"NÃO SOU FEMINISTA, SOU ANTROPOLOGICAMENTE LÚCIDA" Ana Hatherly

domingo, janeiro 17, 2016

ROSA MATER : A nossa trágica herança grega...continua...



LER E RELER...


"É então pela garganta que, em Eurípides, Neoptólemo, como bom sacrificador, imola a virgem, golpeada no ponto fraco das mulheres. Sem dúvida não estava ao alcance da tragédia destruir um discurso predominante: não é ainda na garganta ou, se se preferir, no pescoço, que desde a época arcaica Aquiles fere mortalmente Pentesiléia?* A garganta ainda e sempre, na guerra como no sacrifício: escolha significativa, sem dúvida, numa tradição nutrida pela epopéia, onde o corpo viril se... oferece inteiro aos ferimentos fatais. Para esclarecer a regularidade – dir-se-á a monotonia? – dessa reiteração, sem dúvida seria necessário procurar-lhe a lei fora do universo trágico, junto à reflexão ginecológica dos gregos onde a mulher é imaginada entre duas bocas, entre dois colos, onde o comportamento errático da matriz embarga brutalmente a voz na garganta das mulheres, onde muitas moças em idade de ser nymphai se enforcam para escapar à sufocação temível que as enlouquece no interior de seu corpo. "(...)


ROSA MATER : A nossa trágica herança grega...continua...: Maneiras Trágicas de Matar uma Mulher de Nicole Loraux (...) o paradoxo da morte gloriosa das mulheres é que a única morte bela é a ...

3 comentários:

vania jones disse...

TPC's... Que bom. Beijinhos.

rosaleonor disse...

beijinhos!

vania jones disse...

Descobri recente ou pus accao em algo q ja sei ha 35 anos. Q so posso contar comigo mesma.. Quanto ao golpe na garganta e colocar o quanto antes as maos ao pescoco a fim d estancar o mesmo. Arrastar me no lodo da floresta e voltar a civilizacao uma guerreira capaz de me enfrentar neste mundo caotico. E mais uma vitima d um marido ciumento q n aceitou divorcio. Por isso eu afago meu proprio pescoco. Ja chega d cicatrizes. Agora e d cuidar das q ficaram. E bom mas n e facil. Li reli ...