é uma mentira. 
As crenças que você defendeu, as pessoas em quem confiou, os princípios que aprendeu - tudo mentiras. 
Destruir ilusões raramente é uma experiência agradável. Há uma quantidade considerável de desconforto que surge com o crescimento, e o processo de luto não pára por aí. Com essas novas descobertas, você se encontra sofrendo tudo outra vez. 
Chorando pelos nossos filhos, conhecendo muito bem o mundo quebrado que eles estão a herdar. De luto pela perda de muitos relacionamentos com pessoas que simplesmente não entendem.
Sentindo-se sozinho, sendo ridicularizado e envergonhado, não apenas pelas massas, mas muitas vezes pela sua própria família e amigos também. 
Sentir que não tem mais muito em comum com as pessoas que o cercam. Lutando para manter conversas banais, superficiais e sem substância com aqueles que ainda estão a dormir. Mesmo se sentindo desconectado de todo o seu sistema de suporte, porque eles não podem ver o que você vê com tanta clareza. 
Alguns até lamentam a perda de sua ignorância porque 'a ignorância é uma bênção' e a realidade é dura. 
O despertar pode ser uma estrada solitária e muitas vezes você se verá viajando sozinho. 
Não há como adoçar - despertar para a realidade deste mundo é brutal. Isso fará com que você percorra toda a gama de emoções humanas. Você tem que dominar a arte de mergulhar na mais escura das tocas de coelho apenas para sair e ainda funcionar na vida diária, e essa é uma habilidade sobre a qual as pessoas não falam o suficiente. 
Alguns de vocês estão lutando para se sentirem conectados à família e aos amigos, mas é como se eles estivessem noutro mundo.
Por favor, saiba que você não está sozinho, e não apenas você não está sozinho, você tem uma tribo inteira ao seu lado. 

*Podemos estar separados por quilômetros, mas estamos profundamente conectados em propósito e em espírito* ".
Autor Desconhecido

terça-feira, dezembro 07, 2021

a visão do coração

 


Carlota de Aragão Fernandes

NA CONCHA DO CORAÇÃO



Ó Minha Bem Amada


"Eu procurei-te mas não consegui encontrar-te; gritei bem alto do cimo do minarete; toquei os sinos do Templo ao nascer e ao pôr do sol...Procurei-te pela Terra inteira; procurei-te nos Céus ó minha Bem Amada e de tanto procurar-te...encontrei-te enfim dentro de mim, como uma pérola, escondida na concha do meu coração."

Hazrat Inayat
Gayan, Vadan, Nirtan

 




domingo, dezembro 05, 2021

... o medo medieval de fantasmas. É o medo dos germes.


  MEDO DE FANTASMAS...

"As pessoas hoje são assombradas por um medo que podemos comparar com o medo medieval de fantasmas.
É o medo dos germes. Objetivamente, ambos os estados de medo são os mesmos. Ambos se encaixam na respectiva idade: as pessoas da Idade Média tinham uma certa crença no mundo espiritual; portanto, naturalmente, tinham um medo de seres espirituais. A era moderna perdeu essa crença no mundo espiritual; ela acredita em coisas materiais. Tem, portanto, um medo de seres materiais...
No entanto, o ponto importante que queremos fazer hoje é que os germes só podem tornar-se perigosos se lhes for permitido florescer. Os germes não devem ser autorizados a florescer. Até os materialistas concordarão com esta afirmação, mas não concordarão mais conosco se prosseguirmos mais e, do ponto de vista da ciência espiritual adequada, falarmos sobre as condições mais favoráveis para os germes.
Os germes florescem mais intensamente quando não levamos nada além de pensamentos materialistas para dormir connosco. Não há melhor maneira de incentivá-los a florescer do que entrar no sono apenas com ideias materialistas, e depois trabalhar do mundo espiritual com o ego e o corpo astral naqueles órgãos que não fazem parte do sangue e do sistema nervoso.

O único outro método que é igualmente bom é viver no centro de uma epidemia ou doença endémica e não pensar em nada além da doença por todo o lado, cheia apenas de medo de adoecer. Isso seria igualmente eficaz. Se o medo da doença é a única coisa criada em tal lugar e alguém vai dormir à noite com esse pensamento, produz afterimagens, imaginações impregnadas de medo. Esse é um bom método para cultivar e nutrir germes. Se este medo pode ser reduzido ainda que um pouco por, por exemplo, amor ativo e, enquanto cuida dos doentes, esquecendo-se por um tempo que também pode estar infectado, as condições são menos favoráveis para os germes. "


Rudolf Steiner #rudolfsteiner

A ETERNA ILUSÃO D@ OUTR@





O AMOR DE ALGUÉM É FUGAZ - UM MERO VISLUMBRE...de algo que nos escapa sempre. O "outr@" é TÃO SÓ uma miragem...

"Olhava este momento que ia desaparecer, com saudade – porque nunca mais se repetiria no mundo. Nunca mais outro segundo igual nem na luz, nem na vibração, nem na ternura…
O momento em que me sorriste, baloiçado entre o nada e o nada, nunca mais se voltaria a repetir, idêntico e completo, em todos os séculos a vir! Estava ali a morte… está aqui a vida. Agora pergunto a mim mesmo se te deixo morrer; e a pergunta obsidia-me e exige resposta imediata. Sei tudo, tudo o que me podes dizer – já eu o disse a mim próprio. Até hoje falava a alguma coisa que me ouvia, hoje só interrogo a mudez, só a mim próprio me interrogo." - raul brandão


A consciência inata



"A Inteligência do Coração, que estabelece a relação da Consciência inata com a observação do facto, é a Identificação.
Identificação significa viver com e no feito observado, sermos nós próprio o feito, experimentar e actuar, sofrer, alegrar-se com ele. Esta é a “Consciência Simpática” e não uma consciência subjectiva que a lógica pretende opor à Consciência objectiva. Sem dúvida, presta-se a confusões: a consciência cerebral se inscreve de maneira cerebral como acabamos de dizer e a Consciência inata inscreve-se na natureza dos organismos, ou seja, que o móbil da sua função é o impulso da sua necessidade, a Ideia o princípio de Harmonia. No ser humano, no animal superior, isto cria a emotividade.
Quanto maior é a sensibilidade emotiva, melhor se pode expressar a Consciência inata. Se o feito observado provoca uma “sensação”, uma reacção tipo egocêntrico, com que estamos ante a consciência subjectiva. Se o feito é observado por uma pessoa em estado de neutralidade, um estado impessoal, estamos diante da Consciência simpática. Daí todos estes problemas se resolvem numa cultura que implique um desprender-se do egoísmo e do domínio da parte mental (do filme cerebral)."
(...)
in “ESOTERISMO E SIMBOLISMO” De: R.A. SCHWALLER DE LUBICZ


O questionar é o princípio da compreensão.

"Todo o crescimento causará grandes distúrbios que conduzem a uma transformação imensurável. Não há que ter medo de perder o equilíbrio temporariamente quando o movimento de crescimento holístico se põe em marcha pelo vosso questionar. Quando ocorre uma investigação genuína sobre o que é a verdade, sobre o significado da vida, põe-se em marcha um processo de transformação.
O questionar é o princípio da compreensão. Toda a investigação, toda a exploração, se é genuína e honesta, mudará com certeza o “status quo” interior, transformando a natureza da vossa relação com a família, os amigos, a sociedade. "

VIMALA THAKAR


sexta-feira, dezembro 03, 2021

O mundo em queda de novo





UM OLHAR CÉPTICO

- Sempre que escrevo procuro algum tema fulcral ou com um sentido mais fundo ou algo que seja estimulante e esperançoso principalmente para nós mulheres... 

Ultimamente porém, tenho tido as maiores dificuldades em encontrar essa nota ou poema que eleve a minha alma ...essa frase que me estimule e ajude a acreditar que vamos superar este momento caótico que a humanidade vive. 

Olho e vejo que a grande maioria das pessoas do mundo está completamente adormecida e alienada, sem que se aperceba minimamente do que está em curso e esta aberrante mudança social baseada nas restrições e proibições, aceitando como normal o uso das mascaras e o medo... E é precisamente isto o que mais me apavora... a aceitação passiva de todas as restrições humanas e sociais, a perseguição uns dos outros, sem que ninguém pense ou use o raciocínio para analisar as contradições e paradoxos do Sistema que nos informa ou manipula conforme as suas conveniências e nós nem sabemos quais são os verdadeiros perigos... 

Estamos todos suspensos e não é só o Eclipse da Solar, dia 4 de dezembro ... o que ele pode trazer ou mudar para as consciências humanas?

Estamos sem destino nem direcção... divididos e angustiados -  pessoas de um lado e do outro, acusando-se e banindo-se da vida uns dos outros, amigos, familiares, filhos e amantes. Uma nova segregação humana está a acontecer... em nome da saúde e do medo... acabou a liberdade individual pela opressão do colectivo e sua cegueira de massas acéfalas que seguem como carneiros o mentor ou politico ou o religioso, o médico ou o cientista e NÃO A SUA CONSCIÊNCIA que não têm..  

O mundo em queda de novo... e quando e como sairemos desta guerra invisível e silenciosa?

Quando acabará este filme de ficção cientifica que nos aterroriza a todos? 

rlp 

quarta-feira, dezembro 01, 2021

ESTAMOS DENTRO DE UM FILME DE FICÇÃO CIENTÍFICA...

 



Eu não estou a julgar ou a condenar essas mulheres!


A PERDA DA IDENTIDADE FEMININA deu numa cópia caricatural do homem...

"A sociedade patriarcal valoriza e promove apenas os aspectos masculinos, subestimando e até mesmo reprimindo os aspectos femininos. O resultado é que a mulher se esvazia, perde sua identidade feminina essencial e se torna uma “cópia” caricatural do homem; o homem, por sua vez reduzido à masculinidade bruta e unilateral, perde a ligação com os valores femininos do seu mundo interior e passa a ter uma relação opressiva para com a mulher. Como restaurar a feminilidade, despontenciando a unilateralidade do mundo patriarcal, a fim de reequilibrar a identidade psicológica dos sexos e planificar a relação entre o homem e a mulher?"
in A GRANDE MÃE de Erich Newmann


Tenho pensado muito em como as mulheres quase todas, excepto algumas raras excepções, estão completamente aprisionadas no Sistema patriarcal e como muito dificilmente sairão dele sozinhas... 
Durante muitos anos lutei por uma verdadeira emancipação da mulher para fugir à tutela do homem e ser ela mesma senhora da sua vontade e desejos... E acreditei que as mulheres poderiam se quisessem sair de situações que as oprimiam ou impediam de ser livres,  seja a nivel sexual, emocional ou económico, e poderem assim serem elas mesmas, sem ficarem presas ao modelo e sempre condicionadas pela família com as  suas pressões morais e  sociais de como uma mulher deve ser ou da pressão de um marido manipulador que asfixia e violenta... e não falo apenas de maus maridos ou de homens déspotas e manipuladores, a grande maioria, mas até de casamentos concertados - modernos, democráticos ...digo de "igualdade" em que ele lava a loiça e não chateia nada se sais com amigas...- a fim de manter uma estabilidade (de conveniência) de segurança emocional e económica ou mesmo sexual. Em que ambos fazem as suas concessões... e até parecem felizes, mas vendo bem as coisas são só para manter as aparências. Para facilitar a vida segundo as normas em vigor. 
Eu não estou a julgar ou a condenar essas mulheres! Eu sei como é... Eu sei o que vivi e como vivi. E é por isso que faço estas considerações. Se consegui ser livre foi porque a vida conspirou a meu favor...no mal e no bem. 
O que mudou em mim e na minha convicção é que não vejo hoje grandes possibilidades da mulher se tornar plena ou total em si, integra e auto-centrada...como eu sonhei e escrevi -  e tudo isto porque ao fim de tantos anos poucas mulheres, das dezenas que eu conheci,  conseguiram vencer sozinhas ou tiveram coragem para superar os múltiplos obstáculos e pressões que sofreram, seja serem perseguida por chefes no emprego, seja serem olhadas pelos colegas e amigos como sendo disponíveis ou oferecidas, seja criticadas pela familia que suspeitam sempre de uma mulher só, e dos predadores em geral que estão sempre atentos a presa...
 
Conheço algumas mulheres que tentaram e foram sinceras. Elas fizeram tudo o que supostamente poderiam fazer para sair dessa prisão, lutando por uma independência pessoal e mudar o rumo das suas vidas fosse a nivel económico  e social;  lutaram para fugir a uma situação que as aprisionava, que as tinha esgotado, para serem realmente livres e poderem assim viver uma vida por si mesmas e fazer as suas escolhas começando por se libertarem de um casamento falhado, e no fim, quase todas, se viram obrigadas a voltarem para um casamento desfeito ou acabado, muitas já divorciadas, só para garantir a sobrevivência, manter uma reputação, uma segurança ou manter os filhos protegidos. Ou porque não se aguenta a solidão e se necessita de algum afecto na velhice... 

Não, eu não estou contra essas mulheres. Eu compreendo-as. Mas não posso deixar de ver as coisas como elas são, sem artificios e mentiras ou desculpas. Vejo hoje que é impossivel para uma mulher sozinha libertar-se e ser uma mulher consciente de si dentro do Sistema patrista. A batalha é mortal... e a mulher que não cede é morta ou anulada de muitas maneiras. AS que sobrevivem aos golpes duros do olhar alheio que julga e condena são muito poucas...

rosa leonor pedro 

NOTA A MARGEM:

Estamos perante uma realidade em que assistimos impotentes a um RETROCESSO CULTURAL SEM PRECEDENTES na História da Humanidade - estanques as mentes num status quo evolutivo, em que as pessoas na sua grande maioria, manipuladas pelos Midea e as fake news no mundo inteiro, regrediram todas, voltando a um medo ancestral e atávico da morte (ah a Peste...) e com medo de perder esta vidinha falsa, de comodismo e consumismo, e de futilidade em que vivem, voltaram ao seu nível mais primitivo e estão dispostas a matar para salvar a pele carcomida de vermes invisíveis...
rlp