sexta-feira, outubro 03, 2014

AS VEZES ESQUECEMOS...



Vivemos entre a Terra e o Céu…no meio de tudo o que existe o Ser Humano vive permanentemente em dualidade…dividido entre o belo e o feio entre o bom e o mau…entre a saúde e a doença…
Muitas vezes olhamos o Céu, as estrelas e a Lua, ou o esplendor do Sol que apontam para o imenso e vasto Universo que nos rodeia e ficamos paralisados pela beleza de tudo e o quanto desconhecemos desse universo e da vida e de nós mesmos, sempre a olhar para a nossa miséria e desgraças sem ver que a grandeza que está em cima também está em baixo e principalmente dentro de nós…
Então esquecemo-nos de olhar as árvores e os campos, as flores e os rios e os pássaros…Esquecemo-nos de como tudo depende do nosso olhar…tudo depende do que realmente queremos ver…

Quantas vezes não fico extasiada com a beleza de qualquer coisa simples e frágil, como sou tocada no mais profundo de mim mesma por um poema sublime, por um sorriso inesperado ou um olhar verdadeiro, humano, e depois, de repente, vem uma revolta pela dor do mundo, um inconformismo enorme perante as coisas feias, os horrores que se passam à nossa volta, a mentira dos homens, a morte e violação das mulheres e crianças, todas as formas de abuso sobre o ser humano, tudo o que grassa ao cimo da terra e nego-me a acreditar que existe A verdade e A Justiça…e menos ainda um Deus ou uma Mãe…
Mas depois compreendo…o mundo é feito desta estranha mistura, sempre foi feito dessa enorme beleza e desses horrores todos que são as guerras e o ódio da raça; e vejo que são os homens a peste e a disseminam e percebo que a saída, talvez a única é individual e que a utopia é e sempre foi querer e lutar por um mundo igual…

Seria difícil se eu não tivesse alguém que me ajudasse gentilmente a olhar para dentro de mim mesma e ver que a beleza que está dentro de mim, que começa aí...e  está dentro de cada ser e que eu também a posso ver em tudo à minha volta à Luz de uma Visão singular e deixar de olhara só um lado das coisas ou o outro, nesta eterna confusão que é a nossa realidade dual…
Sim alguém que me ajuda a centrar…alguém que me fala do óbvio e não do complexo e absurdo que tudo parece às vezes e sobretudo inacessível e invisível…e fá-lo de Graça!

Tantas ideias sobre o amor mas tão pouco amor…tantas ideias sobre cura e tanta doença…doenças do ego que se serve inclusive da ideia da cura e de deus para manipular ou sobrevalorizar-se impondo-se aos outros como médiuns, canais ou terapeutas, como curadores…gente que vive à custa das doenças dos outros…

Não, enquanto esse Amor não for uma realidade dentro de nós, uma constante vibratória, sensível aos olhos e ao coração, uma consciência do nosso Ser para lá dessa dualidade, nós estamos todos doentes e não podemos curar ninguém…
Só alguém que esteja acima dessa dualidade, que não oscile e mantenha o seu centro, que tenha percorrido o Caminho e saiba para onde vai nos pode conduzir e curar. Porque só o Amor verdadeiro cura todas as feridas. Falo de um Mestre vivo que nos revele o nosso mestre interior… (talvez aquele que nos revele o nosso Anjo...) aquele que nunca nos abandona…nem na vida nem na morte…


rlp

2 comentários:

Gaia Lil disse...

Rosa, me mandaram um vídeo...Um que está na minha página "verdadeira" do Facebook. Vá lá e você verá...Foi como ver o mal com os olhos, fiquei mais horrorizado do que vendo um genocideo. Estranho como uma coisa tão simples horroriza a gente, e que eu como transexual, tenha que ver...Eu já vi uma cirurgia plástica em vídeo e isso não me assusta, acho que em alguns casos como o meu em que é uma necessidade para que a pessoa possa viver ou reconstruir sua vida é uma necessidade. Sei da sua forte opinião sobre a banalização do feminino e sobre o atual foco pop na transgenero...Mas eu não sei...Acho que a avaliação psicológica deveria ser mais rigorosa e buscar saber...Rosa, eu vou te confessar, eu não sei porra nenhuma. Não sou porra nenhuma nem sei nada, sei que sou uma mulher que vive ser mundo por dentro e por isso me vejo como mulher, mas talvez mesmo com tal avaliação minha visão de ser mulher não fosse aceita afinal, porque o que toca no amago do feminino não é conhecido pelo psicólogo ou mesma pela psicóloga formada pelo patriarcado. Não sei o que é justo ou certo, eu só rezo que quem for como seja sincera com o que busca. Pense bem, quantas transexuais o são por si mesmas? Quantas o viram porque vêem um glamour no feminino ou porque como todas as mulheres foram ensinadas a servir os homens e lhes ser fiel...Talvez a atual liberação da transexualidade seja apenas uma forma de arranjar escravas mais conformadas e que caso não ajam conforme os padrões, poderam ser mais facilmente domesticados sob o argumento de que o que fazem quando realmente seguem seus corações não é feminino...Assim cria se uma nova presa e a maioria das transexuais na mídia não são autenticas no que sentem...É estranho, elas falam e passam pouca autenticidade no que dizem...Eu não sei coisa alguma Rosa, eu sei o que sou e hoje questiono se existem tantas como eu MESMO OU SE É UMA NOVA TÁTICA PARA ALCANSAR UM PUBLICO MANIPULAVEL.(homossexuais deprimidos e travestis que querem ser socialmente aceitos e pra isso usam a imagem da mulher) E assim a merda se espalha novamente. Não sei, sei que eu posso não ser uma mulher pra você, mas no mínimo sou autêntica em meu pensamento e sentimento. Sei que sua opinião pode parecer desagradável para mim nesse aspecto, mas prefiro sua opinião a qualquer outro floreio mercantil.

Beijos e fica com a Deusa.

Rosa Leonor disse...

A sua questão é de uma dimensão e complexidade imensa. Concordo consigo nos perigos do usso e do abuso de todas estas situações. E isto era mesma para um longa e conversa entre nós ...
Acredito e sempre acreditei na sua sinceridade e na sua convicção, na sal paixão pela Deusa. Nunca duvidei do seu amor nem dos seus sentimentos nem da sua luta nem do seu drama. Calculo apenas o seu sofrimento e o desejo de poder servir a Deusa. Disse-lhe algumas vezes o que penso sobre tudo isso. Não mudei muito de opinião. Mas sei quem é sincero e sofre e quem vive apenas para se expor e provocar ou transgredir, seja o que for, não julgo ninguém. Apenas lhe digo a si...que não á formas exteriores de ser mulher...que para mim a mulher é essência feminina...e que ela pode ter num homem à partida uma desproporção muito maior que lhe provoca essa necessidade pungente de se identificar por fora também com uma mulher. Mas que essa dimensão do feminino no homem pode ser vivida de alma e coração...sem ter que mudar de sexo...porque como sabe tantos travestis que agora estão a voltar a querer ser homens...temos de ter em conta a loucura da mente e desta sociedade consumista e alienada que enlouquece as pessoas...
Eu apenas creio que um SER HUMANO pode ser tudo em si sem se mutilar - porque esta medicina é de carniceiros e só visa ganhar dinheiro a custa das pessoas que sofrem.
Também sei que a nível psicológico é muito complicada a ambivalência sexual...mas todo o ser é mais ou menos bissexual...e todos temos os dois lados...se os unir em si...o ser do meio é o verdadeiro Andrógino da obra alquímica e esse é o propósito de toda a vida humana...
Pense nisto e confie na Deusa Mãe.
um grande abraço para si!

rlp