quarta-feira, março 13, 2019

AS MULHERES NÃO TEM DE SER FEMINISTAS!



AS MULHERES NÃO TEM DE SER FEMINISTAS! TEM DE SER MULHERES!

EU ACREDITO NAS GRANDES MULHERES QUE FIZERAM HISTÓRIA 

Nestes dias muitas manifestações se fizeram e pela primeira vez em Portugal milhares de mulheres foram para a rua nos dia 7 8 e 9 de Março, muitas mulheres desfilaram e gritaram os slogans contra a violência doméstica. De uma forma geral essas manifestações foram atribuídas a movimentos feministas e a partidos de esquerda, e também se partiu do principio que todas as mulheres que saíram a rua deviam ser feministas, mas para se indignar e lutar pelas mulheres não tem de se ser feminista e creio que a maior parte dessas mulheres não eram partidárias ou feministas. Quero enfatizar esta questão porque me irrita um pouco que agora há esta necessidade de se atribuir todas as acções passadas e todas as "conquistas" e liberdades adquiridas pelas mulheres se tenham devido a feministas segundo alguns dos slogans. Ora eu não sou feminista e lutei sempre pelas mulheres - embora em tempos muito longínquos tenha pensado e agido como tal e me tivesse enquadrado nessa designação, hoje em dia não vejo necessidade alguma de entrar em grupos tão divergentes entre si, pois para o mais importante hoje é sem duvida uma nova CONSCIÊNCIA DA MULHER, uma consciência que não apenas social e politica e económica mas essencialmente ontológica e do domínio do sagrado, e refiro-me aos aspectos da natureza ctónica e telúrica da mulher, aos aspectos associados ao Principio Feminino e a urgência da mulher acordar para essa consciência.

Eu sempre lutei e escrevo desde há muitas décadas para as mulheres sobre essa consciência e a cisão da mulher e penso que Mulher só se emancipa realmente a começar por dentro e por si. E o que eu escrevo e defendo é que a Mulher tem de ser mulher em si, uma mulher plena e isso a maior parte das ditas feministas não são nem tem essa consciência. Elas traem a sua identidade feminina intrínseca negando os aspectos espirituais da sua herança primordial para se tornarem em meros corpos instrumentalizados construídos e por isso se associam as teorias de género aceitando travestis e transsexuais como mulheres. Sim, não só estão de acordo com essas teorias como defendem as ideologias de género. Elas aceitam que um homem transgénero possa ser identificado como mulher.

Elas pensam que a mulher se constrói socialmente e é um produto cultural e isso prova o seu ego masculino mas A MULHER É MULHER E NASCE BIOLOGICAMSNTE MULHER. A Mulher nasce com Utero e Ovários e vagina. A Mulher tem seios. A Mulher é biologicamente mulher e diferente do homem. Por isso ela tem de voltar à sua origem e identidade primordial. Ela tem de acordar para a sua verdadeira natureza e recuperar a sua dignidade de amar livremente com toda a liberdade, mas ela não tem dono nem senhor. Ela não se despe nem se veste para agradar. A essência que brilha nela é a força motriz que dá vida ao universo… ela é a matriz da vida, sua excelência não precisa ser testada. A única coisa que a mulher tem de fazer é reencontrar a sua capacidade inata de unir em si todas as diferenças...todas as facetasm todas as nuances... e assumir o seu magnetismo e a sua totalidade. ELA TEM DE SE AMAR a si mesma. Só assim amará as outras mulheres em sororidade…Elas tem de ser MULHERES apenas - porque foi a identidade do verdadeiro feminino que se perdeu nos tempos, foi isso que o patriarcado lhes roubou...a mulher tem de se encontrar consigo mesma e o Principio Feminino. 
EU ACREDITO NA MULHER mas não nos feminismos sejam eles quais forem...porque ser feminista não garante que a mulher seja de facto uma mulher autêntica, consciente de si e do seu poder interior. Ser Mulher é pois conhecer a sua Essência e expressar a Natureza Mãe em todos os poros…é ser fiel aos seus ritmos e estações, é ser tudo o que se negam as mulheres modernas ser e por isso se digladiam entre catalogações que as divide ainda mais...
Uma mulher que atinja a sua maestria ela é senhora de si e nada a impede de ser ela mesma. Uma Mulher plena não precisa de se definir...ela é tudo em si mesma. Ela não é Hestia nem Afrodite nem Atena. Essas são apenas facetas secundárias. AS mulheres tem uma essência comum e é isso que a liga a partir de dentro não a partir das ideias.
Lutar pelas mulheres, ser fraterna e solidária, empenhar-se em defendê-las não implica ideologias de género nem teorias … Não digo que não fiquei contente por ver tantas e tantas mulheres nas ruas do meu País...gostei muito do que vi, mas eu sei que não é por ai. Digo-vos que gostava de ter esperança nestas mulheres jovens...Isso fez-me lembrar a minha luta há 50 anos atrás. Digo-vos que me comoveu as lágrimas. Que em mim há esta ansia de fraternidade e liberdade e igualdade, que comecei a luta muito cedo e sofri muito com isso e causei muito sofrimento a minha mãe...que vivia em pânica todos os dias com medo que eu fosse presa. Passaram 50 anos - eu podia ter ido a esta Manifestação e deixar-me levar pela força e a convicção da juventude….

Ah A FESTA É LINDA pá... mas infelizmente hoje sei que NADA MUDA. Sei que pouco ou nada mudou em relação a Mulher depois da revolução dos cravos - a não ser que o trabalho e a escravidão da mulher aumentou e que os feminicídio também porque o ódio a mulher e o medo da mulher não são controláveis por leis nem por manifestações porque QUEM MATA é o homem, o homem primário, o agressor está sempre latente no animal humano que não é amado. É o Sistema patriarcal, o culpado da violência e dominação da mulher. A questão sexual foi branqueada e a educação ou a revolução sexual não foi feita. Os tabus e os dogmas da Igreja continuam activos e a mulher é dad como Culpada e pecaminosa e o homem deve açoitá.la e matá-la como fez o juiz que condenou mulheres por adultério e libertou os criminosos. Esta é a realidade dos homens em Portugal e no Mundo.

Foram milhares de mulheres aparentemente unidas, mas quando chegar a hora da Verdade estarão todas umas contra as outras a defender as suas convicções, nas suas ideologias nas suas crenças e credos e os seus lideres...
Lamento não acreditar nesta euforia… lamento não me dar a esta festa de alma e coração, juro que queria...mas não fui porque já sabia que eram só gritos e canções e que a luta a temos de trava cada um de nós dentro de nós e não fora, porque o Sistema nunca estará do nosso lado. Confiamos nos homens em Abril… pensávamos que as mulheres estavam incluídas, como pensaram sécilos antes as mulheres na revolução francesa - e tudo continuou na mesma… Sim, houve mudanças exteriores...liberdades concedidas, uma falsa emancipação que hoje é destruída pelos acontecimentos vividos pelas mulheres no mundo, sempre abusadas e violadas e exploradas assim como a prostituição continuou na ordem dos dias cada vez mais dramática etc.

Isto não vai ser bem recebido publicamente porque a ilusão o idealismo e a cegueira conduzem as massas… e sei que eu seria primeira a ser apedrejada na fogueiras das suas ilusões e construções teóricas do mundo e da mulher. Ser velha tem isto… já não ir com as massas nem com os gritos de ordem…
Mas enquanto a mulher não perceber que ela é mágica e magnética e que tem todo o poder em si, nada podemos fazer pelas milhões de desgraçadas ignorantes aculturadas que se metem na boca do lobo todos os dias iludidas pelo amor...ou que são obrigadas a casar par poder sobreviver. Afinal a causa destes feminicidios e violência doméstica é o sonho do amor a dois e o casamento a que a mulher se submete de livre vontade…

E QUEM VAI MEXER NO TABU?
rlp

2 comentários:

Unknown disse...

Fui ver o filme SNU ...e pensei: como mudou tão pouco a mentalidade desta sociedade após a Revolução dos Cravos!!! E este texto diz tudo ... Bem haja!

rosaleonor disse...

É verdade Paula, as mulheres apenas se iludiram de uma falsa liberdade pagando um preço muito alto por isso.
Beijinhos e apareça!