sexta-feira, abril 09, 2010

o inferno televiso...o mundo em queda livre...


“Na era da informação, vocês são afastados das fontes naturais de conhecimento: Os vossos midia pertencem e são controlados por aqueles que vos querem ver entretidos e ignorantes.

Vendem – vos versões escolhidas da realidade e completamente ignoram outras.
A televisão retarda o processo evolutivo e cria limitações, especialmente no caso das crianças, cujas primeiras impressões e imaginação desempenham um papel crucial na vida mais tarde. A televisão mantém-vos numa banda muito estreita de expressão emocional – basicamente caos e medo.


Aprende a observar como te sentes quando vês televisão.
É uma forma de controlo de frequência que está a ser tremendamente acelerada pois o medo tem vindo a ser promovido de forma muito rápida em todo o planeta através da televisão.”


Traduzido e adaptado de
Barbara Marciniak, EARTH, Bear & Co., 1994
»»»»

COMO É QUE ELES FAZEM?

O que é exatamente a doutrina do choque?

A doutrina do choque como todas as doutrinas é uma filosofia de poder. É uma filosofia sobre como conseguir seus próprios objetivos políticos e econômicos. É uma filosofia que sustenta que a melhor maneira, a melhor oportunidade para impor as idéias radicais do livre-mercado é no período subseqüente ao de um grande choque. Esse choque poder ser uma catástrofe econômica. Pode ser um desastre natural. Pode ser um ataque terrorista. Pode ser uma guerra. Mas a idéia é que essas crises, esses desastres, esses choques abrandam a sociedades inteiras. Deslocam-nas. Desorientam as pessoas. E abre-se uma janela e a partir dessa janela se pode introduzir o que os economistas chamam de terapia do choque econômico.

É uma espécie de extrema cirurgia de países inteiros. E tudo de uma vez. Não se trata de um reforma aqui, outra por ali, mas sim uma mudança de caráter radical como o que vimos acontecer na Rússia nos anos noventa, o que Paul Bremer procurou impor no Iraque depois da invasão. De modo que é isso a doutrina do choque. E não significa que apenas os direitistas em determinada época tenham sido os únicos que exploraram essa oportunidade com as crises, porque essa idéia de explorar uma crise não é exclusividade de uma ideologia em particular. Os fascistas também se aproveitaram disso, os comunistas também o fizeram.

Explique quem é Milton Friedman, a quem ataca energicamente nesse livro?

(...)
Continuar a ler em: http://pistasdocaminho.blogspot.com/

Sem comentários: