quarta-feira, julho 17, 2013

A MORTE INICIÁTICA

ISIS A INTEMPORAL MÃE,


A INICIADORA DA VIDA E DA MORTE...

” Eu, ISIS, senhora dos mistérios da natureza, me dirijo a ti:”

“Tu, neófito que buscas atravessar o portal da iniciação, e tu, profano que lês por curiosidade, serena teu espírito, clareia a tua mente, acalma as  tuas emoções.
Distancia-te do mundano ruído, abriga-te no manto de teu próprio EU para que possas transpor sem perigo o umbral que conduz à morada dos bruxos.
Lança os teus prejuízos; despoja-te de teu egoísmo, foge por um instante do personalismo e da insensatez; analisa com olhar sereno.”

“Não temas senão a ti mesmo, não duvides senão do que analisas superficialmente, não negues sem primeiro refletir. Separa-te da multiplicidade que obscurece as  tuas ideias; sê tu mesmo e pensa por ti mesmo; não te limites.”

“Tu, buscador de maravilhas, tu, candidato à iniciação, não olhe para a distância, reúne todas as tuas energias em ti mesmo. Esquece-te da Índia e do Tibet, não clames a Deus, Alá ou Jesus Cristo.

O que buscas está aí mesmo onde tu estás neste momento. Sim, deixa de olhar para fora e sepulta teu olhar no mais profundo de ti mesmo. Aguça a tua percepção, afina os teus sentidos, e aí no centro de teu ser estarás tu mesmo, teu EU, tua verdadeira essência, a verdade detrás da mentira, a energia imortal que anima o barro.
Olha com atenção e reverencia, porque és luz….essa luz que te cega, é Deus. Escuta como diz: Eu sou o caminho e a vida.”
“Mas…,cuidado!, não se pode contemplar a Deus cara a cara sem morrer.
Estás disposto a seguir? Posso conceder-te um grande dom.
Te ofereço….a morte!
Não temas, esta morte é o dom dos imortais, é  da fênix que renasces gloriosos de entre suas próprias cinzas.
Para ser, é prévio não ser; para nascer e ser, se deve morrer primeiro. Se o consegues, serás chamado o Duas vezes nascido.
Não desdenhes a minha oferta, pensa bem; mais vale morrer agora que viver à espera da morte.
Não acredites que se me rechaças poderás seguir indene o teu caminho, pelo contrário, todos os caminhos conduzem a mim; ignora-me e serás como os órfãos, que não conhecem a seus pais.
Somente tens dois caminhos: ou te devoro, ou te casas  comigo.

Tua, e só tua é a escolha.”

“Se escolheres ser devorado, dedica-te a gozar da vida, apura a cálice do prazer até a última gota, fecha a mente à voz do  teu espírito, entrega-te à besta, e desfruta do prazer sensual da matéria.
Assim, quase sem dar-te conta, chegará o momento da antropofagia final. Acreditas acaso que me compadecerei de ti?
Te enganas, não tenho sentimentos, estou mais além do prazer e da dor, mas além do bem e do mal, sou como o sol que se levanta nas manhãs para alumbrar a todos por igual.
Depois de tua morte serás somente um despejo e uma recordação. Depois…nem sequer isso.”

“Se anelas desposar-me deves estar disposto a sofrer a morte iniciática, terás que passar as provas às quais te submeterá sem piedade a terrível Esfinge para aquilatar teu valor espiritual e a qualidade de teu templo.
Eu me entrego somente ao que chegou à crucificação, resistindo aos embates dos quatro elementos.
Amo somente aos que tem sabido apurar o cálice da amargura, das traições, do escárnio e a mofa, perseguições, calúnias e difamação; aos iniciados que tenham persistido com valor, sofrendo da solidão do espírito em um mundo de animais.
A mim se chega depois de haver recebido a calúnia e a difamação, que são as provas do ar; dos golpes e das perseguições, que são as provas da terra; dos vícios e das tentações sensuais, que são as provas da água, e depois de haver dominado as ambições descontroladas, que são as provas do fogo.”

“Não acredites que no mundo existem só os nascidos uma vez e os duas vezes nascidos; também existem, por desgraça, os uma e meia vez nascidos, e os abortados.
Guarda-te de engrossar suas filas convencido por sua maquiavélica linguagem, já que estes não vivem nem neste mundo nem no outro; são aqueles que em verdade não são nem iniciados nem profanos, os imitadores dos mestres, os semi-sábios, os semeadores de mão suja, os seguidores da letra morta, e os magos negros, que me cobiçam e se vangloriam de meu amor, quando não são dignos sequer de meu sorriso.
(…)
 
in El hombre Estelar", de John Gaines

3 comentários:

Tanya Althea disse...

Querida Mestra! fiquei sem ar! Obrigada por compartilhar!
A Deusa que há em mim honra a deusa de seu Coração!
Tanya Althea
Brasil

Rosa Leonor disse...

De nada minha amiga! Eu é que agradeço a sua sintonia!

abraço de Portugal
sempre
rleonor

Anónimo disse...

Oi Rosa! O que foi isso que eu li aqui, logo após ter lido o seu email de retorno?! Eu sou aquela que vc demorou a responder por não usar muito aquele seu email.
Por favor me envie um email seu para aquele mesmo endereço, pois preciso demais falar com você.
Aquele assunto ao qual me referi vagamente nele, diz "e-x-a-t-a-m-e-n-t-e" a respeito do que contém neste texto magnífico.
O que dizer da "direção", da "intuição" e do "amor" que me conduziu neste momento até este post, logo após uma pergunta à Deusa em mim, que caminho eu deveria escolher; e a resposta está toooodinha aqui!
Por favor me escreva, para que eu possa me comunicar com você pelo email correto ok? Grata à você e à mesma Força que nos conduz.

Não precisa editar este comentário ok?

Entrei como anônima, porque sei que vc irá entender p porquê dessa minha atitude, após o que quero te contar.
Grata desde já pela sua compreensão.