"NÃO SOU FEMINISTA, SOU ANTROPOLOGICAMENTE LÚCIDA" Ana Hatherly

quinta-feira, julho 14, 2016

A INVOLUÇÃO DO MUNDO...



ISTO É UMA ESPÉCIE DE TERRORISMO auto-infligido, PSICOLÓGICO e FISICO, consentido e apoiado pela ciência negra.
  
ANTES MULHER,  AGORA "HOMEM" - " O (A) canadense Trevor MacDonald, de 31 anos, tornou-se um porta-voz da comunidade trans ao falar sobre a experiência de ser um homem transgênero e poder amamentar o próprio filho.
MacDonald começou o processo de redesignação sexual há oito anos, mas, apesar dos hormônios e da cirurgia para a retirada dos seios, ele continua podendo engravidar. Com o apoio do marido, ele superou o preconceito e decidiu aumentar a família."


Esta farsa brutal,  esta loucura e alienação humana da ciência e da teoria do género, está a atingir proporções que serão a curto prazo profundamente  perigosas para o sentido de humanidade e sobretudo para identidade do Homem e da Mulher, como venho escrevendo e alertando. 
"Ele", que  era uma mulher, quis ser homem, mudou de "sexo" - na verdade não mudou nada senão a aparência e ao nível do corpo - mas depois quis ser mãe...e cria-se esta confusão total na linguagem e nas imagens. Esta propaganda não passa de uma aberração humana, nada mais do que especulação e lobbies  poderosos que atentam contra a integridade do ser humano; aliás este individuo é uma mulher biologicamente e como tal pode, engravidar nalguns casos, não sei se neste é o caso, mas presumo que sim  e pode parcialmente amamentar, ainda que com dificuldades devido as operações (retirada dos seios) - isto é uma aberração total - a mim mete-me nojo onde chega esta loucura!
Se queria ser mãe e amamentar o filho não mudasse de sexo - o mundo está mesmo no fim...

rlp

1 comentário:

Anónimo disse...

Os conflitos interiores deveriam ser tratados nos psicólogos, mas infelizmente a maioria das pessoas vira-se para fora; fazem plásticas, mudam de sexo, etc. Significando com isto a insatisfação permanente, a infelicidade, a depressão, porque afinal o "tratamento" não passou da superfície!