"NÃO SOU FEMINISTA, SOU ANTROPOLOGICAMENTE LÚCIDA" Ana Hatherly

terça-feira, agosto 16, 2011

APESAR DE ...


MAS QUERO (te) INTEIRA, COM ALMA TAMBÉM...

"... uma das coisas que aprendi é que se deve viver apesar de. Apesar de, se deve comer. Apesar de, se deve amar. Apesar de, se deve morrer. Inclusive muitas vezes é o próprio apesar de que nos empurra para a frente. Foi o apesar de que me deu uma angústia que insatisfeita foi a criadora de minha própria vida. Foi apesar de que parei na rua e fiquei olhando para você enquanto você esperava um táxi. E desde logo desejando você, esse teu corpo que nem sequer é bonito, mas é o corpo que eu quero. Mas quero inteira, com a alma também. Por isso, não faz mal que você não venha, esperarei quanto tempo for preciso."

Clarice Lispector

1 comentário:

guiomar disse...

Muitas vezes a mulher sem perceber andando pelas ruas, passa por um alguem que a enterrompe sua caminhada e comecam a conversar e ela muito ingenua, cai feito uma patinha em sua lábia. Logo ~vão se conhecendo, casam sem nhenhun saber sobre o outro, comessam a vida normal por enquanto. Mais depois vem as muidanças, as brigas, os desentendimentos, e já começa as agreções, físidas e moral. Só ai é que essa mulher passa a conhecer o homem com quem ela se casou para construir uma linda familia e serem felizes para sempre. Mais ela foi totalmente enganada por ela mesma, por se entregar ao primeiro que encontrou. Tudo bem que ninguem vem com uma estrela na testa dizendo eu sou certo, e mesmo se viesse todos desconfiaria loga.