"NÃO SOU FEMINISTA, SOU ANTROPOLOGICAMENTE LÚCIDA" Ana Hatherly

sexta-feira, novembro 28, 2008

NÃO DES - ESPEREM; ESPEREM...

ÀS VEZES DEMORO UM POUCO A RESPONDER AOS COMENTÁRIOS...
MAS NÃO DES-ESPEREM...
NÃO ME ESQUEÇO DE NINGUÉM E TODOS OS COMENTÁRIOS SÃO PRECIOSOS...
SEMPRE QUE CALHA PUBLICO-OS....
E NÃO HÁ NINGUÉM NESTE ESPAÇO QUE NÃO SEJA IMPORTANTE...
MESMO QUE UNS (OU UMAS) PENSEM QUE SÃO MENOS QUE OUTROS/AS...
*
E AQUI ESTAMOS DE NOVO NO IMPASSE DA LÍNGUA. ORA SE QUASE SEMPRE SÃO MULHERES QUE COMENTAM E EU ME DIRIJO ESSENCIALMENTE A MULHERES COMO NÃO FALAR SEMPRE NO FEMININO? PORQUE POR VEZES APARECE UM HOMEM E PORQUE A LINGUAGEM "CORRECTA" ASSIM O EXIGE...

-O QUE É QUE PENSAM DISTO?
*

4 comentários:

josaphat disse...

Penso que você deva falar no feminino. Ser coerente consigo mesma e com o blog.
Abraço.

Palas Athen disse...

A LENDA (Uma Versão)

Quando a Deusa Ancestral Atse Etsa descobriu Estsanatlehi, debaixo da montanha, decidiu educa-la para ser a salvadora da Terra.
Quando ela cresceu, Estsanatlehi encontrou um jovem homem. Todos os dias eles iam para a floresta fazer amor. Nun destes dias, os pais de Estsanatlehi, ao procura-la, encontraram apenas o curso das pegadas. Então descobriram que sua filha tinha o próprio sol como amante.

Ficaram imensamente felizes quando então, Estsanatlehi deu à luz há gêmeos: o Matador de Monstros e o Nascido para a Água. As crianças, especialmente o primogênito, tinha como missão livrar o mundo dos monstros. O segundo menino, tornou-se o pai de todas as águas do mundo.
Oito dias após seu nascimento, já eram homens, prontos para irem ao encontro do pai. Mas ao chegarem a casa do pai, lá encontraram outra mulher. Decepcionados com a intrusão, trataram mal os meninos.

Persistentes, os gêmeos de lá não saíram e utilizando-se dos instrumentos mágicos do pai, exterminaram vários monstros. Depois de celebrarem a vitória em companhia da mãe, construíram para ela uma casa toda de turquesa no fim do céu, onde o Sol poderia visita-la novamente.

Entretanto a guerra que os gêmeos travaram contra os monstros diminuiu a quantidade de habitantes da Terra. Então, Estsanatlehi raspou a pele de seus seios, costas e ombros e criou o casal ancestral do povo najavo. Eles se reproduziram rapidamente, dando origem as grandes clãs dos Navajos.

Sentindo que sua criação estava completa, retirou-se para seu castelo de turquesa e de lá abençoou seu povo, presenteando-os com as estações, as plantas e os animais de caça.
Somente quatro monstros sobreviveram da guerra de seus filhos contra o mal: o Inverno, a Miséria, a Idade e a Fome, que a Deusa permitiu a sobrevivência para que seu povo pudesse dar mais apreço às suas dádivas.

Esta Deusa Sagrada, por suas ações diretas e indiretas, torna a terra segura para os humanos. Ela traz a ordem a este mundo. Isto é muito significativo, pois antes de sua entrada em cena, o mundo se encontrava em estado de caos e desordem. A Mulher Mutante defende a paz, e vive para sempre. Seus decretos falam de amor. Ela e suas leis são imortais.

Estsanatlehi é considerada a irmã de Yolkai Estsan, a esposa do Deus da Lua. Ela representa o ciclo universal da vida e detém o poder total da criação, como também está identificada com a Lua. Ela é conhecida ainda, pelo nome de Mulher Turquesa.

Identificada com o processo da vida em movimento, ela é também uma Deusa Tríplice. Na Primavera era considerada uma mulher jovem. No Outono aparecia como uma mulher anciã em seu declínio, que morria no Inverno para depois renascer no Verão. A restauração da juventude é o padrão da Terra e é também o padrão da Mulher Mutante.
Estsanatlehi é a pessoa sagrada, que se identifica com a beleza dinâmica, que figura como um eterno símbolo de esperança para o povo navajo.

Seus símbolos são: o arco-íris, as flores, a pena do beija-flor, borboletas, cristais, as garras do urso, o espiral, a serpente, as estrelas e abeto (árvore associada à vida).

Invoque a Mulher Mutante para: proteção, prosperidade e fertilidade. Em seus rituais use um incenso de abeto ou sálvia.

RITUAL

A Mulher Mutante chega em nossas vidas para nos lembrar que devemos comemorar nossos ciclos. Os Ciclos menstruais são os mais importantes na vida de uma mulher.
Você celebra sua menstruação e a têm como uma época de reflexão? E você que está na menopausa, sente medo de ficar velha e feia porque não menstrua mais? Devemos dançar e comemorar todos os nossos ciclos até chegarmos a menopausa, que é quando retemos nosso sangue mágico dentro de nós. É quando nos tornamos uma fonte de sabedoria para nossos entes queridos e para a comunidade.

Respeitar e valorizar os ciclos, significa honrar o seu processo único, o caminho único da vida. Ao celebrarmos nosso ciclos, nós nos celebramos como mulheres.

CELEBRE SEU CICLO

Reserve um horário e um lugar onde não seja incomodada.
Sente-se ou fique em pé e depois relaxe e identifique o ciclo que você está vivendo agora. Trace um círculo chamando os quatro elementos. Ande ao redor do lado de fora do círculo e preencha-o com respeito e honra. Você pode fazer isso tocando uma música, dançando e cantando o refrão:
-“Amo os meus ciclos, gosto de ser mulher”
Não esqueça de observar que sentimentos isso desperta.

Continue até sentir que a energia do ciclo é forte, então entre no círculo e respire profundamente. Deite-se ou sente-se, o que for mais confortável para você. Deixe a energia da celebração que você criou alimentá-la até o âmago do seu corpo/mente/espírito. Sinta o poder de cura refazer os tecidos dilacerados e feridos. Sinta-se mulher, tenha orgulho de ser mulher, por sangrar ou reter seu sangue sábio dentro de si. Quando sentir-se totalmente alimentada, agradeça à Mulher Mutante e a si mesma, à sua feminilidade. Saia do círculo. Libere o que você havia invocado.
SEJA BEM-VINDA!

É uma benção termos nascidos mulheres em uma época em que as mulheres estão despertando a verdadeira energia feminina e começando a reconhecer-se e abrir-se para a totalidade de seu poder.

Somos nós mulheres que possuímos mais responsabilidades, nestes tempos em que a Deusa volta a caminhar sobre a Terra. Isto porque participamos desta energia feminina que é a Terra, pois o nosso corpo é o corpo da Mãe-Terra e também porque faz parte de nossa verdadeira essência cumprir o rol de feiticeiras e curadoras, de “paridoras” do mundo maravilhoso que virá.

Devemos alinhar nossa vontade com a vontade da Deusa. ESTE É O SEGREDO!

Anónimo disse...

Porque não falar para o género que prevalece nas visitas?!
Faz todo sentido e depois se as mulheres "têm" que sentir incluidas quando na linguagem comum se refere "o homem" porque não se faria o contrário?!
A mudança de mentalidades começa hoje...
Abraço
Marian

Anónimo disse...

O mundo novo que construímos começa qdo rompemos com os velhos padrões e criamos um novo, ou vários, padrões alternativos qto baste...
gosto por exemplo de usar o @ pq parece englobar os dois gêneros...
E tbm concordo com a Marian, prevaleça, pelo menos aqui, a maioria feminina, ou então...
digamos que vc se comunica com o lado feminino dos leitores, sejam eles do sexo que forem...
sei lá... bruxinha... anima-te...
A chuva lava tudo das sobras do stress que se acumulou... para que vc nunca mais tenha sede...rs...
Beijos... desde as primeiras horas da manhã... e esses a chuva não leva, de certeza...