segunda-feira, dezembro 30, 2019

LILITH - A MULHER PRIMORDIAL

EM BREVE ANUNCIAREI A DATA E LOCAL DO LANÇAMENTO DO MEU LIVRO  e darei mais informações!
rlp

"Ela é a virgem eterna, o que não quer dizer intocada, mas sim a que não vive sob o domínio do homem ." (Agustina Bessa-Luis)

Ela é a mulher que se pertence, ela é una em si - senhora do seu corpo e dona da sua alma...
Ela não pertence a ninguém, não serve mestres nem senhores, não conhece donos, nunca foi escrava, porque foi sempre suprema e fiel a si mesma.
Lilith foi a Mulher que era para ser e não foi - todas as mulheres deste mundo se submeteram à condição da pálida Eva...costela de Adão...submissa e culpada foi dividida pelo Homem e o seu Deus.

Lilith é a Mulher que há-de vir do Futuro, una em si e senhora de si mesma, a que nunca conheceu divisão...porque Ela É igual à deusA...




rosaleonorpedro
Do livro Lilith A MULHER PRIMORDIAL a publicar em breve...

A MULHER ORIGINAL, CÓSMICA



"A mulher é o construtor primordial, o verdadeiro Primeiro Motor. "

"É correcta a identificação mitológica entre a mulher e a natureza.
O contributo masculino para a procriação é fugaz e momentâneo.
A concepção resume-se a um ponto diminuto no tempo, apenas mais um dos nossos fálicos picos de acção, após o qual o macho, tornado inútil, se afasta.
A mulher grávida é demonicamente (diamon), diabolicamente completa.
Como entidade ontológica, ela não precisa de nada nem de ninguém.
Eu defendo que a mulher grávida, que vive durante nove meses absorta na sua própria criação, representa o modelo de todo o solipsismo, e que a atribuição do narcisismo às mulheres é outro mito verdadeiro.
A aliança masculina e o patriarcado foram os recursos a que o homem teve de deitar a mão a fim de lidar com o que sentia ser o terrível poder da mulher.
O corpo feminino é um labirinto no qual o homem se perde.
É um jardim murado, o hortus conclusus do pensamento medieval, no qual a natureza exerce a demónica feitiçaria.
A mulher é o construtor primordial, o verdadeiro Primeiro Motor.
Converte um jacto de matéria expelida na teia expansível de um ser sensível, que flutua unido ao serpentino cordão umbilical, essa trela com que ela prende o homem."



Camile Paglia - in Personas sexualis

O poder da mulher que lhe foi extripado...



A SERPENTE  É LILITH...

"A mulher e a Gênesis e a sua sexualidade.

A serpente  aparece representada com frequência na antiguidade, era o símbolo da sexualidade da mulher, a representação da volúpia, da vida e da fertilidade impulsionada pela libido e os desejos da mulher.

Na Gênesis, que coincide com a data que marca a generalização da revolução patriarcal, a serpente torna-se o símbolo do mal que induz o pecado ao desobedecer ao Senhor, que representa o bem. O senhor condena Eva e a todas as mulheres por se deixar seduzir pelas serpentes e a parir com dor e a viver sob o domínio do homem.

Com o triunfo do patriarcado e a ligação da serpente  à mulher, aparece a nova ordem simbólica: O Olimpo enche-se de deuses e esculápio, Deus da medicina, apodera-se da serpente, que hoje tal como um  troféu de guerra ainda se exibe nas montras de farmácia.

O controle da capacidade reprodutora da mulher implicou a aparentes dos seus desejos e a eliminação da sua libido para fazer funcionar o seu corpo escravizado e robótico de acordo com os fins específicos da nova ordem patriarcal: Reproduzir escravos e guerreiros, bem como escravas e futuras mães insensíveis.  Ao sofrimento da sua prole; em vez da vida exuberante e pacífica que chegou a existir nos palácios das sociedades matricéntricas do neolítico.

O prazer que acompanha as funções sexuais e que das relações de apoio mútuo como garantia da conservação da vida, ou seja, o princípio do prazer, é cortado e as funções sexuais são feitas com dor.

O corpo rígido da mulher, cortado e os sons emitidos pela serpente que a animava, fica nas mãos da medicina, a ciência que se ocupa dos corpos devastados das mulheres que têm sido privados da sua capacidade de autoregulação.

Do Histeron (útero) à histeria (doença das mulheres submetidas à ordem patriarcal). Das orgias com cogumelos e cravagem de centeio, à ocitocina injetada na veia sobre as mesas hospitalares: o mesmo órgão, a mesma química, mas desprovidos da sua essência vital, do desejo da mulher, da SERPENTE. .

---- texto adaptado de casilda rodrigáñez ----



ANO NOVO?



Novo Ano

"Eu desejaria que o Novo Ano trouxesse no ventre morte, peste e guerra. Morte à senilidade idealista e à retórica embalsamada; peste para um certo código cultural que age sobre os grupos e os transforma em colectividades emocionais; guerra à recuperação da personalidade duma cultura extinta que nada tem a ver com a cultura em si mesma.
Eu desejaria que o Novo Ano trouxesse nos braços a vida, a energia e a paz. Vida o suficientemente despersonalizada no caudal urbano ...para que os desvios individuais não sejam convite ao eterno controlo e expressão das pessoas; energia para desmascarar o sectarismo da sociedade secularizada em que o estado afectivo é mais forte do que a acção; paz para os homens de boa e de má vontade."



(31 de Dezembro de 1979)
Agustina Bessa-Luís, in 'Caderno de Significados'

domingo, dezembro 29, 2019

ANO NOVO ANO VELHO?


REFFLEXÃO DE FIM DE ANO


"O cristianismo copiou o judaísmo. E o islamismo copiou o cristianismo e o judaísmo. São plágios, mas o monoteísmo é original. É a suposta aliança entre Deus e o povo judaico. Segundo os judeus, Deus os mandou rezar toda manhã, e os homens têm de dizer: “Graças a Deus que não sou mulher”. E as mulheres dizem: “Graças a Deus, eu sou o que sou”
. E ambos devem agradecer por não serem gentios ou escravos. Mas isso não foi criado por Deus, mas pelos homens. Pelos homens, para ser exato, do sexo masculino. Assim eles mantinham as mulheres em seus lugares. Assim é fácil. Só um idiota não vê isso. Deus não decidiu isso. Os homens usaram a religião para controlar as mulheres. No entanto, o impulso por controlar as mulheres existiria mesmo que não acreditassem em Deus. Só que seria mais difícil convencer as meninas de que elas eram propriedade dos homens se não dissessem que esse era o desejo de Deus. Dizendo que era o desejo dos homens, elas não ficariam surpresas. Dizendo que era a vontade de Deus, elas poderiam aceitar, como a exemplo da existência de escravos. Deus quer que haja escravos. É diferente de os homens quererem possuir outras pessoas. Então, com o uso da religião, com a invenção da divindade, você pode disfarçar o que obviamente seria uma ditadura débil e hipócrita criada pelo homem. "
- Cristopher Hitchens

****


A ARCA PERDIDA

BREVE VISÃO E SUMÁRIA DA VIDA HUMANA NA TERRA


Todas as pessoas de um modo geral buscam consciente ou inconscientemente convencer ou manipular alguém. Mas só entende e o percebe quem estiver muito atent@. Não são só os narcisistas e os psicopatas que querem manipular ou controlar alguém. Não é nada de outro mundo nem de outras épocas. Qualquer pessoa normal gosta de ter alguém sob a sua alçada para dispor à vontade...O homem sempre dominou e controlou a mulher e os filhos… a família é sua propriedade legal. O Rei controlou o povo e os estados fazem o mesmo hoje. O patrão controla o empregado. O senhor da fazenda controla os escravos. O modelo varia subtilmente com os tempos... E não digo que também a mulher se tiver algum poder não o faça estando em posição de domínio, como o faz o homem desde logo e desde sempre. Houve rainhas megeras como reis déspotas. A relação é de poder no Sistema patriarcal há milénios. É a sua essência: dominar explorar e controlar.
O problema humano é que todas as relações, todas as relações humanas, sejam de cuidado, de sedução, de conquista, de amar o próximo, catequisar, agradar, educar, pregar… etc. todas visam a controlar e a dominar outr@s: mesmo sendo para amar e proteger...se… e ninguém é suficientemente consciente de si ou autónomo nem livre para não gerar controlo ou dependência uns de outr@s...
Em maior ou menor grau todos os seres humanos procuram os outros para de algum modo usar em seu beneficio. Nem que paguem para isso. A secretária e a empregada da limpeza. O jardineiro e o cozinheiro. Pode ser doutor e engenheiro etc. Na verdade este é um sentimento atávico oriundo da escravidão que impera ainda num mundo totalmente colonizado por deuses e diabos, ricos e pobres e que se baseia sempre na relação de senhor e escravo...
Não tem de se ser negro ou vermelho para se ser escravo. Os negros nos últimos milénios foram mais sacrificados mas já foram senhores do mundo também. O branco ocidental e moderno é igualmente escravo ...só que na sua maioria talvez sendo dominantes pela cor rosa pareçam livres e louros...mas as correntes de ferro são os bancos e o ouro, os carros e o dinheiro e as casas e os palácios e Yates...e os aviões a jacto… sim, é mais divertido… menos doloroso?
O ser humano está ainda muito longe da sua verdadeira humanidade - liberdade e igualdade, respeito, coisa que nunca houve - pois todo o mundo foi colonizado logo a partida por extraterrestres e marcados estamos a ferro pelo seu ADN de ódio e guerra e enlouquecidos escravizados pelo oiro… e por isso matamos e saqueamos e em todo o mundo reina o caos e a miséria...
Todos os países foram invadidos e saqueados num tempo ou noutro. Os povos assassinados…
É ridículo pensarmos que somos livres e civilizados… por andar de carro e de avião. Tudo ilusão.


rlp

segunda-feira, dezembro 23, 2019

TALVEZ POR SER NATAL


LEMBREI-ME...

Há muito tempo que não deixo uma nota pessoal aqui no Blog… 
Na verdade desconheço hoje em dia quem sejam as minhas  leitoras ou se as tenho… 
O Facebook, o Twiter e o Instagram dominam completamente as  multidões pelo facilitismo e leviandade...diz-se tudo numa frase e não se diz nada e o narcisismo das pessoas cada vez maior leva-as a querer aparecer nas montras virtuais mais do que ler, sentir  ou pensar ...

Mas gostaria de saber sinceramente se há ainda alguém que aqui venha com alguma assiduidade… e também se tem alguma opinião sobre a importância ou não de continuar a escrever este tipo de textos… 
Não sei por onde andam as mulheres que me liam e interagiam comigo. Nunca mais ninguém comentou ou disse nada. Digamos que tenho saudades quando chegava aqui e escrevia para duas ou três ou 6 mulheres que seguiam Mulheres & Deusas e já lá vão 20 anos quase … nunca deixei de escrever nem de actualizar o Blog, mas sinto que cada dia ele está mais longe das pessoas...
Se por acaso alguém me lê e desde então, deem sinal de vida ou de presença. 
Desejo-vos muita paz e tranquilidade nestes dias de festa...
Sinceramente 

rlp

NATAL?


EU SEI QUE HÁ NESTES DIAS UM IMPTO FRATERNO...

Eu sei que há em muitos seres humanos um impto verdadeiro de celebrar o amor universal e de serem fraternos… Como existe o ideal e o sonho e a utopia de nos amarmos uns aos outros…e esse anseio digamos é tão velho como o Mundo…
Talvez o Natal seja esse dia eleito em que acenamos a bandeira branca das nossas guerras e lutas e ódios e paixões e baixemos as armas e sorriamos então para o inimigo e os que desprezamos ou odiamos... e vamos dar um abraço a um vizinho chato ou sopa aos sem abrigo e acolhemos um cão vadio ou lavamos a cara a uma criança pobre... Até damos esmola a uma desgraçada na rua…e olhemos com piedade a prostituta ao frio que na esquina se vende...
Sim, é isto o Natal há centenas de anos...e adiamos o amor que desconhecemos, a vida que não saboreamos, a paz que não vivemos… até quando incapazes de apenas sermos HUMANOS todos os dias.


AS MINHAS RAIZES CELTAS….

Por sentir e ser fiel a um outro espirito bem mais antigo do que a mitologia cristã, o Natal e o Menino Jesus ou o Pai do céu nunca me disseram nada. Então o pai natal é uma mera palhaçada. A Tradição judaico ou cristã ou mesmo o budismo também não me toca e não há nada nessas religiões que me sensibilize ou fascine, bem pelo contrário...Sou adversa a todas as religiões e todas elas e nesta época do ano parece que se acentuam mais as suas incongruências e inconsistências. E aumenta também o meu azedume ou incompatibilidade com elas, pela discrepâncias das acções humanas, talvez por ver a tamanha hipocrisia do Sistema e das pessoas que em geral se associam aos seus festejos...
Tenho uma alma pagã e livre se é que a alma é alguma coisa a que se ponha adjectivos… Afinal a alma é apenas ALMA...mas talvez por saber isso mesmo, que A ALMA não tem religião nem Deus, a haver Um como dizem...é que me repugna realmente participar nesta comédia franciscana...da caridade humana que não é nada há centenas de anos… desde que se esqueceu completamente que A PAZ NO MUNDO COMEÇA DENTRO DE CADA PESSOA...
rlp

HOMENS INTELIGENTES?



OS HOMENS INTELIGENTES E SENSIVEIS...


"Geralmente o homem inteligente, para conquistar uma mulher superior, por um natural mimetismo amoroso, solidariza-se com os seus sonhos e as suas ideias de liberdade. Depois, volta a ser o mesmo homem vulgar, vestido de todos os prejuízos do sexo, considerando sempre inferior o gesto da mulher que se dá nobremente. Raríssimo o tipo masculino que sente a elevação da mulher livre, que se não vende e nem se escraviza ao matrimônio, porém, que se entrega generosamente ao homem a que ama. A regra geral é procurar deprimir, ridicularizar, caluniar a mulher que sabe pensar em voz alta e que tem a coragem das suas ideias." 

Maria Lacerda de Moura, Amai e não vos multipliqueis.


DIÁLOGO ENTRE MULHERES LUCIDAS...



Maria Tereza Ribeiro - Acho que por mais que um homem goste ou seja generoso no trato com uma mulher, jamais saberá a verdadeira dimensão da condição feminina e suas dificuldades, considerando-se que, até mesmo para nós, nem sempre é possível nos sabermos em plenitude. Há muita cegueira ainda, e pouca sinceridade entre nós mesmas. E a um homem sensível (e eles existem) também consideremos seu possível temor nessa ignorância, uma vez que a eles não foi incentivado ou permitido o afeto ou a cumplicidade com o feminino. Um homem também teme tudo àquilo que lhe é mitificado e mistificado, desde cedo. Essa polaridade na educação de ambos os sexos, até os dias de hoje, leva ao afastamento e à falta de empatia. Os homens também sofrem, seja pela própria agressividade de outros machos, seja pela impossibilidade de mostrar-se sensível, sob o risco de ter sua masculinidade questionada. Os tempos seguem sendo muito difíceis para nós mulheres, mas não menos difíceis para os homens.

Rosa Leonor Pedro - Eu concordo consigo, mas são sempre os homens que impõem por regra e pelas estatísticas o maior mal as mulheres - não as mulheres aos homens - e isso é muito importante destacar também. Não é estar contra os homens - eles são vitimas do (seu) machismo também mas a grande maioria não está disposta a ceder o seu poder sobre as mulheres e compreender a violência e o domínio que a sociedade patriarcal através deles exerce sobre as mulheres de todas as condições e em todo o mundo. Não há neste caso, comparação do sofrimento de uma mulher com o de um homem nestas circunstâncias...
Eu entendo e sei que há homens sensíveis mas esses deviam colocar-se do lado das mulheres e não ficarem ofendidos quando se se fala do machismo...eu sou um pouco mais radical.

A VERDADEIRA MULHER NASCE MULHER

A mulher não precisa de maquilhagem para ser mulher

"Ser homem e ser mulher não são acidentes do ser humano, senão que pertence inseparavelmente a sua essência".
E. Metzke

A IDENTIDADE MULHER UMA QUESTÃO QUE PREVALECE, E SE AGRAVA NOS NOSSOS DIAS...

Estamos numa encruzilhada humana e histórica em que tudo se questiona e se transforma…O mundo gira e gira e tudo volta sempre ao mesmo ponto - como um ciclo vicioso - quando não há EVOLUÇÃO de consciência, mas o potencial de um novo ser humano seja ele qual for cuja marca está nos nossos genes está em alteração e é natural a confusão de sexos, mas o risco da inteligência artificial e do virtual em vez do divino em nós se revelar, é cada vez maior. É natural que a força dessa marca de espécie cindida se exterioriza nas vivências dos sexos, pela premência da fusão do masculino e do feminino e nós tod@s balançamos entre extremos...o drama é inverte-los em vez de os integrar…

A confusão MENTAL e bem argumentada - baseada na nova "ideologia de género",- é agora total e muito perigosa, e isto nada tem a ver com acusar nem defender ninguém nem tem a ver especificamente com géneros ou trans...génicos… O que eu defendo no que digo quando falo da mulher original, a mulher que nasce mulher, É SÓ E APENAS QUE O SER HUMANO É como ele/ela nasce...e não tudo o que agora se põe em causa, toda esta construção cultural e ideológica dos sexos que se baseia na desconstrução do humano inato e para mim tudo o que seja construção, ou desconstrução do humano inato é clonagem, falsificação, aberragação: CONTRA NATURA.

Defendamos OS DIREITOS HUMANOS os direitos de homens e mulheres, O DIREITO DE SER-SE HUMANO, MAS NÃO O DIREITO A MUDAR DE SEXO como quem muda de camisa...?

O drama HUMANO porém é que ainda não se resolveu o humano. Não somos humanos ainda ...somos semi-humanos e daí todas estas divisões ao nível dos conceitos e do corpo/sexo. Estamos a cair na armadilha do Sistema que nos desvia para questões fracturantes da sociedade através não das causas de distúrbios e vivências familiares disfuncionais mas do efeito nocivo de uma sociedade mercantilista e dividida onde a Mulher e a Mãe livre verdadeira não existem. A mulher ou é objecto de reprodução ou objecto de prazer nesta sociedade patriarcal e falocrática.

Outra causa evidente para criar tamanha confusão de sexos é principalmente tentar boicotar a liberdade da mulher e impossibilitá-la de se reintegrar e ser inteira e portanto manter a sua divisão entre a "santa e a puta"...Nós sabemos que o que está em causa é desconstruir a verdadeira Mulher, por medo dessa mulher que estava a despertar e a integrar-se e a ter voz activa. Isso é o que está em jogo, destruir a Mulher que renasce das cinzas, como a Fénix … e esse é que é o perigo maior que hoje enfrentamos!

Quanto aos transexuais NÃO É UMA "NOVA" mulher que os trans querem ser, nem a mulher original que desconhecem, mas a mulher de plástico cheia de botox e silicone, cheia de maquilhagem e se calhar os pseudo machos até os vão preferir às mulheres reais...ou talvez prefiram as bonecas insufláveis ou as robots...ela não falam dão menos trabalho e não engravidam...porque essa mulher que actualmente eles copiam não passa de uma aparência, de uma boneca insuflada de silicone, seios e bunda artificial para agradar aos machos também eles afastados da sua identidade...

E quem não tem problemas de identidade - TODOS TEMOS OU NÃO?

O problema mundial e global no que diz respeito a identidade da mulher é que esquecemos neste tempo de desnaturados que há um 3º Via , uma 3ª visão, que há a alma e um Espírito que redimensiona a vida e o SER e não apenas esta vivência de alienados, esta visão materialista e só física de um corpo sexo e mente...
Essa via de que eu falo é interior e é dentro que se  deve procurar a chave e não destruir ou construir um novo corpo, ou mudar de sexo...Nós não somos deuses...nem os médicos nem os cientistas… Nós não somos os criadores...fazemos parte de plano onde tudo se cria e se transforma e morre naturalmente e que a mão do homem ignorante e vazio quer destruir a começar pelo próprio homem e de todas as maneiras.
Se a Deusa e a  Mulher foi a primeira a ser desconstruída… agora querem também destruir o homem no que resta dele de genuino. Por isso é tão importante agora  resgatar e a Mulher verdadeira. E é preciso lançar um grito de mulher, o GRITO DE ALERTA, o grito da mulher com entranhas, com  emoção raiva e  intuição; não ser essa mulher cheia de conceitos e ideias modernas sobre igualdade, ou de mulheres cheias de bonitinho nem mundinhos justinho de babacas, nem eleger uma democracia falocrática, contra ou a favor de pénis...nem porra nenhuma. Essas mulheres são homens  de cabeça e cultuam de facto o falo.

SE OS GAYS criaram a moda feminina...e são os seus autores e repercussões em todo o mundo...é "justo" que agora queiram ser eles os protagonistas dessa invenção...estão no seu direito. Mas deixem as mulheres em paz e de uma vez por todas. Sejam trans e tudo tudo tudo o que a tem direito, mas NÃO exijam ser MULHERES nem serem incluídos nos seus espaços intimos!

Eles primeiro vestiram as mulheres com a sua loucura fantasista de mulheres rapazes, sem seios nem ancas, sem barriga...meninas-meninos e agora querem ser eles as mulheres fatais de seios abundantes e meterem-se num SUPOSTO corpo de mulher para responder a essa imagem falsa da mulher imagem, a vedeta de cinema ou da pornografia mais morte que viva?

Se querem ser mulheres experimentem e tirem então todas as bugigangas que usam, as maquiagens, as unhas pintadas as roupas de moda, os sapatos altos e vejam o que é que lhes resta de mulheres ? Nada…

Já lá vão muitos anos desde que escrevi estas notas e entretanto tudo piorou…a confusão de géneros aumentou e a especulação e a superficialidade tanto como a grande alienação - cada dia mais se perde a identidade humana … estamos à beira do Abismo… e está a vista de tod@s...vê quem quer.!


E se alguém quiser discutir o assunto discuta com todos os argumentos e ideias e o politicamente correcto, façam-no...mas longe do feminino essencial e menos ainda do SAGRADO porque sagrada é a natureza com que se nasce e não a mão do Homem que tudo destruiu e agora até quer ser ele mulher...e é essa mulher falsa que muitas mulheres inclusive defendem traindo a sua essência e esse feminino! ?
MAS ONDE ESTÁ A MULHER,  A MULHER VERDADEIRA?

ISTO  ERA O QUE TODAS AS MULHERES SE DEVIAM PERGUNTAR .  


rlp

UMA MULHER É UMA MULHER UMA MULHER UMA MULHER



O PERIGO DA TRANSEXUALIDADAE ESTÁ NO DESEJO DE O HOMEM TER UM CORPO FEMININO QUE É UMA OUTRA FORMA DE NEGAR E CONTROLAR A MULHER … NEGANDO A SUA BIOLOGIA.

O ERRO DE ALGUMAS FEMINISTAS teóricas da ideologia de género: "... as feministas muitas vezes vêem a ideologia de gênero como trabalhando de mãos dadas com ativistas dos direitos dos homens, que também afirmam negar a realidade do patriarcado e as experiências reais das mulheres de violência masculina. Mas a violência masculina é real:

90 % dos autores de violência sexual contra as mulheres são homens [1]
93 % dos autores de violência sexual contra os homens são homens [1]
95 % dos autores de todos os abusos sexuais infantis são homens [2]


A ideia de que o sexo é mutáveis em humanos é uma forma de culpar as vítimas, afirmando que as mulheres podem simplesmente tornar-se homens para evitar a violência e a discriminação patriarcal. Não é à toa que as meninas estão agora a saltar na fila para tentar identificar-se fora da sua feminilidade.
Mas as feministas sabem a verdade - não importa a sua proclamada "identidade", as pessoas do sexo feminino estarão sempre em risco de violência por parte do homem masculino enquanto a gente estiver sob o patriarcado.

Um estuprador não pára para perguntar a uma mulher a sua "identidade" antes de a violar."


COMO É QUE UM HOMEM PODE SABER 
O QUE É UMA MULHER?

"Como é que um homem pode saber o que é a vida de uma mulher? A vida da mulher é muito diferente da do homem. O homem é o mesmo desde o momento da sua circuncisão até o fim de seus dias. Ele é o mesmo antes de ter conhecido uma mulher pela primeira vez, e depois. Mas o dia em que a mulher goza o seu primeiro amor divide-a em duas. Ela se torna uma outra mulher nesse dia. O homem é o mesmo depois do seu primeiro amor como era antes. A mulher é, a partir do dia do seu primeiro amor, outra. Isso continua para o resto da vida. O homem passa uma noite com uma mulher e vai embora. Sua vida e seu corpo são sempre os mesmos. A mulher concebe. Como mãe, é uma outra pessoa que a mulher sem filhos. Ela traz consigo o fruto da noite por nove meses no corpo. Algo brota em sua vida que jamais a deixará. Ela é mãe. Ela é e permanecerá mãe mesmo que seu filho morra, mesmo que todos os seus filhos morram. Pois em um momento ela carregou um filho sob seu coração. E jamais volta a deixar o seu coração. Nem mesmo quando está morto. Nada disso um homem conhece; ele nada conhece. Ele não sabe a diferença entre antes do amor e depois do amor, antes da maternidade e depois da maternidade. Ele nada pode saber. Somente uma mulher pode saber e falar disso. É por isso que não aceitamos que nossos maridos nos digam o que fazer. A mulher só pode fazer uma coisa. Ela pode se respeitar. Ela deve sempre ser como a sua natureza é. Ela deve ser sempre donzela e sempre mãe. Antes de cada amor ela é donzela, depois de todo amor é mãe. Nisso se pode ver se ela é uma boa mulher ou não."

(relato de uma mulher abissínia, in  'A Deusa Interior', de Jennifer e Roger Woolger)

quinta-feira, dezembro 19, 2019

O SER HUMANO ESTÁ EM PERIGO



5G O PERIGO IMINENTE - VEJAM A LISTA DE RISCOS...
"A tecnologia 5G ademais de conectar e permitir a comunicação ubíqua entre os seres humanos e suas organizações também conectará a todos os objetos (automóveis, lavadoras, micro-ondas, maquinários, câmeras de vigilância, etc.), coroando assim, a internet das coisas e configurando as chamadas cidades inteligentes – smart cities. Isso conformará um campo eletromagnético, de enorme potência, que afetará diretamente “as fracas ondas eletromagnéticas que caracterizam os voos dos insetos, por exemplo, porém interferirão também emissões de corpos vivos de maior tamanho, incluídos os nossos... numerosas publicações científicas tem demonstrado que os Campos Eletromagnéticos – CEM afetam os organismos vivos (não somente aos humanos) em níveis muito abaixo da maioria das diretrizes internacionais e nacionais, cujos efeitos incluem maior risco de câncer, estresse celular, aumento de radicais livres danosos, danos genéticos, mudanças estruturais e funcionais do sistema reprodutivo, déficit de aprendizagem e memória, transtornos neurológicos e impactos negativos no bem-estar geral dos seres humanos” (Sabini, 2019)."


O QUE AS MULHERES NÃO QUEREM VER...



A PSICOLOGIA INTEGRAL

"Qualquer debate sobre o Princípio Feminino acaba sempre por embater com o facto de o valor da nossa linguagem advir de uma perspectiva masculina, utilizada por homens e mulheres. Masculino significa penetrativo, funcional – “Faz alguma coisa sobre isso”, enquanto Princípio Feminino é o ser em si mesmo - literalmente a força nutritiva da existência, porque ele é a própria existência. Actualmente, existe uma preferência pelas formas masculinas de comunicação e estamos a tentar intervir aí com a sensibilidade feminina. A minha motivação pessoal para isso está de facto afectada. Há um nível de sofrimento a que se não consegue responder, uma realidade sentida no corpo correspondente a algo que não foi ouvido, algo que não torna presente a consciência que em tempos existiu.
Isto está relacionado com a prioridade dada à informação em detrimento da saúde emocional e psíquica da encarnação.

(...)
sofia diaz

NO PATRIARCADO: O domínio do intelectual torna-se exclusivo do homem.

NO PATRIARCADO

"Quando o feminino divino, a deusa, deixa de ser reverenciado, estruturas sociais e psíquicas tornam-se super mecanizadas, super politizadas e super militarizadas.
O pensamento, o julgamento e a racionalidade tornam-se os fatores dominantes. Necessidades de relacionamento, afeto, carinho e respeito pela natureza permanecem negligenciadas. Não há equilíbrio nem harmonia, seja dentro de si mesmo, seja no mundo externo. Com o desprezo pela imagem arquetípica tão relacionada no amor apaixonado, ocorre na mente divisão de valores, unilateralidade. Como resultado, ficamos tristemente mutilados em nossa busca da integridade e da saúde. "

"Os homens, na verdade, decidem se suas divindades supremas devem ser femininas ou masculinas; o lugar da mulher na sociedade é sempre aquele que lhe foi designado pelo homem; ela jamais, em tempo algum, impôs sua própria lei". - Frazer

AS MULHERES NO MATRIARCADO E A CAÇA AS BRUXAS


"Sobreviver na pré-história era um milagre diário.
As intempéries climáticas, as doenças, o frio, a fome e os inimigos de toda a espécie, particularmente os animais selvagens, tornavam a vida um fardo pesadíssimo.
Vagueavam errantes à procura da caça, colhiam vagas, grãos e raízes, vestiam-se peles de animais, dormiam em buracos e cavernas.
A caça e a pesca eram exercidas pelos homens, e a recolha de vegetais pelas mulheres. Estas cuidavam ainda das crianças, das lides caseiras, e tratavam dos homens feridos e doentes, o que era frequente, na luta que travavam diariamente.
A caça foi um factor relevante na socialização e solidariedade entre os homens, já que o faziam sempre em grupo coeso, e muitas vezes longe do local onde habitavam. Por sua vez, as mulheres tornavam-se solidárias entre si, e desenvolvendo um grande espírito de interajuda, ficando nos abrigos a cuidar da prol.
Os nómadas acabaram por verificar que, onde havia certas plantas ou cereais, no período seguinte nasciam plantas idênticas. Aprenderam assim que, espalhando os grãos na terra novas plantas surgiam.
Este importantíssimo passo levou ao nascimento da agricultura, e à fixação dos grupos, a um determinado território que, passou a ser a sua terra, a sua região.
Os grupos agora fixados num local, desenvolvem-se a partir de um grupo primário, a que se designa por clã.
Quando as famílias aumentaram, deram origem a novos clãs, que se fixavam próximo do clã original, desenvolvendo-se assim os agrupamentos, que tinham como chefe a matrona da família original, ou uma sua irmã.
Cada membro tinha responsabilidades na angariação de alimentos, na educação dos mais novos, bem como na defesa e protecção de todo o agregado.
Durante toda a época do nomadismo e mesmo no inicio da agricultura, as mulheres eram credoras de grande respeito, assumiam a direcção da economia doméstica, sendo as gestoras do lar, e as verdadeiras organizadoras da actividade produtiva da família.
O equilíbrio das relações era obtido e mantido, graças à reverência à mulher, por direito próprio e não na qualidade de esposa.
Por sua vez o homem não desempenhava qualquer papel nas primeiras relações familiares, a não ser a procura e obtenção de alimentos para o agregado familiar. Não só porque as relações mãe/filho eram fortes e duradouras, como também, porque os graus de parentesco só existiam através da mãe.
No matriarcado os pais eram incógnitos, já que as relações entre o acto sexual e o nascimento de um filho eram desconhecias. Não havia qualquer nexo causa efeito, entre a cópula e a gravidez. As crianças não conhecem nem têm pai. O seu nascimento era devido a geração espontânea, isto é surgiam do nada, atribuído a uma qualquer fenómeno sem explicação minimamente entendível. A mulher aparecia grávida por uma qualquer razão: porque tomava banho num determinado lago, ou porque apanhava sol, ou outra razão qualquer.
A criança era sempre muito bem -vinda e, era sempre e só a família da mãe que a educava e tratava.
A promiscuidade sexual era uma constante, cada homem pertencia a todas as mulheres e cada mulher pertencia a todos os homens.
Porque existiu o matriarcado
Por não se saber quem era o pai, só se conhecia a descendência materna e o local ou origem da mãe. Todas as políticas eram estabelecidas pela mãe, devido ao seu estatuto. Os filhos quando homens, eram seus seguidores e defensores em todas as situações.
As matronas eram proprietárias das casas e das terras, decidiam casamentos e da sorte dos prisioneiros de guerra, nomeavam chefes.
Fim do matriarcado
Com o desenvolvimento da capacidade produtiva: domesticação e criação de gado e a agricultura, dá-se o fenómeno de sedentarização, as relações passam a ser monogâmicas o papel social do pai começa a afirmar-se pouco a pouco.
A mudança da filiação da mãe para o pai tem a ver com a sucessão.
Com o aparecimento do conceito de propriedade mobiliária, aconteceu, segundo Engels, a derrota histórica do sexo feminino

A mulher começa a perder os seus direitos, e, aos poucos transforma-se num simples instrumento de reprodução e de prazer do homem.
O domínio do intelectual torna-se exclusivo do homem.
Ao homem passaram a ser atribuídos os papéis de força, racionalidade, competência, virilidade e inteligência.
À mulher coube-lhe os inomináveis papéis de submissão, secundarismo e até acefalia." 

Fonte: Aprendemos.

segunda-feira, dezembro 16, 2019

UMA HUMANIDADE DOENTE



NÃO HÁ SAIDA?

"Ao tentar perceber como, enquanto mulheres, nós participamos ativa e passivamente no patriarcado e em como poderíamos recusar essa participação, facilmente ficamos bloqueadas com um sentimento de "não há saída". Na verdade, a nossa participação acontece de várias formas e primeiro precisamos de ser capazes de passar pelo processo de nomeação dessas formas de colaboração para podermos depois começar a pensar em vislumbrar maneiras REAIS de nos libertarmos." - Shekhina Weaver


É preciso antes de tudo que a mulher se aperceba de facto como é que ela é conivente sem saber ou sem querer com o Sistema que a aprisiona e anula e mantem uma posição que favorece a manutenção dos valores do patriarcado em todos os aspectos da sua vida. Primeiro ela tem de perceber como "A perda do feminino tem tido um impacto desastroso na nossa cultura", além de perceber que as mulheres tem sido as vitimas directas dessa perda admitindo que também o macho acabe por ser vitima de si próprio e do sistema, mas tendo a supremacia sobre a mulher e o poder na mão ele dificilmente se enxerga e aceita ser diferente e menos ainda entregar esse poder.
É um facto mais que obvio que  os valores do feminino foram totalmente negados, e assim também a mulher como ente foi desvalorizado. Nesse sentido compreendemos que "o masculino, frustrado devido a uma incapacidade para canalizar as suas energias em harmonia com um feminino devidamente desenvolvido, continua a liderar com a espada, ele brande as armas temerariamente e frequentemente flagelando o próximo com violência e destruição." mas é sobretudo a mulher a sua grande vitima, não só na guerra como em casa...
A mulher continua a ser implicitamente acusada e culpada da "queda" ou do sofrimento do homem. Ela é culpada porque ele nasce dela …e por outro lado o sexo sendo a causa do pecado faz com que ele   impute à mulher toda  a culpa...por isso, incapaz de reconhecer e sentir o seu próprio feminino ele  viola e mata as mulheres na sua impotência de se sentir amado, principalmente quando é preterido. 

A imagem da adúltera e pecadora aos pés do Senhor...


POR ISSO TEMOS UMA HUMANIDADE DOENTE

“A sexualidade culpada pode tornar-se perigosa, e tornar-nos efectivamente doentes...”

E temos, no mundo, além do rol das doenças de foro sexual, por promiscuidade e alienação ontológica da mesma, hoje além das ideologias de género, e as aberrações sociais como a pedofilia, há toda a espécie de sado-masoquismo e ainda a pornografia como resultado de tamanha e absurda negação da sexualidade sagrada e da mulher. De facto, pela negação da sexualidade e da associação perversa ao corpo da mulher tornado culpado pelo facto de ela atrair e seduzir o macho na sua condição de mulher iniciada, ela é reduzida a um objecto de prazer numa pratica mecanicista e sem dimensão amorosa e por conseguinte esta é uma forma de anular o seu papel como uma parte indissociável do par alquímico. Sem a Mulher como construtora da verdadeira relação para a totalidade do SER, enquanto seres complementares, rei e rainha, não há Obra...

Assim temos a mulher comum alienada de si e oposta a essa mulher iniciadora do amor, e mãe respeitada, como o era anteriormente ao cristianismo, para se tornar uma mera posse do homem na figura da casta esposa ou do outro lado da barricada a “tentadora do mal”, Lilith, a mulher banida por deus e que ficará associada ao diabo, condenada a proscrita ao longo dos séculos. Então a mulher antiga, em vez de Sacerdotisa da Deusa ou discípula do Mestre Jesus, como no caso de Maria Madalena foi “Chamada Prostituta” e encarnou assim a face da mulher sensual e livre que o patriarcado censurou e condenou a pecadora arrependida em oposição à Virgem Mãe imaculada.

A partir desta inversão de princípios, tudo o que a mulher faça é culpada só pelo facto de ser mulher. E tudo isso começou com a negação da sexualidade do Homem-Cristo pela Igreja e a necessidade de renegar a mulher enquanto amante e discípula, assim como o Clero nega ainda hoje a participação das mulheres nos púlpitos e nos seus rituais, e só as aceitam na sua Igreja como culpadas ou penitentes, de joelhos aos seus pés a pedir perdão por terem nascido mulheres!

Quanto tempo mais vai durar esta aberração-maldição sobre a mulher a Natureza e a terra em que o ser humano vive apenas em função do dinheiro do medo e da morte e não da alegria e da vida?

R.L.P. 2005

UM ATAQUE AO PLANETA...

G5 
UMA ..."nova arma de destruição maciça: 5G (os ponteiros dos monitores batem no fim. Estamos a ser assados vivos. O campo magnético gerado está a transmutar as nossas células que viram cancerosas pela exposição ás antenas 5G). As novas gerações estarão sujeitas a tudo…"
(…)
"Existe uma base científica de mais de 10 mil pesquisas referentes à associação de enfermidades cardíacas, e entre outras como o câncer, com a contaminação eletromagnética, segundo o chamamento internacional para deter a implementação da rede 5G na terra e no espaço organizado pela International Appeal. A exposição permanente (24hrs) de níveis de radiação de radiofrequências, centenas de vezes maiores às atuais, provocará efeitos graves em todos os organismos vivos e em seus respectivos ecossistemas.

A tecnologia 5G ademais de conectar e permitir a comunicação ubíqua entre os seres humanos e suas organizações também conectará a todos os objetos (automóveis, lavadoras, micro-ondas, maquinários, câmeras de vigilância, etc.), coroando assim, a internet das coisas e configurando as chamadas cidades inteligentessmart cities. Isso conformará um campo eletromagnético, de enorme potência, que afetará diretamente “as fracas ondas eletromagnéticas que caracterizam os voos dos insetos, por exemplo, porém interferirão também emissões de corpos vivos de maior tamanho, incluídos os nossos... numerosas publicações científicas tem demonstrado que os Campos Eletromagnéticos – CEM afetam os organismos vivos (não somente aos humanos) em níveis muito abaixo da maioria das diretrizes internacionais e nacionais, cujos efeitos incluem maior risco de câncer, estresse celular, aumento de radicais livres danosos, danos genéticos, mudanças estruturais e funcionais do sistema reprodutivo, déficit de aprendizagem e memória, transtornos neurológicos e impactos negativos no bem-estar geral dos seres humanos” (Sabini, 2019).

Entretanto, apesar da ampla documentação sobre os possíveis efeitos negativos dos campos eletromagnéticos sobre os organismos vivos, estão prevalecendo os interesses privados – que gera a tecnologia 5G – sobre os coletivos. Nesse caso, a vida do planeta corre perigo, sobretudo a nossa, em meio a um contexto acelerado de mudança climática, produto de nossas próprias atividades, porém singularmente pelas geradas pelo processo de acumulação privado.
in ADITAL

sexta-feira, dezembro 13, 2019

... um olhar, uma palavra...


ENTÃO A MULHER SE ENCENDIARÁ...

... um olhar, uma palavra, um tom de voz, a sensação de estar sendo tratada com condescendência, de não estar sendo apreciada ou de estar sendo manipulada contra a própria vontade — qualquer uma dessas coisas emergirá novamente. E então novamente a mulher se incendiará.
A raiva residual de antigas feridas pode ser comparada aos efeitos traumáticos de um ferimento por estilhaços. A pessoa pode conseguir catar praticamente todos os pedaços de metal estilhaçado do míssil, mas os caquinhos menores permanecem. Seria de se pensar que, se a maioria foi retirada, tudo bem. Mas não é assim. Em certas ocasiões, esse caquinhos minúsculos se torcem e retorcem, causando uma dor semelhante à do ferimento original (o ferver da raiva) mais uma vez. Não é, porém, a imensa raiva original que provoca esse jorro, mas são ínfimas partículas dela, elementos irritantes deixados na psique que nunca são completamente eliminados. Eles causam uma dor que é quase tão intensa quanto a do ferimento original. É assim que a pessoa se retesa, temendo o golpe violento da dor e, de fato, gerando mais dor. Eles se envolvem em manobras drásticas em três frentes: uma que tenta conter o evento objetivo; uma que tenta conter a dor que se espalha , a partir do antigo ferimento interno; e uma terceira que tenta garantir a segurança da sua posição mergulhando de cabeça numa posição psicológica de defesa. É demais pedir a um único indivíduo que enfrente o equivalente a um bando de três e tente no cautear todos eles ao mesmo tempo.

É por isso que é imperativo parar no meio de tudo isso, recuar e procurar a solidão. É demais tentar lutar e lidar ao mesmo tempo com a sensação de que se foi atingido nas vísceras. A mulher que escalou a montanha retira-se, trata do evento anterior em primeiro lugar, em seguida do evento mais recente, toma decisões acerca da sua posição, sacode o pêlo, ergue as orelhas e volta a aparecer para agir com dignidade. Nenhuma de nós pode fugir inteiramente da nossa história. Sem dúvida, podemos mantê-la num segundo plano, mas ela está ali do mesmo jeito. No entanto, se você quiser agir em seu próprio benefício, você superará a raiva e acabará se acalmando e se sentindo bem. Não perfeita, mas bem. Você será capaz de seguir em frente. Ficará para trás o tempo da raiva em estilhaços. Cada vez você lidará melhor com ela, pois saberá quando chegar a hora de voltar a procurar a curandeira, de escalar a montanha, de se livrar das ilusões de que o presente é uma reapresentação exata e calculada do passado. A mulher lembra-se de que pode ser feroz e generosa ao mesmo tempo. A raiva não é como o cálculo renal — se esperarmos tempo suficiente, a dor passa. Não e não. Você precisa tomar a atitude correta. Só assim ela passará, e sua vida será mais criativa.
(...)
CLARISSA PINKOLA ESTEES
MULHERES QUE CORREM COM OS LOBOS

terça-feira, dezembro 10, 2019

A MULHER QUE SE PERDEU


“AS MULHERES ESTÃO NO EXÍLIO HÁ MAIS DE 5.000 ANOS...”

...“no patriarcado básico, a sexualidade da mulher e a sua capacidade para gerar filhos pertence exclusivamente ao marido, e não à própria mulher. As áreas da sexual e sensual são receadas e reprimidas. Na nossa memória colectiva feminina, sabemos que a morte por lapidação, assim como a violação, o empobrecimento e a prostituição forçada eram castigos de uma sexualidade não sancionada. Por conseguinte, muitas vezes o terror acompanha sensações sexuais proibidas, relembrando que o poder de Deus foi orientado contra a Deusa e a autonomia das mulheres.” *

• in TRAVESSIA PARA AVALON J.S. Bolen


AS MULHERES "VIVEM" DIVIDIDAS

"Descrevi a mulher tal como ainda hoje a vejo: dividida" 
S. Beauvoir

As mulheres em grupos e em círculos e onde quer que se encontrem ainda estão divididas pelas suas crenças, seja a que nivel for, primeiramente divididas pela religião cristã, dentro de si mesmas mesmo que não pensem a nível inconsciente há a marca do "pecado" que as amarra ao medo e não veem  a cisão interior que subsiste nelas entre a santa e a prostituta - e assim continuaram divididas as mulheres feministas ou marxistas e depois as espiritualistas new age, todas elas. Mesmo que organizadas entre si,  em nome da Deusa ela se dividem e separam em grupos, formam partidos e capelinhas e defendem seitas e credos, em uso e em beneficio próprio e do seu ego, muito mais do que os homens.
Estas mulheres que não tem qualquer consciência da sua divisão interna estão sempre umas contra as outras, de forma acintosa ou de forma subtil e não veem que enquanto essa divisão persistir, cada grupo de mulheres e onde quer que estas se insiram estão a lutar na defesa  apenas do seu grupo como da sua família, e pela sua crença, sem perceberem que é essa sua cisão interior que as antagoniza (a santa e a puta, a ateia e a religiosa, a fascista e a comunista, a politica e a intelectual, a pobre e a rica, a boa e má). A verdade é que enquanto as mulheres estiverem divididas na sua psique não vão a nenhum lado, porque estão a dar corpo e energia à divisão que fomenta e alimenta o Sistema patriarcal há séculos e permite que este as domine e explore, sejam ele de esquerda ou de direita... socialista fascista ou comunista...
Os homens também se dividem em muitos aspectos, ideológicos e religiosos, mas unem-se em propósitos e objectivos comuns...eles não tem uma divisão sexual nem estão confrontados com a sua masculinidade - a não ser que sejam femininos - e portanto partem de uma autoconfiança no seu falo, como uma arma em riste,  que os une e solidariza, nem que seja para atacar ou destronar as mulheres que violam ou para a guerra onde as violam e matam.
No entanto vemos ao longo dos tempos que as mulheres nunca se unem no seu conjunto porque além de estarem sempre divididas e serem antagónicas elas se desvalorizam pelo seu sexo e cultuam também o falo.... Daí a sua fraqueza e insucesso nos movimentos que fazem. Tudo o que fazem no fundo é sempre uma batalha contra as mulheres como afirmação, contra as mães mas sempre  umas contra as outras, e isso leva-as a ABORTAR uma possível união de todas as mulheres e a própria evolução da sua consciência como mulheres, permitindo assim a continuidade da sua "inferioridade" e dependência do Homem e a sua Queda...onde ela assume que a Mulher é sempre a culpada…

Elas aceitam ASSIM A  ANULAÇÃO DAS MULHERES …

rlp


"NÃO ME SINTO BEM NA MINHA PELE? "


Entretanto ao longo das ultimas décadas as mulheres perderam-se completamente de si a provar que eram iguais aos homens e que tinham a mesma liberdade sexual que eles quando deviam ter-se empenhado em conhecer e salientar as suas diferenças! Quando deviam empenhar-se em serem mulheres, a marcar os aspectos da sua feminilidade, a afirmarem-se na sua feminilidade intrínseca elas começaram  a imitar os homens e os seus padrões de vida, tanto ao nível de uma sexualidade promiscua, leviana, assim como aspectos masculinos de afirmação de poder fosse em que plano for da sua actividade, familiar, social ou politica.
Por outro lado, para satisfazer os machos e continuarem a cultuar o falo houve  mulheres que exacerbaram um feminino fictício, fabricado de silicone e botox e químicos, e que para cumulo da ironia os homens agora  imitam quando se travestiam… ou querem mudar de sexo...e parecerem-se com essas mulheres que nada tem de mulheres no fundo. Elas correspondem a estereótipos fabricados pelos homens do cinema da moda e da arte...
As mulheres deixaram de ser Mulheres há muito tempo atrás mas é agora e mais do que nunca que se torna evidente esse vazio de si. E o mais grave é que elas nem se apercebem desse vazio nem que ele  foi  criado pelo Sistema que a afastou da sua Matriz impedindo-a de fazer a ligação ao principio feminino, o que aconteceu durantes séculos. As mulheres  ao desligarem-se da psique feminina elas acabaram por adoptar um ego masculino e assim se foram se afastando cada vez mais da sua essência  para seguirem esses estereótipos fabricados pelo homem, enquanto a máquina mediática e a mafia médica, em nome da "Ciência" as faz perder seios ovários e útero à conta de químicos e por sua vez as cosméticas fazem o resto: pintam-na de vampe, corista e rameira, a mulher fatal, a prostituta, cada vez mais dividida. Tudo isto faz com que a mulher tenha acabando  por perder completamente a sua identidade e agora o que resta dela - essa Mulher arquetípica e magnética dos primórdios - é esta inversão das mulheres ao imitarem não só os o seu comportamento como defenderem os valores masculinos acabando por mimetizar os homens em tudo...ao ponto de se tornarem na sua antítese…
rlp

O CONTO DE AIA



"...Sem mulheres capazes de dar à luz, a população humana seria extinta…."

"... O Conto da Aia Margaret Atwood é um romance feminista? Se isso significa que é um tratado ideológica no qual todas as mulheres são anjos ou estão vitimizadas e, portanto, perderam a capacidade de escolher moralmente, não. Se quer dizer que é um romance no qual as mulheres são seres humanos e além disso são interessantes e importantes, e o que acontece com elas é crucial para o tema, a estrutura e o enredo do livro... Então, sim. Nesse sentido, muitos livros são “feministas”.

Por que são interessantes e importantes? Porque na vida real as mulheres são interessantes e importantes. Não são um subproduto da natureza, não representam um papel secundário no destino da humanidade, e todas as sociedades souberam disso. Sem mulheres capazes de dar à luz, a população humana seria extinta. Por isso as violações em massa e o assassinato de mulheres, garotas e meninas foi uma característica comum das guerras genocidas, ou de qualquer ação destinada a subjugar e explorar uma população. O controle das mulheres e seus descendentes foi a base de todo regime repressivo do planeta. Napoleão e sua “bucha de canhão”, a escravidão e a mercadoria humana, uma prática eternamente renovada: ambos se encaixam aqui. Teríamos que perguntar àqueles que promovem a maternidade forçada: Cui bono? Quem se beneficia? Às vezes um setor, às vezes, outro. Nunca ninguém."


PORQUE MATAM OS HOMENS AS "SUAS" MULHERES?

"...Sem mulheres capazes de dar à luz, a população humana seria extinta. Por isso as violações em massa e o assassinato de mulheres, garotas e meninas foi uma característica comum das guerras genocidas, ou de qualquer ação destinada a subjugar e explorar uma população. O controle das mulheres e seus descendentes foi a base de todo regime repressivo do planeta. Napoleão e sua “bucha de canhão”, a escravidão e a mercadoria humana, uma prática eternamente renovada: ambos se encaixam aqui. Teríamos que perguntar àqueles que promovem a maternidade forçada: Cui bono? Quem se beneficia? Às vezes um setor, às vezes, outro. Nunca ninguém."


É TUDO MUITO PARECIDO...

"Era muito parecido, demais, com a história. Sim, as mulheres se unem para atacar outras mulheres. Sim, acusam as outras para se livrarem delas: vemos com absoluta transparência na era das redes sociais, que tanto favorecem a formação de enxames. Sim, aceitam encantadas situações que lhes dão poder sobre outras mulheres, mesmo – e talvez especialmente – em sistemas que no geral concedem escasso poder às mulheres: no entanto, todo poder é relativo e em tempos difíceis é evidente que ter pouco é melhor do que não ter nenhum. Algumas das Tias que exercem o controle são verdadeiras crentes e acham que estão fazendo um favor às Aias: pelo menos não foram enviadas para limpar resíduos tóxicos; pelo menos, neste mundo novo feliz, ninguém vai violá-las, ou não exatamente, ou pelo menos quem as violar não é um desconhecido. Entre as Tias algumas são sádicas. Outras são oportunistas. E serve para elas pegar algumas das reivindicações favoritas do feminismo de 1984 – como as campanhas contra a pornografia e a exigência de maior segurança contra os ataques sexuais – e usá-los em benefício próprio. Como dizia: a vida real."


Margaret Atwood


Ilustração de Anna e Elena Balbusso para a edição de 'O Conto da Aia' da The Folio Society.

ADIVINHA-SE



G5 A FALÊNCIA DO MUNDO 
E A NOSSA DEMÊNCIA COLECTIVA...


Quando não havia Facebook, ou eu não entrava nele, já lá vão mais ou menos 10 anos, todos os dias eu escrevia só no meu Blog Mulheres & Deusas (onde escrevo há cerca de 20 anos) e através dele houve muitas mulheres e homens também (embora poucos) que se identificaram com ele e vieram ao meu encontro…

Recebi imensas cartas e testemunhos especialmente de mulheres jovens e mais velhas radiantes por se sentirem retratadas nas suas ansias e medos e frustrações e lutas diárias para entenderem o que se passava de errado com elas e as suas vidas… Nesse tempo ainda se comunicava…
Foi a era dos blogs e num espaço de tempo relativamente curto foram gradualmente substituídos pelo facebook e pior ainda pelo Instagram… Perderam-se as palavras e a linguagem e ficaram apenas as imagens e cada dia mais nos afastamos do diálogo e do entendimento das palavras porque nada é aprofundado, nada é integrado ou sentido e vagueamos ao sabor da visão estonteante de imagens fictícias de vidas inventadas superficiais e estupidificantes, sem substância nenhuma, para posar para a fotografia… para uma montra em que tudo serve para se exporem o corpo e o sexo e se promoverem ou venderem pela imagem de marca, assim como é devassada a vida privada e a vida familiar e afectiva… mas quase sempre idealizada ou enfeitada, reproduzida ou retocada com o fotoshop…
ah e ai vemos gente inteligente a partida e culta… e artistas na corda bamba ou no trapézio ou no bordel da imagem - as coristas de um ballet grotesco -  ou no ginásio a malhar… para mostrar o corpo flexível e os seios robustos, quando não cheios de silicone, ou as pernas torneadas, as caras maquilhadas e sempre sorridentes desfeitas com botox...

Estamos agora diante desse espectáculo horripilante de imagens estereotipadas e é algo que parece irreversível. As palavras e o SENTIR já não tem sentido e as pessoas mal sabem falar ou exprimirem-se…ou fazem-no atabalhoadamente...bué de nada e de tudo... já não se encontram nos cafés a discutir literatura ou arte - igualmente reduzida a uma cadeira partida ou a uma banana com fita adesiva…- e vão aos Bares e Boîtes para se narcotizarem e embriagarem em alcool e droga… ou viagra!
Já não há lugares de culto de beleza genuina nem busca de interioridade nem encontros de poetas e escritores - @s escritores da berra são beras e pornográficos ou imbecis: vendem qualquer porcaria de história e muito má poesia para "reivindicar" não sabemos o quê (ou para se vingarem da mãe que lhes batia?) e aparecer nos escaparates das livrarias em decadência e toda a gente é agora "escritor"... de uma ficção miserável, que reflete esta imensa alienação do humano em si e do eterno e da psique e onde já não há qualquer profundidade alma ou vida natural… e até o divino se tornou plástico e ridículo tal como a doença serve para "terapeutas" ganharem a vida à grande e a francesa a custa do sofrimento alheio...
Estamos tod@s a embarcar nesta viagem alucinante e perigosa do nada, numa trilha cada vez mais estreita sem qualquer discernimento e aderimos a tudo sem nos questionarmos…
Agora vai ser fatal com o G5 e todos acham que é evolução e vamos morrer de radiações lentamente - estoirar o que resta dos miolos até nos tornarmos tod@s ARTIFICIAIS E ROBOTS, zombies da nova era verde camuflada…a era da destruição do Planeta em nome da salvação do "Clima"... O caos o terror a violação e a morte com máscaras de vida… em defesa de "altos propósitos"...a violência e a tortura de mulheres!
rlp

Lilith - As mulheres precisam dela.

domingo, dezembro 08, 2019

GAGOS DO CORAÇÃO



A PALAVRA - "cada segundo é um sussurro"

"Eu bem senti, desde há muito tempo, que as palavras que os seres humanos trocam não passam de um longínquo reflexo de uma emoção às vezes impossível de formular. Por melhor que sejam ditas ou pronunciados, as palavras são apenas confusos balbuciamentos de adolescentes vaidosos, gagos do coração como eu ou deficientes. A verdadeira e intensa, a palavra intocável, é o mistério daqueles que tocam o absoluto. "
- Alain Cadeo,