"NÃO SOU FEMINISTA, SOU ANTROPOLOGICAMENTE LÚCIDA" Ana Hatherly

domingo, janeiro 10, 2016

AS MULHERES DESPERTAS



TODAS AS DESPERTAS

Ainda embalada pelos resquícios dos muitos incidentes envolvendo as mulheres da atualidade, mas representam o passado e antecipam o futuro, encaixo aqui uma observação pertinente: a Serpente, o velho e perspicaz arquétipo de Todas as Despertas, revolve as poeiras do subsolo para se reerguer ante a Luz do seu antigo reinado e é esse "sismo" consciencial que está a perturbar o poder fálico instituído e a fazer destilar o medo da igualdade. A emancipação da Mulher começa pela indentidade do seu corpo, por consequência, a sexualidade. O querer, a decisão incomodam e, por isso, são violentados em ataques sexuais, como os que assistimos em Colónia, e vamos, INFELIZMENTE, testemunhando na violência doméstica.
O simples ato de trazer um pendente serpentiforme cria um forte impacto no subconsciente dos homens com quem trabalho, por exemplo. É interessante, e desafiante, ao mesmo tempo, ver a reação/aversão de alguns deles quando trago a Serpente pendente entre os meus peitos!!!! É absolutamente revelador do quanto o FEMININO ASSUMIDO e INDEPENDENTE agita as mentes e nessa reação vislumbro a NÃO ACEITAÇÃO da nossa presença!!!! O inconsciente reage ao símbolo e manifesta o verdadeiro sentimento dos homens em relação às MULHERES que se fazem prevalecer.

CRISTINA AGUIAR (escritora)

Sem comentários: