terça-feira, julho 28, 2015

"O QUE É QUE OS HOMENS QUEREM"

Freud perguntou-se,  já no fim da sua careira, depois de muitos anos de análise psicanalítica a mulheres, afinal "o que é que querem as mulheres"...

A autora deste livro O PRAZER NO PATRIARCADO invertendo esta questão,  colocando-a na perspectiva feminina pergunta o que é que os homens querem - questão que eu ponho em causa a saber se esta é a verdadeira questão de interesse para a mulher...ou se a mulher deveria quer saber antes de "o que é que os homens querem" saber o que é que ela quer mesmo para si sem o aval dos homens...
De qualquer modo este excerto do livro é de uma clareza e objectividade impressionantes e diz tudo o que a Mulher deve saber sobre a sexualidade abjecta do homem que a transforma a si em mero objecto sexual... e também diz aos homens conscientes o que o Sistema faz com eles...
rlp


A pornografia fornece a resposta...

“Para a questão que Freud nunca colocou e que define a sexualidade numa perspectiva feminina: O que é que os homens querem? A pornografia fornece a resposta. A pornografia permite aos homens terem tudo aquilo que sexualmente desejam. Ela é para eles a verdade acerca do sexo. Ela relaciona a centralidade da objectificação sexual tanto com a excitação sexual masculina como com os modelos masculinos de conhecimento e verificação, conectando objectividade com objectificação. Mostra como os homens vêem o mundo, como ao vê-lo a ele acedem e o possuem, e mostra como é a acção humana de domínio sobre ele. Mostra o que os homens querem e como conseguem o que querem.
A partir do testemunho da pornografia, o que os homens querem é mulheres dominadas, mulheres espancadas, mulheres torturadas, mulheres degradadas e conspurcadas, mulheres assassinadas. Ou, para sermos just@s com o registo mais suave (soft core), mulheres sexualmente acessíveis, possuíveis, que estão ali à sua disposição, querendo ser possuídas e usadas, talvez com uma ligeira sugestão de escravidão. Qualquer acto de violentação das mulheres - violação, espancamento, prostituição, abuso sexual de crianças, assédio sexual, é apresentado como sexualidade, é tornado sexy, divertido e libertador da verdadeira natureza da mulher na pornografia. (…)

As mulheres são transformadas em e postas em paralelo com qualquer coisa considerada inferior ao humano: animais, objectos, crianças e – claro, outras mulheres. (…)

A pornografia é um meio através do qual a sexualidade é socialmente construída, é um lugar de construção, um domínio de exercício. Constrói as mulheres como coisas para uso sexual e constrói os seus consumidores para quererem desesperadamente a posse, a crueldade e a desumanização. A própria desigualdade, a própria sujeição, a própria hierarquização, a própria objectificação, o abandono em êxtase da capacidade de auto-determinação, é o conteúdo aparente do desejo sexual das mulheres e é o que é desejável. (…)

Se a pornografia não se tivesse tornado sexo para os homens e do ponto de vista dos homens, seria difícil explicar porque é que a indústria pornográfica arrecada biliões de dólares por ano vendendo-a como sexo principalmente para homens; porque é que é utilizada para ensinar sexo às prostitutas infantis, às esposas, filhas e namoradas recalcitrantes, a estudantes de medicina e a agressores sexuais; porque é que quase universalmente é classificada como uma subdivisão da «literatura erótica»; porque é que é protegida e defendida como se fosse o próprio sexo. E porque é que um eminente sexólogo manifesta o receio de que, se a perspectiva feminista se reforçar contra a pornografia na sociedade, os homens tornar-se-ão «eroticamente inertes»: não havendo pornografia, não há sexualidade masculina.”

Catharine Mackinnon: Sexuality, Pornography, and Method: "Pleasure Under Patriarchy"
(retirado do blog sexo e misoginia)
PS
Só os homens consomem pornografia (e algumas mulheres deformadas pela sua cabeça) enquanto as mulheres comuns consomem revistas cor-de-rosa e de sucesso mediático...As Marias e as Caras e as Gente...etc.
 

Sem comentários: