sexta-feira, janeiro 19, 2018

A CONFUSÃO DE GENEROS...


ONDE A MULHER AUTÊNTICA ?


AS MULHERES "MODERNAS", as mulheres que lutaram por uma falsa emancipação e as feministas em geral, na sua grande maioria, traem-se na sua essência e estão longe se saber quem são...

..."temo que as mulheres que se mantiveram intactas (autênticas) à sua maneira sejam postas em perigo por outras mulheres. É que já não se tratará apenas de se defenderem dos homens, como também daquelas mulheres que adoptaram a concepção masculina da liberdade...."*

AGORA A IMITAÇÃO DAS MULHERES E A INVERSÃO MASCULINA...
DEPOIS DA INVERSÃO DAS MULHERES EM "HOMENS" NA MODA DURANTE DÉCADAS...
Eu sei que É fácil acusar as mulheres de libertinagem ou mesmo de assedio sexual aos homens como alguns se defendem e afirmam - muitos falam da violência ou agressão das mulheres na forma como se oferecem aos homens ou as raparigas novas como falam e empregam uma linguagem falocrática e agressiva...mas é preciso saber que elas copiaram os homens... elas tomaram a vulgaridade por igualdade...mas isso NÃO são mulheres. São subprodutos da sociedade patriarcal e do Sistema falocrático que dividiu a mulher em duas metades e portante há dois tipos de mulheres no mundo, e elas entre si mesmas se desentendem e agridem ou entram em confronto - basta ver como as mulheres francesas se ergueram  em defesa dos homens para acusar as mulheres americanas que se uniram quando  se sentiram assediadas e acossadas e tentam sobrepor-se a essa dominação masculina histórica e cultural ...enquanto isso acto contiguo as francesas vem justamente defender essa cultura patriarcal...Umas  obedecem a um novo padrão e as outras ao velho padrão, embora nem umas nem outras percebam onde se situa a cisão nem qual é de facto o centro - e isso confunde todas  agente, homens e mulheres, sobretudo os jovens, mas quem é a maior vitima é sempre a Mulher em si porque se trai  e se nega na sua essência que desconhece completamente. Por outro lado a falta de consciência de si enquanto mulher e da sua verdadeira feminilidade vai trazer ao homem o mesmo drama de inversão  como agora se anuncia na adopção de homens na moda masculina e a foto nos mostra...

...A mulher que vemos a actuar nos nossos dias e depois de  3 a 5 décadas, enfim talvez depois de meados do séculos passado,  que se expressa dessa forma agressiva sexualmente ou que  se impõe no mercado de trabalho e nas instituições públicas e privadas, incluindo a formada e com cursos superiores, é uma mulher que não se afirma na sua verdadeira feminilidade, mas actua apenas como sendo uma réplica do macho, é um ego masculino exibindo uma sexualidade deformada pelo conceito que o homem tem da mulher e que ela tomou para si; essa é uma mulher fácil, que se confunde com a prostituta... porque  desvirtuada da sua essência - porque sem alma - impelida pela força do imaginário masculino que a transforma  num ser coisificado, que a modelou durantes centenas de anos com  mil faces, todas fictícias...
Como as mulheres que vemos nos filmes, de um lado as mulheres fatais, vampes e ícones  e demoníacas, vampiras ou travestis dos homens e do outro as modelos dos estilistas gays, homossexuais, adoradores do espirito apolíneo, culto do efebo e do adolescente e que projectam na mulher a sua imagem que essa nada têm a ver com a verdadeira mulher. É essa mulher estereotipada e masculina, sem seios e sem ancas sem curvas... feita à imagem e semelhança do jovem apolíneo e que as mulheres jovens fazem esforços desesperados para se tornaram parecidas e que tantas são sacrificadas a  dietas e estéticas, um sofrimento brutal de jovens mulheres que se sacrificam a esse deus invertido e que poucas ou raras souberam ou puderam mais tarde  desenvolver as suas qualidades intrínsecas de um verdadeiro feminino, saindo desses palcos totalmente destruídas..
 É por isso que se torna imperativo para a mulher actual  antes de tudo o mais tomar Consciência da sua verdadeira natureza e da grandeza da sua ALMA, do seu poder interior e ancestral, que é um poder inato em cada mulher, e que a atingir esse cerne de si esse Ser Mulher Inteira, se pode tornar numa manifestação de poder de amor nas sociedades, através de valores reais do feminino essencial, o que significaria uma nova relação com o seu corpo e o seu sexo e o seu sangue, criando uma nova dinâmica com a Natureza viva, as árvores, as plantas, as flores, em suma, toda a flora e a fauna. Sendo a Mulher Inteira ela pode como amante e mãe, educar e organizar a vida toda e  a sociedade  de forma mais equitativa e justa e ajudar a distribuir as riquezas do Planeta sem olhar o lucro e a posse e fazer prevalecer o amor e o afecto, paz duradoira que só pode acontecer quando a mulher a tiver dentro de si assim como o homem e por isso mesmo se respeitarem mutuamente.
A Deusa na Mulher é o Princípio Feminino e os seus aspectos de harmonização e inteligência que faltam desenvolver e fazer actuar no Planeta para que possamos sair do caos actual de dominação absoluta de uma só polaridade em detrimento de outra....Sem estabelecer o equilíbrio dos polos opostos complementares dentro de cada indivíduo não haverá Obra realizada, nem Humanidade verdadeira!


Rosa Leonor Pedro In Mulheres & Deusas
(excerto - republicando)

Citação de “A TRAIÇÃO DO EU “ - ARNO GRUEN
autor de “A LOUCURA DA NORMALIDADE”

Sem comentários: