segunda-feira, outubro 22, 2012

A MENINA...

 
 
Em qualquer idade
“Quanto mais condicional e instável seja a admiração do outro significativo, tanto maior será a dependência do sujeito e o seu desejo de que não se produza o menor afastamento da perfeição para não se expor ao trauma narcisista da rejeição”.
Hugo Bleichmar O Narcisismo
Parece ser esta a nossa natureza. É assim na infância - pela dose insuficiente de amor, segurança e tolerância, a criança tende a manifestar dificuldades em aceder a uma real autonomia.
Quando mal tratada pelos pais ou substitutos, torna-se tambem paradoxalmente dependente destes, ao revelar anseio de proximidade ou até comportamentos de oposição que são outras formas de ligação (pouco saudáveis).


Pode ser assim na vida adulta – arriscamo-nos a ficar numa relação doentia, dependentes daqueles que nos dão pouco, mas que recorrem para isso, a um doce veneno ao se apresentarem fantásticos e indisponíveis. Ou agressivos, de vez em quando. Este comportamento agressivo, também serve para manter o vínculo e gerar no outro, sentimentos ambivalentes de amor e ódio.
Se não tivermos recursos de recuperação suficientes, esta condição pode transbordar para áreas da vida que exigem autoconfiança, capacidade de confiar nos outros e correr riscos.
Ao medo de tudo, não amamos, não estamos apaixonadas. Estamos dependentes.
 
COMENTÁRIO:

O PROBLEMA Real da falta de amor da criança e em criança começa com a nossa cultura e sociedade patriarcal ...com a falta de amor e respeito pela Mulher Mãe e também pela falta de consciência e integridade da Mulher-Mãe em si...

É que a MÃE NÃO PODE TER AMOR PARA DAR À SUA CRIANÇA SE ELA NÃO É AMADA em menina como menina nascida, logo à partida...

A questão é pois: se a menina não é desejada em geral pelos pais e a mulher é repudiada na sua identidade instintiva e sexo (pecado) e educada na submição e debaixo do domínio do homem, seja o pai, o irmão, o marido ou o padre ...ela nunca poderá amar os filhos...seja menina ou menino, embora mesmo assim prefira os meninos...

(...mas ficamos aqui no eterno dilema de se o ovo nasce primeiro se a galinha...)

 (Tenho tentado saudá-la...mas nunca acerto nas letras?) 

  rleonor

Sem comentários: