quarta-feira, maio 19, 2010

QUERO SABER SE VOCÊ TOCOU O ÂMAGO DA SUA TRISTEZA


Palavras de Uma Anciã Nativa Americana

"Não me importa o que você faz para sobreviver. Quero saber qual a sua dor e se você tem coragem de encontrar o que o seu coração anseia. Não me importa saber a sua idade. Quero saber se você se arriscaria parecer com um louco por amor, pelos seus sonhos, pela aventura de estar vivo.

Não me importa saber quais planetas estão quadrando sua lua. Quero saber se você tocou o âmago de sua tristeza, se as traições da vida lhe ensinaram, ou se omitiu por medo de sofrer. Quero saber se você consegue sentar-se com as dores, minhas ou suas, sem se mexer para escondê-las, diluí-las ou fixá-las.


Quero saber se você pode conviver com alegria, se pode dançar com selvageria e deixar o êxtase preenchê-lo até o limite sem lembrar de suas limitações de ser humano.
Não me importa se a estória que você me conta é verdadeira. Quero saber se você é capaz de desapontar o outro para ser verdadeiro para si mesmo, se pode suportar a acusação da traição e não trair sua própria alma. Quero saber se você pode ser fiel e consequentemente fidedigno. Quero saber se você pode enxergar a beleza mesmo que não seja bonitos todos os dias, e se pode perceber na sua vida a presença de Deus. Quero saber se você pode viver com as falhas, suas e minhas, e ainda estar de pé na beira do lago e gritar para o prateado da lua cheia... "Sim"!

Não me importa saber onde você mora ou quanto dinheiro tem. Quero saber se você pode levantar depois de uma noite de pesar e desespero, exausto, e fazer o que tem de fazer para as crianças.
Não me importa saber quem você é, ou como veio parar aqui. Quero saber se você estará ao meu lado no centro do fogo sem recuar. Não me importa saber onde, o que, ou com quem você estudou. Quero saber o que sustenta o seu interior quando todo o resto desaba. Quero saber se você pode estar só consigo mesmo e se verdadeiramente gosta da companhia que carrega em seus momentos vazios.

Oriah Mountain Dreamer

copiado de: http://pistasdocaminho.blogspot.com/

2 comentários:

Gaia Lil disse...

Minha dor é viver num corpo que não corresponde ao meu ser nem as minhas expectativas, minhar dor é ser julgada pelos que não me conhecem e pelos que me conhecem como uma pessoa maligna e caprichosa desprovida de bom senso. Vive num mundo do pai e cada dia arrisco levar a Grande Mãe as pessoas da minha convivencia...O fogo que move minha alma e essa fome que me leva a fazer loucuras em nome do que acredito e ser julgada irracional pelas pessoas, sou uma mulher vinda de outro tempo...Meu anseio maior é amar muito, eu tenho fome, muita fome de viver, muita fome de encarnar a Grande Deusa e vivela no mundo, muita fome de ajudar as pessoas a viverem a Deusa porque me sinto completa e realizada quando faço aquilo para o qual existo.Minhas lagrimas posso suportar, o que os outros pensam ou dizem posso suportar, só não poderia suportar desistir de quem sou e do que acredito para me encaixar num mundo que vive a base da brutalidade...Por isso sou feiticeira.

Rosa Leonor disse...

obrigada pela confiança e pelas confidências...
grande abraço

rleonor