terça-feira, agosto 07, 2012

QUASE UMA DESCULPA...


MULHERES & DEUSAS...


Ora minhas amigas, de facto sou obrigada a constatar que me falta alguma inspiração para continuar este Blog. Eu não digo de forma alguma que vá desistir. São muitos anos de trabalho e sei que há fases em que se está mais conectado com um certo espírito do que outras. No meu caso este Blog tem a ver com a minha escrita e com o meu trabalho. Não penso abdicar dele e com isto respondo a uma amiga que me escreveu e sempre que me escrevem aqui ou em particular é muito importante para mim saber o que sentem e pensam sobre o que escrevo e partilho aqui convosco.
Escrever aqui não tem nada a ver com o Facebook. É verdade que se acaba cedendo a um certo facilitismo, mas é uma enorme ilusão pensar que há comunicação. Como lia num outro Blog há pouco sobre o livro, As Novas Solidões: "na era das comunnicações estamos todos mais sós" e é verdade, nunca estivemos tão sós...e  porque toda esta ilusão de comunicação nos distrai de nós mesmas e como que impede uma aproximação mais real e  mais profunda de outros seres, sem sequer darmos por isso. Como se nos satisfizéssemos apenas com umas frases giras ou umas frases curtas e uma simpatia inesperada. Eu tenho verificado isso por mim mesma. É de facto tudo muito rápido e superficial na Internet e se não for a escrita como uma expressão do ser e em profundidade vamo-nos afastando cada vez mais uns dos outros  e viver apenas no virtual...todos corremos esse risco e eu sei isso.

Nunca como agora me senti tão frustrada com tudo o que deixo pela rama e sem eco...pessoalmente sinto que não há realmente verdade ou continuidade neste tipo de contacto virtual...as pessoas vão mudando e passando rapidamente e a páginas tantas são outros rostos e ninguém dos outros que já esquecemos...e é sempre a mesma coisa.  Enquanto que aqui eu sei que há pessoas - mulheres - que me lêem há anos...e que se mantêem fiéis a este espaço. Por isso destaco hoje este email enviado por uma leitora que muito agradeço.

"Gosto imenso do seu blog, tenho aprendido imenso consigo, não desista ensinar o seu conhecimento.
Não tenho facebook, e não estou a pensar aderir, não tenho paciência para conversas.... quando quero falar vou para a rua, gosto do contacto dos outros, ver a alma do outro através dos olhos, não quero julgar, mas até ao momento verifico que não preciso, gosto de alguns blogs, e este é um que, se possível vou todos os dias.
Gosto imenso das imagens que adiciona aos textos e claro das historias da mulher, da importância de ser mulher, também concordo consigo, a mulher de hoje banalizou-se, mas tem de existir mulheres como a Rosa para fazer a diferença, e é na diferença que evoluímos.
Continue a expressar-se e dar a sua opinião, se não gostam hoje à manhã vão gostar."
Cumprimentos,
V. S. R.
 
(Cara V. não ponho o seu nome por extenso porque se dirigiu a mim por email. Espere que não se importe de ter publicado as suas palavras que são além de um grande estímulo para mim, são muito válidas para todas nós...)

3 comentários:

Else Schumann disse...

apesar de nem sempre comentar, sigo o blog fielmente (como boa escorpiana) e repasso o link as minhas amigas.

paz, mestra

Rosa Leonor disse...

Obrigada Elsa...siga boa escorpiana...
abraço

rleonor

Liana hc disse...

Gosto muito do blog. Costumo ler pelo Google Reader e imagino que outras pessoas aqui também usem leitores de feeds, aí tem a questão de que essas leituras não vão aparecer na contagem de visitas dos próprios blogs.

Eu não sei como outras pessoas lidam com isso, mas no meu caso, que tenho trilhado esse caminho de autodescoberta e espiritualidade, tem sido algo mais silencioso e de observação. É uma jornada para dentro. Eu diminuí o ritmo externo e acelerei internamente.

Espaços como este aqui tem sido um porto seguro onde eu paro e me refaço do meio no qual eu vivo onde me sinto às vezes isolada e esgotada, pois a maioria não está interessada nas mesmas perguntas que eu, vivem em outro ritmo que eu não posso e nem quero acompanhar.

Na nossa jornada tem sempre os guias que nos auxiliam e acho que nem sempre nos fazemos presentes e gratos o suficiente a eles. Enfim, sou grata aos seus textos que tanto me acrescentam. E assim como eu estou aprendendo a respeitar as necessidades da minha própria jornada, desejo o mesmo para você, aqui e em outros projetos além deste blog.

Abraços
Ju