sábado, maio 27, 2017

O ESPAÇO TEMPO DO HOMEM

“Quando mulheres adormecidas despertam, montanhas se movem!”
(provérbio chinês)

A PERGUNTA DE UMA MULHER 

- "O que faz uma mulher consciente de si ? Qual sua atitude perante a vida /mundo/cultura/território / espaço tempo do Homem e com o qual co habita?"


Antes de tudo a mulher tem de despertar para si. A Mulher tem de ser uma ser autónomo. Com voz e linguagem própria. Porque sem que a mulher seja consciente de si como MULHER e a partir de dentro como Ente - sem se identificar mais com o seu papel social e familiar que prolonga na politica e no trabalho - isto é: em que não existe como Ente, como ser independente ou individuo e é apenas a esposa-mãe ou a funcionária ou então a executiva...e até pode ser a deputada e a ministra - dentro do Sistema e sabendo nós que a vida que ela ocupa no "mundo/cultura/território/espaço-tempo que coabita " é o do HOMEM - a pergunta devia ser:

"Como é que a mulher pode mudar ou vai mudar esse Espaço que é dominado há séculos pelo Homem? Com que armas, com que meios?"

...e ai vemos as mulheres quase todas, desde as feministas e as marxistas ou as Femen e as "vadias" (em marcha)  a lutarem cada uma à sua maneira, e a fazerem-no dentro Sistema que as anula e as abate...Fazem-no dentro de um mundo que é do Homem e onde ela nem é nomeada na gramática - afastada do léxico - onde não tem nome senão o do marido tal como os filhos e não tem lugar na sociedade a não ser como mulher ou filha de...mesmo que seja escritora ou cientista médica...

Há quem ache que  já não é nada assim...mas o que aconteceu é que tudo isto foi escamoteado e finge-se apenas que já não é assim; Finge-se que a mulher é livre...que é emancipada, mas a verdade é que esse modelo de mulher manteve-se ao longo destas décadas de dita "emancipação" tal como  foi  sempre para lá desse verniz cultural e ideológico deste ultimo meio século  e continuará a ser assim até que a mulher ACORDE E SE TORNE NUM ENTE autónomo e que justifique a sua existência sem  ser apenas como mãe  ou  amante ou filha de etc.
Mas não vou eu escamotear a pergunta que certamente quer dizer o que deve fazer a mulher consciente nesse espaço tempo do Homem?

Eu já disse: a não ser que a mulher acorde e ganhe uma consciência de si como ente e se valorize por ser apenas Mulher ela não vai conseguir chegar a lado nenhum: a mulher  pode gastar toda a sua energia na luta pela justiça e na luta pela igualdade social com o homem  mas ela nunca acontecerá de facto dentro do Sistema - o Sistema (seja capitalista, monárquico ou democrático) vive da dependência e anulação da mulher que o serve e é serva do homem e dos filhos e da família. Podem embelezar isso de muita coisa nobre e bela e até de amor e tudo o que quiserem - mas não fogem a esta realidade...a mulher serve o Sistema  anulando-se na sua identidade.

O Sistema vive de base da Família e da propriedade privada - a mulher é pois propriedade privada do homem pelo casamento quer ela queira ou não...e assim é tratada pelo Sistema. Querer mudar o sistema em seu beneficio é o mesmo que o destruir e isso ele nunca irá consentir, como não está a consentir ...Basta ver o que está acontecer no mundo inteiro contra a mulher, não é só o mundo islâmico...nem os fundamentalistas que são um perigo para mulher no mundo.
Basta olhar como a América elege hoje um Presidente machista misógino e racista, casado com uma barbie, como no Brasil uma mulher foi destituída e um Macho conservador e a sua mulher do lar e recatada, tal como em toda a Europa os direitos das mulheres estão a recuar e a mulher é violentada e abusada dentro das grandes cidades do mundo dito civilizado por bárbaros...
Na verdade o Sistema não pode perder o seu poder falocrático, em vigor desde há séculos, e todo ele é baseado no modelo da Família Patriarcal em que o Homem é a cabeça do casal e a mulheres e os filhos devem sujeitar-se a eles de todas as formas; Portanto as mulheres pensaram que tinham chegado a algum lado - como emancipação, igualdade ou direitos iguais - basta olhar este retrocesso cultural em marcha para ver que o que conseguiram foi mais aparente e muito apenas teoricamente, tirando algumas conquistas no campo académico e profissional. 
Assim a minha conclusão é: se querem continuar a seguir as teorias (ideologias machistas e idealizações ou religiões misóginas) e a perder energia contra o Sistema, façam-no; Mas  se querem ser conscientes de si como MULHERES tornem-se Mulheres de poder em si mesmas e imediatamente não haverá nenhum poder sobre si que não o da sua vontade.
E digo: mulheres se querem ser livres, realmente livres, vivam o vosso prazer sem depender do homem...não casem, não tenham filhos, e mesmo que tenham de conviver com o Sistema a nível exterior - porque estão dentro dele - presas a uma família e a um emprego, não lhes deem a vossa energia de luta nem a vossa força apoiando as suas causas fraudulentas...
Sim, deixem de lhes dar poder a eles alimentando a sua arrogância, ou a sua carência ...ou então se é essa a vossa escolha, sejam pois as escravas do lar ou as criadas para todo o serviço como o foram as vossas mães e avós...repitam o filme... 

rlp

A IMPORTÂNCIA DE RESTAURAR A NOSSA INTUIÇÃO

" O rompimento do vínculo entre a mulher e a sua intuição selvagem é muitas vezes encarado erroneamente como se a própria intuição é que estivesse destruída. Não é o que ocorre. Não foi a intuição que se partiu, mas, sim a bênção matrilinear da intuição, a transmissão da confiança intuitiva de todas as mulheres de uma linhagem, que já se foram, para aquela mulher especifica - é esse longo rio de antepassadas que foi represado. A com...preensão da mulher da sua sabedoria intuitiva pode ser fraca em consequencia do rompimento, mas com exercício ela poderá se restaurar e se manifestar em sua plenitude. As bonecas servem de talismãs. Os talismãs são lembretes do que é sentido, mas não visto, do que existe, mas não é de evidência imediata. O numen talismânico da boneca é o que nos recorda, o que nos diz, o que vê adiante de nós. Essa função intuitiva pertence a todas as mulheres. É uma receptividade maçica e fundamental. Não uma receptividade do tipo alardeado no passado da psicologia tradicional, que é como um recipiente passivo, mas sim, uma receptividade como a da posse de acesso imediato a uma sabedoria profunda que atinge as mulheres até aos próprios ossos."

Clarissa Pinkola Estes , em Mulheres que correm com os lobos.

O AMOR MITO



A UMA AMIGA FALAVA DE AMOR...

Ah o Amor...esse mito...o amor, esse sonho, o amor esse grito...milhares de anos, o Cupido...anjo maldito e cego, mas o amor que todas queremos e sonhamos não é mais do que o MIto vivo - um arquétipo...
Saber o que é amor não há como...como se alguém em milhares de anos soubesse o que é o amor ou como se o amor também afinal não fosse o ódio...simples como isto...amor é ódio e guerra e morte e vida e dor...a vida ela em si mesma todas esta amálgama, ignorância - ele é tudo desde o nascer e crescer e morrer...tudo o que se passa na nossa vida nesse intervalo...
Todo o sentimento é uma reacção, uma falta, um desejo de preenchimento, uma projecção ...tudo o que nos toca e faz reagir é amor...mas as mulheres sonham e pensam apenas nesse amor paixão que as possui e cega e que as cativa ou mata quem o sente...o amor é um espelho, o outro que se revela ou nós mesmas que nos vemos num espelho-miragem, será ele o nosso Ka ou duplo ,dizem os egípcios...o Narciso e Eco diziam os gregos... Eros e Afrodite diz a psicologia moderna...a ferida do amor é sempre uma ferida sempre que o tentamos ver a luz do dia...e nunca o vimos senão pela fresta...

Não, não há amor bom e amor mau...nem amor verdade e amor mentira - o amor sente-o ou adivinha-o cada um/a à sua medida, à medida das suas emoções e das suas ilusões e frustrações ...à medida do seu anseio e da sua ferida...à medida da sua idade e à medida das suas crenças...
Não há nem nunca houve um amor perfeito definido e estrito, infinito ou universal...embora se diga que sim e se cante e se poetize a dor do amor que se confundo com o amor-deus-ausência...canta-se o amor na ausência e na saudade nunca a Presença inefável...porque ele nunca se deixa ver...
Não, nunca ninguém soube o que era o AMOR...a não ser a sua idealização e a cultura...a religião...
Mas há quem brade aos céus em seu nome...e queira morrer por ele...mas é ele morte deus anjo ou diabo? Não, nada sabemos ao certo, ele é tudo e ele é nada...mas aponta o homem o dedo a mulher diz que ela é a culpada da queda, por causa da Maça do Conhecimento - e tudo o que o fez sofrer a ele, como se ele só importasse e a mulher fosse sempre a sacrificada em nome do amor. O amor que acaba ou não por surgir iluminando ou se revelando fugaz das mais diferentes maneiras ao homem e o salva, mas é a mulher em nome do amor desejo e paixão que arde sempre acusada de tudo deste os primórdios...ela é a má da fita, a feiticeira a maga e a bruxa, a maléfica e a puta sem coração que come todos os homens e é suja...e o homem é sempre fiel e um aspirante a santo, nobre e justo, casto...A pobre vitima coitada é seduzida e castrada pela deusa maga que o enfeitiça e faz perder a cabeça e o resto quando é o caso...Mas e a mulher? A mulher vazia e sem entranhas, a mulher que não é mulher nem de si sabe ela quer ser possuída e reduzida ao nada porque sim, porque ama...
Mas digam-me: Que espera a mulher do amor? Digam-me lá se puderem...
Ah sei tanto desse amor agora aos 70 anos como quando tinha 20 e acreditava nele...se bem que nunca tenha sido assim tão romântica...mas ansiava...encontrá-lo...e nunca encontrei porque o AMOR que eu sonhava teria de ser único e eterno... e ele nunca foi...sempre me fugiu de entre os dedos...


TALVEZ O SOPRO DO ANJO...


Relendo grandes autores...penso sempre...se ao menos tivesse a inspiração do poeta...ou o dom do escritor de génio...Mas não. Tudo o que escrevo não passa de panfletos rudimentares sem consequência, e embora às vezes me exceda e tenha rasgos estonteantes e pareça tocar um cume qualquer, depressa verifico o meu engano...e presumo que esse voo não passe do sopro de algum anjo que se compadece da minha pretensão literária e de grandeza humana..

Ah! falta-me esse golpe de asa...falta-me raiva e vontade de me vingar desta raça humana que às vezes amo tanto e outras desprezo...
Sim, subir mais alto como a pomba branca...em vez de cair no charco dos enganos, nesta miséria franciscana, presa à mediocridade dos dias e à sobrevivência terrena...

Rosa Leonor Pedro

quinta-feira, maio 25, 2017

A DECADÊNCIA GENÉTICA DO PATRIARCADO



ONDE ACABAM
AS MAIS BELAS MULHERES DO MUNDO...?

'As mais jovens belas mulheres do mundo escondem-se nos mais belos hotéis do mundo, com os homens mais ricos do mundo (mas onde se escondem os belos jovens? Eles não têm suficiente "carisma"?). Mas essas jovens mulheres de efêmeros privilégios nunca terão filhos na sua maioria, e eventualmente acabarão por fazer botoxes, liftées, silicone, retalhadas logo que a sua beleza diminua com a inevitabilidade do tempo. Onde estarão em velhas? Vão-se esconder num cemitério de elefantes para morrer no esquecimento? - decadência genética do patriarcado liberal."


Frédéric Mariez no Marriott Cannes

A VIDA NA TERRA


NATUREZA E ESPIRITUALIDADE
A Terra é um ser vivo, dado que todos os seres dela emanam.


"Como a Vida é consciência, obedeceu o planeta, no seu progresso evolutivo, à emergência de níveis sequenciais de consciência, desde a simples, correspondendo ao reino mineral, à sensitiva, presente no reino vegetal, à emocional, emergente no reino animal, e à mental, que floresce com a autoconsciência, característica do reino humano, o qual se direciona gradualmente para a emergência do plano espiritual, última etapa da evolução da consciência nesta dimensão do universo em que nos situamos.
Esta espiral obedece a um esquema em que se passa para uma etapa de grau superior, integrando e transcendendo a anterior, tudo se transformando, nada se perdendo.
Esta inter-relação nada mais é do que o Todo em que tudo se integra, nada estando separado, senão para os nossos olhos, emersos na superficialidade e por isso incapazes de verem o fundo onde reside o Real.
Vivendo nós adormecidos na inconsciência dessa essência profunda, concebemos a vida como um conjunto de elementos dissociados entre si, separando o dentro do fora, o eu dos outros, a pessoa da natureza, a matéria do espírito.
Importa, nesta ótica, preencher o vazio que nos habita com a aquisição daquilo por que ansiamos, lutando e destruindo, se necessário, desde que consigamos buscar fora de nós aquilo que desejamos e rejeitando aquilo que nos incomoda.
Tudo isto implica desarmonia e destruição, porque contrário às leis da vida, que obedecem à lógica da interação, que é Unidade ou Amor.

Consideremos, no entanto, que o processo de evolução da consciência se faz paulatinamente, obedecendo a uma escala de necessidades, que começa pelas que concernem ao aspeto material e biológico, em vista da sobrevivência do corpo físico, substrato básico de realidades imateriais mais subtis e de maior nível de consciência, que gradualmente virão a ser descobertas e consciencializadas.
Nesta primeira fase, o ser humano, inconsciente de si ao nível mais profundo do ser que é, visa apenas a aquisição de bens materiais e busca de prazer, que rotula de felicidade.

Se, nos primórdios da evolução do Homem, essa busca fazia todo o sentido, já que se procurava apenas sobreviver perante a adversidade das forças da natureza e dos riscos daí advindos, presentemente é apenas o vazio interior, por desconhecimento de si próprio, que justifica o anseio exagerado de ter e possuir.

O poder interior que nos determina, não descoberto por falta de auto-conhecimento, é substituído pelo poder sobre o exterior, nele incluídos todos os seres, manifestando desta forma a insegurança inevitável de quem não se define de forma própria, ponto de partida para se estabelecerem pontes de ligação com tudo quanto se manifesta.

Parece, pois, que quanto mais o Homem se prende à dimensão material ou exterior da Terra, num anseio de ter, menos capacidade tem de a amar, tendo presente que o apego é contrário à noção de Ser, isto é, ao Amor.

Nesta ótica, considera o ser humano, como desenvolvimento e progresso de uma qualquer sociedade a riqueza económica que advém da produção e aquisição de bens materiais, que julga serem as prevalecentes e quase únicas necessidades humanas, ignorando que a verdadeiro desenvolvimento - não descurando o necessário suporte básico material indispensável à sobrevivência -, assenta na abertura a níveis superiores de consciência, que realizem o ser nas suas várias dimensões ontológicas, considerando a dimensão do Ter como pressuposto elementar para a condição de Ser.
Parece, pois, ser nossa missão converter o plano do Universo em que nos situamos, caracterizado pela ênfase no Ter para a dimensão do Ser. É esta a busca que nos compete fazer, como mediadores que somos entre a Terra e o Céu, dado sermos, de entre todos os seres da natureza, os que se encontram no patamar cimeiro da espiral de consciência.

Teremos, pois, de espiritualizar as nossas vidas, para que isso seja irradiado em redor, iluminando a natureza e tudo quanto dela emerge e assim descobrindo a Vida e a sua sabedoria.

Dotados de autoconsciência, tal tarefa terá de começar por um trabalho sobre nós, de forma a encontrarmos a Luz que nos habita, iluminando as trevas da ignorância, geradora do mal.
Ao aprofundarmos a consciência de quem somos, descobrir-nos-emos como expressões da VIDA UNITÁRIA QUE TUDO É e assim como nos amaremos, por sermos Vida, igualmente o faremos em relação a tudo quanto o É também.

Importa, pois, assumirmos a responsabilidade do estado em que se encontra o mundo, dado que a realidade mais ampla e a mais pequena são uma só. A natureza também nos habita, fazendo nós dela parte e apenas a ignorância justifica a ideia de separação entre a mesma e o ser humano.
Teremos, assim, de descobrir a Vida, que integra todos os planos do Ser, a que teremos de aceder, se queremos ser completos e realizados.
Não ficamos, pois no primeiro degrau da escada infinita que nos compete subir, já que a humanidade se encontra predominantemente no patamar inferior, no plano material e fisiológico.

Quando subimos um pouco, percebemos que o que antes víamos era apenas uma parcela ínfima daquilo que é a Realidade a encontrar, e o nosso olhar pasmou com a paisagem mais ampla que agora se manifestava. Confrontámo-nos, assim, com a ignorância que anteriormente tínhamos, julgando que o mundo era o pequeno quintal onde nos situávamos.
Integrando esta etapa na escalada a percorrer, como suporte da ascensão, paralelamente teremos de a transcender para aceder aos patamares seguintes.
Caso permaneçamos na destruição ambiental, originaremos a prazo a morte do planeta e de sucessivas reencarnações, para que no final da viagem se transforme num sol, que alumiará e dará vida a outros planetas, em resultado da iluminação de todos os seres que nele habitam.

Estará, então, completa a missão que nos foi cometida de espiritualizar a Terra, mediante a nossa própria espiritualização, como intermediários que somos entre o Céu e a Terra.
A Terra é, pois, o nosso berço, onde nascemos para crescer e evoluir e assim, atingir os diferentes planos que, no final da viagem se abrirão para a Luz que é a realização almejada desde sempre. "

(Margarida Branco)

"Atentado contra show em Manchester"


O MUNDO DOS EXTREMOS...

Continuo a pensar e impressionada com a performance dessa mulher-menina cantora...e a forma nefasta como isso se pode repercutir nas mentes das jovens e nas meninas - de todo o mundo - algumas de 7 ou 8 anos - que adoram a cantora...Sim, se fosse só uma cantora com uma voz fantástica...mas ela é já a coqueluche das industrias da musica que são de quase pornografia e transformam estas meninas-mulheres em vedetas sexy explorando o seu corpo...
Penso em como podem os pais oferecer bilhetes para um espectaculo de erotismo de massas para jovens e meninas (crianças) como se fosse uma prenda? E como podem as mães e pais acompanhar meninas de 8 anos a este tipo de iniciação macabra - vão dizer que sou velha e estou fora de moda, que sou conservadora...e sei que se publicasse isto no meu mural do facebook matavam-me - mas PENSEM...que mundo é este em que vivemos que expomos e vendemos mulheres- meninas (sim, já tem 23 anos...) a esta profanação do corpo da mulher que é o espectáculo da musica nestas ultimas décadas sem pensar nas consequências ou seja nos extremos, nos opostos...mas sobretudo na alienação de todas estas jovens mulheres que se pensam "mulheres" através deste modelo...?

Não é só a Voz...
Não é só a Musica...

Há muito mais por detrás disto tudo, estas performances eróticas,  a vulgarizar e a prostituir de forma subliminar a imagem da mulher no palco cujo corpo-sexo é uma oferta obvia ou disfarçada aos pedófilos, aos tarados e às Mafias que abundam em todo o mundo. Mas ninguém quer ver isto. Os pais ignorantes e estupidificados com os Midia e a fama vendem as filhas aos olhares do predador...e as entidades competentes (?) estão-se nas tintas para o mundo do espectáculo, do cinema e da pornografia que já está por conta das grandes Mafias, as Industrias da musica.
A Mulher e neste caso as meninas...são só carne para canhão...e a multidão cega e histérica, jovens e adultos, vão atrás de tudo isto com o sonho de serem famosos ou as filhas porque o Mundo se transformou num palco onde tudo se vende por nada, por uma imagem, um segundo, aparecer na TV...Penso no degradante e miserável espectáculo da TVI ou da SIC como cenas de autentico Bordel?
E penso como os escritores, os artistas e os intelectuais discutem todos politica e finanças e o resto é só mercadoria incluindo eles e todas pessoas e sobretudo as mais valias - sempre a mulher como principal artigo de luxo...


AS VITIMAS do "Atentado contra show em Manchester"

Vendo um vídeo desta cantora ainda menina, imagem que se explora e não é acaso,  nas poses e nas palavras da canção e na forma com esta sociedade trata a mulher e a expõe e ela própria aqui se submete a esta encenação e comercialização de si - diria que a sofisticada performance destas jovens não está muito longe da pornografia embora dentro dos limites do que se chama erotismo...mas penso como é que um jovem muçulmano "educado" nos extremismos, desajustado socialmente e cheio de ódio às mulheres e ao ocidente não se ...oferece para "mártir" ao Daesh e rebentar-se como um bomba à entrada de um espectáculo que é a antítese do seu mundo? 
Alguém pensa no que está por detrás destas acções desumanas e bárbaras destes indivíduos ressabiados em confronto com um mundo que eles negam e que os nega a eles?
É que de repente...o mundo e os seus dois lados, os seus dois extremos se tocam da forma mais brutal e criminosa...e os dois extremos são igualmente CRIMINOSOS. E é isso mesmo que eu quero dizer - que o TERRORISMO é também uma resposta global ao laxismo e à falta de valores do mundo e a Barbárie é a resposta brutal à hipocrisia mundial dos que fazem a guerra e a esta falsa civilização, a este mundo ocidental totalmente degenerado e tudo isto não é mais do que as Leis do Universo a mostrar o erro humano per se, o ponto de rutura da própria Humanidade.
Sim, eu sinto a maior repulsa por este mundo podre e mentiroso e até mesmo  um certo "ódio" aos muçulmanos em geral pelo que eles fazem as suas mulheres, e odeio todos os fundamentalismos, mas não consigo deixar de ver  como a própria vida nos mostra que nenhum dos lados está certo e que ambos estes fundamentalismos estão errados, e que a Mulher é mais uma vez a sacrificada no meio da bestialidade humana.

rlp

quarta-feira, maio 24, 2017

LUTO PELO MUNDO



SENHORA DO LUTO INFINITO...


Ó carinhosa do Além, senhora do luto infinito,
Mágoa externa na Terra, choro silencioso do Mundo.
Mãe suave e antiga das emoções sem gesto, ...
Irmã mais velha, virgem e triste, das ideias sem nexo,
Noiva esperando sempre os nossos propósitos incompletos,
A direcção constantemente abandonada do nosso destino,
A nossa incerteza pagã sem alegria,
A nossa fraqueza cristã sem fé,
O nosso budismo inerte, sem amor pelas coisas nem êxtases,
A nossa febre, a nossa palidez, a nossa impaciência de fracos,
A nossa vida, o mãe, a nossa perdida vida
...


(EXCERTO DE POEMA DE FERNANDO PESSOA)

O SEGREDO



Da Serpente à Imaculada

«Para tentar apreender o segredo da pátria portuguesa mesmo num só fragmento, será permitido começar por vê-la como telúrica, infernal e oracular, salvífica e ainda limítrofe: como terra de fronteira».
(...)
Mas, se é esta metade telúrica - e ela ainda, descendo às suas entranhas mais fundas, ctónicas - a que dominará o complexo mítico e existencial português, este surgirá desde logo, integrando uma bipolaridade, como união da Terra e do Céu. Hierogam...ia que por ela singularizará a nossa cosmogonia.
Como terra infernal, ela será votada a partir de seus primórdios, ao culto dos mortos e da fecundidade e ao poder oracular e salvífico, o que lhe é concedido pelas águas, as que em si detêm o conhecimento do futuro e as que também regeneram e purificam. "
(...)
Dalilia Pereira da Costa

terça-feira, maio 23, 2017

POETISA



..."Sim chamar-lhe-ei poetisa. A homenagem que destingue o génio poético feminino com o prémio de lhe masculinizar o estro ultraja uma poesia que quer feminilizar o mundo com magia e claridade lunar."  -  Natália Correia 
......
vem, lira divina,
e me responde;
encontra, tu mesma,
tua própria voz
e
de [vossa casa] dourada,
vinde a mim, ó Musas


Safo

sexta-feira, maio 19, 2017

SOU O ABISMO



“Sou o abismo perdido entre o não-ser e a escuridão. Sou o desejo e alma, correndo nua na meia-noite esquecida, procurando aquilo que não é, mas pode vir a ser; o verdadeiro anseio, a paixão.”


Clarice Lispector

quinta-feira, maio 18, 2017

AS COISAS SECRETAS DA ALMA



As Coisas Secretas da Alma

Em todas as almas há coisas secretas cujo segredo é guardado até à morte delas. E são guardadas, mesmo nos momentos mais sinceros, quando nos abismos nos expomos, todos doloridos, num lance de angústia, em face dos amigos mais queridos - porque as palavras que as poderiam traduzir seriam ridículas, mesquinhas, incompreensíveis ao mais perspicaz. Estas coisas são materialmente impossíveis de serem ditas. A própria Natureza as encerrou - não permitindo que a garganta humana pudesse arranjar sons para as exprimir - apenas sons para as caricaturar. E como essas ideias-entranha são as coisas que mais estimamos, falta-nos sempre a coragem de as caricaturar. Daqui os «isolados» que todos nós, os homens, somos.

Duas almas que se compreendam inteiramente, que se conheçam, que saibam mutuamente tudo quanto nelas vive - não existem. Nem poderiam existir. No dia em que se compreendessem totalmente - ó ideal dos amorosos! - eu tenho a certeza que se fundiriam numa só. E os corpos morreriam.


Mário de Sá-Carneiro, in 'Cartas a Fernando Pessoa'