"NÃO SOU FEMINISTA, SOU ANTROPOLOGICAMENTE LÚCIDA" Ana Hatherly

quinta-feira, maio 16, 2013

ISTO NÃO É CORAGEM...É COBARDIA!



ATENÇÃO:
(não leiam...)
VOU SER CRUEL E ANTI-ANTI-ANTI "POLITICAMENTE CORRECTA"...


Como nós damos crédito a uma imagem de mulher tão longe do seu Feminino essencial, apesar da aparência bela e delicada de anjo...mas tão longe da mulher real e de uma qualquer consciência do SER profundo, das leis da vida e da morte e que se deixa dominar pelo medo de ter um cancro e só porque os médicos, a autoridade controladora da "vida e da morte" no Sistema, num mundo de destruição macabra,  que corta e arranca os seios e o útero ou os ovários às mulheres pelo simples receio ou prevenção do cancro e tantas vezes ficam sem seios ou sem útero e afinal não tinham nada...senão o medo criado pela propaganda das Farmacêuticas, produzida pela MÁFIA MÉDICA.

Que CANCRO  maior do que esta visão macabra de uma ciência que decepa e corta assim as mulheres por vontade própria, que as reconstrói a partir de silicone e borrachas?
Que CANCRO maior do que o Cinema e a sua alienação na criação de mitos  e imagens, de heróis e vampes de uma "beleza" plástica...Que cria implantes e faz e refaz novos seios como quem faz ...ovos estrelados...?.

Só uma pessoa que se vende - sim que diferença há entre uma prostituta que vende sexo e uma actriz que vende o corpo todo, e se submete a cenas macabras, de ódio e de guerra, cenas ousadas ou eróticas com dezenas de homens? e faz múltiplos papéis em que o seu corpo serve para todo o tipo de abusos, sim, abusos...autorizados...e tudo isso claro, por dinheiro e fama, sem AMOR...

E depois vem a imagem patética e deslumbrante do casal ideal...o homem mais bonito de Hollywood, os filhos adoptados... as crianças sem mães, miseráveis e cheias de fome da ONU cheia de boas intenções e que não é senão outra mentira pegada, manipulada pelo poder bélico americano...

....creio que na verdade esta mulher não existe...não passa de uma Imagem igualmente manipulada pelos média e pelos médicos, neste caso...e o que dela resta nem lhe permite estar  consciente como em tudo isto ela é e tem sido objecto de propaganda mediática e que não passa de uma imagem de mulher-objecto ainda que rodeada de uma aurela humanitária, mas sempre e certamente dada a crueza-medo como se auto-mutilou e sofreu por antecipação ao mal que temia...pelo medo da morte ou a paranoia de morrer  - sim a falta de coragem para enfrentar um processo real de vida e morte e não mais um filme de terror -  em benefício e aproveitamento do sistema...que usa a mulher para tudo.
O que mais me chocou neste caso foi que ela  sabia que era apenas uma probabilidade de ter câncer em 80 ou 90 por cento que fosse, pela análise dos genes...e sem se ter de facto nada manifestado...é isso que é absurdo...nesta cultura de destruição e de ficção que é o Cinema que fazem da vida uma mera cena cinematográfica...mata-se e corta-se o corpo em vida  como nos filmes...pois quem sabe quem é quem e quem é verdade no mundo de toda esta montra de  mentira holywoodesca?.
Sim, eu sei que me acham cruel, que não gostam da minha objectividade, sim sei  que desmontar os mitos não é politicamente correcto...nem angaria fama nem dinheiro, mas eu não estou à procura nem de uma de uma coisa nem de outra, Felizmente. A mim o que me move é a verdade sem máscaras...doa a quem doer. Porque a mim também me dói...tantas vezes que no cair da máscara vai um pouco de pele atrás...e dói que se farta!
rlp
 
PS.
Deixo-vos um comentário lúcido com o qual concordo em absoluto:

"Não acredito em genética nem na medicina atual que é mais uma venda de serviços.

O que a Angelina faz com seu corpo e vida, é problema dela, porém isto repercute e assim como as modelos servem de modelos para a sociedade alienada, este será com certamente copiado. Achei uma atitude de uma mulher doente e paranóica, porém ela é uma atriz. Pior um médico estudar e concordar com este tipo de coisa.

O que devemos esperar de uma medicina que enfia um monte de próteses mamárias, glúteas e outras monstruosidades? São os vendedores atuais.

E ratifico aqui que achei ainda mais idiota algumas mulheres que intitulam-se feministas louvando uma paranoica e escolhendo-a como exemplo de mulher.


Ridículo!"
(else s.)

9 comentários:

Fernanda disse...

Leonor, respeito a sua opinião, e respeito realmente aqueles que desconstroem e analisam mitos inculcados na sociedade que nos levam a comportamentos mecânicos.

Dito isto, devo dizer que empatizo com a decisão da Angelina Jolie; 87% não é uma percentagem a minimizar. Além disso, ela experienciou com a mãe algo que a marcou profundamente, enquanto filha, e que ela agora projecta nos próprios filhos.
Eu também vivi um período da minha vida sentindo a espada de Damocles sobre a cabeça, e penso que terá sido assim que Angelina se sentiu; esta cirurgia devolveu-lhe a tranquilidade.
Antes de ser mãe, a morte não me assustava nada, até porque acredito na reencarnação, porém agora já não é assim. Quero viver para criar os meus filhos. O amor de uma mãe pelos filhos é visceral, damos a vida por eles. Então porque não uma parte do corpo? Por isso, como mãe, comprendo a actriz.
Ela própria afirmou que continua a sentir-se feminina, e eu valorizo o facto de alguém se sentir mulher, mesmo após uma mastectomia. A nossa feminilidade está dentro da nossa cabeça, não é expressa em símbolos corporais.

Se Angelina Jolie tomou um decisão que lhe proporciona tranquilidade, ainda bem para ela.
Especular sobre a maravilha da vida que tem, do marido, da família, não aporta verdade, apenas dúvida. Quem quiser que acredite, e no que quiser. Eu acredito que é possivel existerem pessoas a fazer o bem desinteressadamente. É o caso dela? Não sei, não a conheço. Era bom que fosse, o mundo também necessita delas, como necessita dos "desfazedores de mitos".

Claudia Halley disse...

Pode ate ser que seja verdade fazer isso do que passar por quimioterapia e outras coisas mais. Mas igual ela tem chance de ter o cancer, pode também n ter, e acaba se tornando algo inutil. seria bem melhor se ela investisse na prevenção levando uma vida saudável e com alimentos que a ajudariam a n ter cancer. ta, ela tirou as mamas, mas continua tendo chance de ter outros tipos de cancer, então porque a gente n se mata de uma vez.

Rosa Leonor disse...

Como devem calcular eu respeito inteiramente as opiniões das minhas leitoras...e aqui está o exemplo de como todas podemos pensar de forma diferente. Agradeço a ambas o vosso contributo...
um abraço
rl

Rosa Leonor disse...

Fernanda eu gostava que lesse a carta que eu escrevi a uma amiga...

Fernanda disse...

vou ler...

Else Schumann disse...

Concordo com tudo que disse.
"probabilidade"? Trabalhei anos e anos em hospitais e asilos, posso dizer que 70% das mulheres idosas não tinham um dos seios. Quais os homens que tirarão seus testículos com "probabilidades".
Se é probabilidade, pra quê existe prevenção?
Mas o pior pra mim, como falei no meu comentário anterior, é como a mídia usa a imagem e as pessoas idolatram as monstruosidades sem propósitos. Para quê? Pra mascarar uma doença que está lá dentro, no ser.

Concordo plenamente, pra mim é covardia e nenhuma coragem.

Agora ela vai tirar os ovários também.

Esta mulher tem sérios problemas psicológicos. Idolatram uma mulher doente.

Else Schumann disse...

Esqueci de dizer:

Vc não é cruel, você é lúcida, Rosa.

Obrigada pelo carinho.

Rosa Leonor disse...

Obrigada mais uma vez Else. Sim essa mulher é doente mesmo, creio que se auto-mutilava quando mais jovem...

um grande abraço

rl

Deolinda Blathorsarn disse...

Rosa estou plemamente de acordo contigo...