"NÃO SOU FEMINISTA, SOU ANTROPOLOGICAMENTE LÚCIDA" Ana Hatherly

quarta-feira, abril 20, 2011

A DESCIDA AO ABISMO


“O sofrimento é uma parte relevante do feminino subterrâneo. Ele pode permanecer inconsciente até que o advento da Deusa da Luz o desperte para a percepção, o mova do entorpecimento silencioso em direcção à dor. Ao nível mágico da consciência ele é suportado de forma amenizada numa aparente “insensibilidade”. Desse modo como que não há percepção de sofrimento.
(...) Mas o sofrimento é uma parte do feminino .”*

Isto quer dizer que quando a mulher tem consciência da Deusa da Luz, o sofrimento que a sua ausência - ou a falta de consciência de si mesma - provoca, é anulado pelo conhecimento de uma parte de si que lhe faltava e que serve de suporte à sua evolução e a uma nova postura na vida. Enquanto a mulher não fizer essa descida ao abismo que ela mesma é, ela não consegue deixar de sofrer a sua divisão e fragmentação e viverá como vítima secular reduzida a um instrumento de procriação e prazer ao serviço da sociedade, manietada pelo estado e pela religião. Pois “a vida da mulher tem sido uma realidade de partos repetidos e verdadeiramente presenciados pela morte, um ciclo natural que manteve a maior parte de sua vida centrada na áspera malignidade da realidade, na sensação de estar vivendo à beira de um abismo. Assim a criatividade feminina se consumiu nos partos, nas artes e manutenções domésticas - coisas sujeitas ao desgaste e à destruição, coisas a ser devoradas - além de não ter muito valor num contexto cultural mais amplo, embora constituam a força civilizacional básica de qualquer cultura, imediata e pessoal, construída nos pequenos interstícios do processo de manter a sobrevivência da família. Num contexto destes não é de espantar que o homem judeu agradeça a deus por não ter nascido mulher.(...)”*

“CAMINHO PARA A INICIAÇÃO FEMININA”
De Sylvia B. Perera

1 comentário:

Myrian disse...

Querida Rosa
Sempre me lembro de você... seu carinho... seu afeto... suas gentilezas... sua inteligência...
Tenho vindo pouco aqui. Estou vivendo um momento difícil em relação a saúde de meu marido mas qualquer hora te escrevo...
Gosto de ler suas mensagens faz um bem danado, mas sei pouco comentar.
Amo você querida amiga e não te esqueço.
Estou ainda com problemas no meu email...rs... já é falta de vergonha né? Mas logo mandarei arrumar tudinho e volto a te encontra5 através deles...
Beijinhos
Myrian (yriana)

Veja que odiosidade, que aberração:
http://www.consciencia.net/jornalista-da-globonews-e-da-veja-chama-embaixadora-do-unicef-de-piranha/