"NÃO SOU FEMINISTA, SOU ANTROPOLOGICAMENTE LÚCIDA" Ana Hatherly

sábado, fevereiro 27, 2016

SEM MÃE NÃO HÁ VIDA...



"O Amor da Mãe é a essência fundamental da feminilidade e identidade da mulher. A sua ausência na psique de uma mulher cria uma ferida profunda que deve ser curada. No actual estágio da experiência humana, a desconexão do amor da Mãe Original é uma ferida arquetípica generalizada para quase todas as mulheres.
O facto da Mãe Humana não ter estado lá leva a mulher a inconscientemente negar a existência da Mãe Divina.
A mensagem inconsciente profunda é de que a Mãe Sagrada não existe ou não está lá para a apoiar. E, assim, a mulher vira-se para os homens e para um Deus masculino na esperança de que eles possam dar-lhe o que lhe falta. No processo, ela compromete os seus valores, desliga-se da sua feminilidade, e vende-se por barato."


Guru Rattana

5 comentários:

Anónimo disse...

O corpo da mulher é um milagre.Agenor Rio de Janeiro.

rosaleonor disse...

Lindo o que diz...grata por comentar Agenor!

vania jones disse...

esta noite tive um sonho muito bonito. tinha um bebé no meu colo e sentia o a beber dos meus seios, até a percepçao do cheiro do arroto final eu senti. não tenho noção do tempo q durou mas ate empurrava o carrinho do bebé. acordei estafada mas as lágrimas foram de alegria. partilho aqui porque a imagem era muito semelhante a q tens neste texto. um beijo do meu coração. bem hajas Rosa Leonor.

Ana Nazaré disse...

Bom dia Rosa!!!! Você já leu os livros de Michel Odent ????? Eu descobri esses dias e essa foto me fez lembrar! Gratidão

rosaleonor disse...

Não Ana, não li ainda...vou pesquisar!

obrigada e beijinhos

rlp