segunda-feira, outubro 25, 2010

O ÚTERO ESSE DESCONHECIDO...


“Toda a abordagem (da doença ou da vida) é demasiado masculina, demasiado controladora, demasiado agressiva, demasiado invasiva.”

Treya

In GRAÇA E CORAGEM de KEN WILLBER

»»»»

Porque sofrem e morrem tantas mulheres de Cancro?


PORQUE AS MULHERES DESCONHECEM O VALOR DO ÚTERO PARA ALÉM DE GERAR FILHOS E ESTÃO DESCONECTADAS DA SUA NATUREZA PROFUNDA. ELAS SÃO INSTRUMENTALIZADAS PELOS MIDAS E PELAS ORGANIZAÇÕES QUE PROMOVEM OS SEUS INTERESSES À CUSTA DA SUA PRÓPRIA VIDA.

PORQUE É QUE AS farmacêuticas e os médicos, através dos sistemas de Saúde, dos Governos e tão empenhadamente, vacinas de prevenção do colo do Útero…e outras, mas neste caso especificamente aqui o que nos interessa, é saber porquê do Útero?Porque são agora visadas as mulheres mais jovens para “prevenção” da doença? Porque vêm os políticos/as e as políticas defender a sua obrigatoriedade na União Europeia?

Que mulheres-homens são essas, sem entranhas, sem alma, politizadas e científicas, feitas todas as lavagens ao seu cérebro nas faculdades e ao serviço das diferentes Máfias que dominam o mundo e as suas corporações, totalmente esvaziadas de sentimentos e emoções, ao serviço exclusivo do poder falocrático, travestiadas e desumanas?

O QUE PRETENDE O Sistema falocrático?

Ganhar dinheiro destruindo a natureza intrínseca da mulher tal como destruiu a Natureza Mãe e os seus recursos, usando o medo da doença mortal e em nome da prevenção do cancro. Esse é o verdadeiro objectivo dos pseudo cientistas, ao serviço das farmacêuticas, quando sabemos que o verdadeiro cancro desta sociedade e que faz preferencialmente vítimas as mulheres é a sua anulação enquanto indivíduos, alienando-as do principio feminino, sendo essa a melhor forma de as continuar a anular no seu potencial: destruir à partida o seu poder interior, que está no Útero e nos ovários, e querem-no fazer agora logo desde adolescentes, para não correrem o risco de que a verdadeira mulher acorde e se torne una em si!

Porque nem as mães nem as mulheres médicas, que deviam saber informar correctamente as mulheres sobre a sua natureza, tal como transmitir uma verdadeira consciência do seu valor intrínseco, não sabem fazer nem dar a noção da necessidade de a mulher manter a sua integridade física e psíquica. Nem a mãe nem a médica sabe ensinar à jovem mulher o que ela devia saber: que a mulher não está ao serviço do prazer do homem em detrimento da sua saúde e que o sexo não é a sua única razão de viver….que só deve fazer sexo quando sentir amor e em harmonia com o seu coração e não deve permitir ao homem o abuso do eu ser, nem servir-se do seu corpo para descarregar a sua frustração… Mas não, eles e elas continuam a ver a mulher como um corpo e um sexo apenas, como que sujeita a este determinismo biológico, ser fêmea e mãe, como se as mulheres não tivessem uma individualidade nem uma consciência e serem apenas objectos de consumo e prazer ao serviço da sociedade patriarcal. É isso que propaga nos media a sua cultura.

Olhemos o anúncio da Zone Fibra…um fio que se desenrola da saia de uma mulher até mostrar o ânus? E os homens sapo, rãs, vermes? Olham “embevecidos”…Isto passa a toda a hora nos diferentes canais: “porque Mãe” pergunta a criança?

Porquê é a mulher a fonte de especulação malsã e doentia dos homens e dos gays?

Porque desviadas que são as mulheres, desde crianças, do sentido da sua vida e da sua verdadeira liberdade de serem elas mesmas, compelidas a imitar e a servir os padrões do masculino exclusivamente, as mulheres com a ajuda da publicidade e da “ciência médica” vão-se transformando aos pouco e à medida que crescem em bonecas de carne e osso, tal e qual o sonho do macho dominante, e que facilmente é substituída por uma de silicone ou por outro homem…Tudo isso em nome da “emancipação” e liberdade da mulher (dizem, escrava da natureza, dos seus ciclos… da menstruação etc.)

Eles não só anulam todo o poder interior da mulher, ao interferir com o seu sistema biológico natural, com o seu desenvolvimento hormonal, como agora querem anular em definitivo o seu centro de prazer e força vital, ovários e útero (e mamas), tornando-a assim mais vulnerável ao seu domínio através do medo da doença e ganhando com isso a dependência de milhões de mulheres sem força e debilitadas, assustadas pelo medo de morrer. Fazem-no me nome do “Bem”…e da saúde…

No mundo muçulmano (?) faz-se a excisão do clítoris, no ocidente civilizado (católico), anula-se científica e higienicamente o Útero das mulheres e faz-se a “excisão” dos ovários…fica tudo limpinho…como prevenção!!!

A verdade, é de que de uma forma ou de outra a “caça às bruxas” continua; desta vez, de acordo com a “evolução” da ciência, de forma médica e científica, sistemática…Assim, a mulher, além de continuar a ser o bode expiatório do Sistema patriarcal e falocrático e exploradas pelas máfias da prostituição em todo o mundo é ainda explorada pela Máfia Médica intensivamente.

O Sistema, através de campanhas publicitárias televisivas e nos “centros médicos”, cada vez mais desumanos e semelhantes a sistemas prisionais…tem como função apenas (de forma subtil e aparentemente com espírito “socialista”) criar o medo e aumentar a angústia nas mulheres. Estas são assim compelidas e ao mesmo tempo forçadas a tomar todo o tipo de drogas e medicamentos, vacinas e pílulas que lhes são vendidas e impostas pelos médicos todos os dias….

Criado que está o terror do

CANCRO DO COLO DO ÚTERO…

É fácil consumir drogas e tomar vacinas para prevenir…

»»»

MAS O QUE É O ÚTERO?

Para além de tecido muscular faz falta ao desejo sexual e a um determinado desenvolvimento da sexualidade da mulher; por isso não nos podemos conformar com o útero dos ginecologistas nem da tecnologia médica que considera a maldição divina de parir com dor. Porque aí está a grande diferença. O útero de uma mulher que não foi sexualmente reprimida desde a infância, funciona perfeitamente, produzindo prazer e não dor; mas o útero de uma mulher cuja sexualidade foi paralisada desde pequenina, funciona de maneira patológica e com dor.”

««

(traduzido do espanhol) El Útero, ese desconocido

De "El asalto al hades" de Casilda Rodrigañez

»»»

O TESTEMUNHO LÚCIDO DE UMA MULHER QUE COMPREENDEU A ORIGEM DO SEU CANCRO…


A FALTA DE CONSCIÊNCIA DO SEU FEMININO!


“No dia seguinte, comecei a sentir que tinha redescoberto uma parte importante de mim. Que talvez a minha via estivesse a emergir do matagal, do espesso enredo de dúvidas e do desejo de adoptar os valores culturais masculinos que enfatizam a vida da mente. A escola enfatiza o conhecimentoos, factos, o conteúdo, o pensamento, a análise. Descobri que era boa nisso. Era uma forma de me notabilizar, de ganhar elogios e atenção. Sinceramente, que mais havia para além daquilo? Por isso, percorri esse caminho essa estrada tão claramente assinalada e de pavimento tão macio. (…) “O que se agita em mim é a emergência de um novo padrão de referências pelo qual posso escolher aquilo que faço.” *

Treya

*In GRAÇA E CORAGEM de KEN WILLBER

Sem comentários: