"NÃO SOU FEMINISTA, SOU ANTROPOLOGICAMENTE LÚCIDA" Ana Hatherly

quarta-feira, maio 22, 2013

QUANDO AS MULHERES ERAM AMADAS...

 
QUANDO OS HOMENS ADORAVAM...

 
 
"Que medo, meu Amor, deste mundo tamanho, com cordilheiras de sombras e Noites sem Luz: tenho frio, meu Amor, e os teus olhos estão iluminando outros horizontes que eu não vejo.
Socorro meu Amor!
Olha-me; que a...
Noite é negra, tenho muito frio, muito medo da Noite tão negra em que me perco!
Há fantasmas na Noite, larvas disformes que o teu olhar alindava e vestia de Luz; não fujas, meu Amor, com os teus olhos, ai! não adormeças, meu Amor, que as larvas se levantam e vão povoar o Mundo..."


in ADORAÇÃO de LEONARDO COIMBRA
 

1 comentário:

Anónimo disse...

Leonardo, escreve palavras muito bonitas. O que é admirável. A linguagem é suave e poética... muito figurativa!
Beijo
Filhota