quinta-feira, julho 27, 2017

ESTAR SÓ - O PREÇO DA LUCIDEZ



SER LUCIDA É ESTAR SÓ...

"Não há nenhuma escola onde possas aprender a ser tu mesma; não existe nenhum mestre que pacientemente te encoraje a encontrares a resposta correta. És tu a parteira de ti mesma e vais ter de te dar à luz a ti mesma, vezes sem conta, sozinha, no escuro..." - Caitlin Moran,

Definitivamente houve um tempo em que acreditei possível as mulheres terem um papel preponderante na reconstrução de um novo Paradigma...mas  hoje em dia recuo e vejo com enorme desgosto e apreensão como as mulheres que se dizem dedicadas a causas da Deusa, ou do "feminino sagrado" estão completamente viradas para tudo menos para elas próprias, no sentido de um verdadeiro resgate de si e de um despertar de uma consciência feminina interior, sagrada porque ontológica, por serem incapazes de fazer face à uma verdade interior, à sua divisão interna e por isso incapazes de fazer o aprofundamento dessa divisão em termos psicológicos e trabalhar com elas mesmas ao nível da sua Sombra, o que implicaria  uma sinceridade e uma autenticidade cada vez mais raras; Vejo, com grande espanto, esta montra de vaidades que se tornou a New Age como as mulheres se iludem e enganam e repetem os mesmos erros do passado.Vejo-as afinal de contas, muitas, a abdicar de toda e qualquer sinceridade inicial e a renegarem de novo a sua essência e verdade, para entrarem em grupos e a não ter qualquer consciência de si como Mulheres individuais; vejo-as em busca de protagonismo e em competição umas com as outras sem noção de como a grande cisão que marcou a mulher durante estes seculos e a dividiu em duas, continua a dividir as mulheres no mundo...
Vejo-as a varrer para debaixo do tapete todas as feridas e complexos e frustrações para assumirem posições de desafio exterior ou superioridade num teatro cada vez mais vazio em que apenas querem ganhar protagonismo, publico e dinheiro... Vejo-as a apregoar um amor e sororidade entre mulheres mas sem sequer pensarem fazer algo que as torne realmente conscientes de si a nível da sua psique e  perceberem que o seu antagonismo interior é o que as envenena à partida e a todas as relações com as mulheres.

Vejo-as a defenderem os mesmos valores sociais de caridade e de bondade, o mesmo amor serôdio e católico, de acção pelos outros e renuncia de si e de sacrifício aos pobrezinhos e aos desgraçados, vejo-as na defesa das minorias gays e lésbicas e transsexuais. e mais os cães e os gatos, ou os "migrantes", sempre os mesmos idealismos bacocos disfarçados de novas ideias e na prática, entre si e entre grupos... os mesmos ódios e competição entre as mulheres que saltam à menor divergência de ideias e interesses, rivalizando e excluindo quem não é da mesma cor...e não se deixa enganar.
Mas muitas mulheres hoje ficam fascinadas com o Teatro e a montagem exterior de um espectáculo Xamânico ou Tântrico e outros, tambores e cantigas, fumos e danças, o que é mais mediático  e com o protagonismo das "líderes" que se disputam entre si na montra das boas intenções e das boas acções... tudo apenas para sua glória pessoal e ego doentio...
Há tantas mulheres doentes a querer curar e a propagar patranhas tremendas - elas são curadoras e avatares e incumbidas por anjos e arcanjos - em que a mais comuns das práticas é puro vampirismo energético para alimentar projectos megalómanos e negócios fraudulentos, ou apenas a vã glória pessoal....

Diante deste retrocesso assombroso, vejo que as mulheres continuam presas dos mesmos estereótipos e assim continuam prisioneiras do Sistema Patriarcal.  Vivem em função dele tornando-se aparentemente opositoras ou defensoras de um novo paradigma, porém e sempre dentro do antigo paradigma, sem mudar nada dentro de si e apanhadas na armadilha da New Age, seja em nome de deus pai seja das deusas do olimpo e de todo o folclore implícito nas praticas antigas de um tempo já ido, estão apenas em busca do homem e do amante...do par e do filho...ou do dinheiro!

Eu sei que no meio disto tudo há mulheres honestas e sinceras...mas em geral as nascidas na New Age, apesar de bem intencionadas, muitas, desviaram o verdadeiro propósito do feminino integral para as mesmas crendices religiosas do passado...agora encapotado de novo e dão voz ao mesmo Sistema religioso em vigor no mundo, sem nenhuma diferença do patriarcado, são falocêntricas e dão sempre a prioridade ao macho provedor, o par ,o chefe, o amante ou o mestre-facilitador...

Percebo que tudo o que eu escrevo aqui vai trazer-me inimizades e é contrario a essa idealização e pretensão humanitária e sinceramente não vejo uma saída nos próximos 30 anos...
Pertenço a uma geração pioneira e sei de onde tudo veio e como começou e vejo também esta alienação e para onde tudo isso está a ir...Exactamente no sentido contrário ao grande propósito da Deusa dentro da mulher...
Sim, eu a Velha o digo e podem atirar-me as vossas pedras ou injuriarem-me na vossa cegueira...podem ofender a minha integridade ou denigrir à vontade...o vosso ódio não me atinge já.

Não, eu não sou conivente com isso e não acredito em guias nem n@s "mestr@s" que se publicitam como salvadoras do mundo e da verdade, a fim de explorarem as outras mulheres seduzindo-as com charme ou com magias e prédicas falsas e curas e terapias miraculosas, a titulo de encarnações passadas em que eram rainhas e  sacerdotisas e santas. Um mundo velho doentio e egoico, triste e falso em que muitas mulheres sem qualquer preparação caem na armadilha destes predadores, sem noção de nada, aculturadas e incultas e no fim ou copiam @s "mestres" e tecem as mesmas armadilhas. Todas essas aprendizes de feiticeiras  pagam um alto preço e ou ficam bem piores do que eram a papaguear o que "aprenderam" dos seus algozes...ou  se perdem completamente na escuridão...
rlp

2 comentários:

Ana Maria Rosa Moreira disse...

Deusa, leio isso tudo que tu falas das mulheres e fico sem saber, juro, o que seria uma mulher inteira, verdadeiramente feminina, autônoma.
Venho de um mundo rude, machista, de uma família matrialcal (no sentido semelhante a patriarcal). Ando bem cansada da palavra empoderamento e dos workshops para. Mas acho que, mesmo o que tu críticas ainda é melhor do que a escuridão em que as mulheres viviam. Muitas ainda não conseguem ainda enxergar atraved da lavagem cerebral do modelo capitalista/patriarca, as coisas mais elementares. Atendo mulheres "poderosas" casadas há 20, 30 anos que nunca tiveram uma experiência orgástica no sexo e acham normal e nunca se preocuparam com isso. Argumentam que sentem prazer e são felizes no casamento. Menciono esse aspecto porque é bem prático, e condição essencial para a plenitude de uma mulher, o ser mais orgástico da natureza, além da ligação que tem com meu trabalho.

rosaleonor disse...

Ana Maria concordo contigo, não há duvida que há mulheres que vivem ainda na maior obscuridade de si mesmas sem a menor moção do seu valor e sem qualquer autoestima...sei isso tudo - nõa acabo de chegar a este mundo...tenho 70 anos e comecei a desbravar caminhos há mais de 30 ...portanto nõa falo de animo leve e CUSTA-ME muito dizer e ver o que digo, pois tive muitas esperanças de que as mulheres um dia acordassem...e o que aconteceu afinal foi só mais uma forma de alienação e falso poder, porque vi como as mulheres se desviarem do propósito para se tornarem apenas comerciantes e vulgarizaram banalizaram toda a informação e muitas em proveito próprio. Digo contudo e sei que apesar disso se avançou um pouco e há mulheres fieis a si e que continuam a lutar por serem conscientes, mas de qualquer modo para mim o essencial é mesmo que a mulher acorde essa Mulher Inteira porque de outro modo nõa vai muito longe. Mas estou muito consciente de tudo o que fala...
Obrigada por comentar...e dizer o que sente.
rlp