"NÃO SOU FEMINISTA, SOU ANTROPOLOGICAMENTE LÚCIDA" Ana Hatherly

terça-feira, outubro 11, 2011

A OPRESSÃO E VIOLÊNCIA SOBRE A MULHER


O FUNDAMENTALISMO CRIMINOSO ISLAMICO

A actriz iraniana Marzie Vafamehrha foi condenada a um ano de prisão e 90 chicotadas pela sua participação no filme «Teherane Man Haray», informou hoje o site Kalameh.
Depois de tomar conhecimento da sentença no último domingo, decretada por um tribunal de justiça do Teerão, o advogado de Marzie apresentou um recurso à instância superior, acrescentou o site.
Mulher do cineasta iraniano Naser Taghvai, Marzie foi detida no final de junho, segundo a mesma fonte, por ter actuado num filme que narra os problemas de uma jovem artista para viajar à Austrália.
Taghvai declarou ao site Kalameh que outras pessoas envolvidas no filme também foram presas, mas só Marzie foi condenada. Segundo o cineasta iraniano, o filme contava com a permissão do Ministério de Cultura e Orientação Islâmica.
«Marzie está numa prisão de Garchak, numa província de Teerão. O local é um antigo galinheiro que não apresenta as mínimas condições higiénicas», acrescentou o marido da atriz.
Produzido há quatro anos por Garanaz Musavi, uma cidadã iraniana que reside na Austrália, o filme foi resultado de uma tese universitária e contou com a participação de muitos estudantes, todos com a permissão das autoridades.
Apresentada em vários festivais, o filme chegou ao Irão por vias desconhecidas e acabou por ser distribuído no mercado negro. «Antes, o filme era vendido por menos de 1 dólar. Agora, devido ao processo, custa 6 dólares», adiantou Taghvai.
A pressão sobre os artistas, especialmente mulheres cineastas e atrizes, aumentou muito nos últimos meses no Irão e várias delas foram detidas, processadas e condenadas com diversas penas.
in Diário Digital

Sem comentários: