quarta-feira, fevereiro 25, 2009

O AMOR COMEÇA NO AMOR POR SI MESMO


Vocês têm medo da intimidade consigo mesmos - de estar sozinhos com o Eu. Uma vez desenvolvida essa intimi­dade, o silêncio, o amor por si, a contenção da própria energia, irão estabelecer esse mesmo aspecto de intimidade como pa­drão de intimidade com outra pessoa.
A sexualidade pode ser muito confusa nos dias de hoje, porque vocês estão elevando e estudando as suas freqüências. Quando corpos se juntam, mesmo que seja através de um abraço, há uma troca de freqüência. Quando têm uma experiência sexual, há uma liberação e hormônios dentro do corpo. Os hormônios despertam determinadas energias dentro das célu­las, que provocam uma transferência da essência de urna pes­soa para a outra.
É por isso que, quando têm urna relação sexual com alguém, nem sempre conseguem eliminar a ener­gia dessa pessoa. Mesmo não querendo estar com a pessoa, a experiência sexual permanece com vocês, porque houve uma troca eletromagnética.
Vocês vão seguindo através desta modulação de freqüência, aprendendo corno elevar a vossa freqüência para um local de informação consistente, amor por si mesmos e in­timidade consigo. Pode parecer muito confuso e até amedron­tador unir essa vulnerabilidade toda, que estão aprendendo sobre si mesmos, com outra pessoa, mas quanto mais se torna­rem conscientes, e dominarem o uso do vosso corpo, melhor irão saber onde ligá-lo, onde sentar-se e, sem dúvida, com quem unir-se sexualmente.
Se agora a expressão da vossa sexualidade incentiva e aumenta o vosso crescimento, automaticamente irão criar essa experiência para si mesmos porque estarão prontos para ela. Precisam saber que, durante o processo de evolução do Eu ocorre frequentemente um período de dormência na ativida­de sexual. Dentro da freqüência sexual a urna troca.
Assim, se existe uma união e uma troca química com uma pessoa que não está na vossa sintonia, vocês estão recebendo todo o lixo dessa pessoa, porque estão trocando energia com muita intimidade.

Às vezes vocês se afastam dessa espécie de troca. Po­dem pensar: "Que coisa, o que está acontecendo? Será que es­tou ficando velho? Será que estou ressecando? O que houve?" Nada disso. Vocês podem aprender a usar a energia que os estimula sexualmente sem dá-Ia para outras pessoas. Em vez de entrar no caos e na loucura, podem explorar essa energia através da arte da masturbação, sabendo que é perfeitamente válido e saudável fazê-lo. Ou simplesmente observar quando sentem uma excitação sexual e decidir o que fazer com ela. Podem dizer: "Bem, não vou trabalhar isso agora. Vamos ver para onde vai esta energia. Peguem a energia, deixem-na su­bir pelo corpo e usem-na em outras áreas.

Vocês vão chegar a um ponto em que devem venerar, sustentar e amar a si mesmos como se estivessem carregando um bebezinho recém nascido em seus braços, sabendo que es­tão dando o melhor de si mesmos. Muitas pessoas se disper­sam. Encontrem um local de serenidade e silêncio onde possam encontrar respostas às vossas perguntas. Não irão con­seguir encontrar respostas fazendo perguntas a todo mundo ou falando o dia inteiro no telefone. Se fizerem isso demons­tram que estão procurando fora de vocês. Quando aprendem a voltar-se para dentro de si para encontrar as respostas, o Eu falará. Normalmente não conseguem ouvir porque estão tran­cados dentro de padrões de comportamento que já sabem ser necessário mudar, mas falta-lhes coragem para enfrentar o desconhecido.
Com a maior honestidade, vocês têm medo de si mes­mos. Isso é muito comum. Têm medo de não estar completos, e vocês querem muito ser completos. Então dizem: "Estou completo. Sou soberano. Preciso de alguém. Estou atraído por alguém. Não! Não quero ver! Tenho muito medo disso! Não preciso de ninguém. Não, eu preciso sim!" Vocês vão para a frente e para trás. Aprendam a aquietar vossa mente. Apren­dam a ter o controle total da vossa energia. O que isso signifi­ca? Significa que, onde quer que vocês estejam, estão observando a si mesmos - a postura do vosso corpo, o movi­mento das mãos, estão se repetindo muitas e muitas vezes, se estão falando ou em silêncio. Aprendam a observar-se sem julgamento. Aprendam a observar-se (constatando como são) e a corrigir-se (determinando como gostariam de ser). Apren­dam a silenciar a mente.
As freqüências são transmitidas de uma pessoa para ou­tra, especialmente se houver uma ligação de amor. Uma liga­ção de amor não significa grudar-se no outro para sempre. Significa simplesmente que existe um relacionamento enquan­to o considerarem apropriado, em que há respeito mútuo, troca de energias e que estas energias podem fluir livremente num circuito aberto. Quando vocês não se amam e não estão ligados, não há troca positiva, o circuito não se abre. Isso não significa que não possam ter prazer no sexo; significa simples­mente que o circuito não está aberto.
Com a elevação da corrente elétrica, os orgasmos vão ficando cada vez mais intensos e longos; o corpo humano con­segue atingi-los e mantê-los porque o sistema nervoso é capaz de sustentar freqüências orgásticas altíssimas. O sistema ner­voso que determina como você se expressa e sente. Se você tiver um sistema nervoso pouco evoluído, sua experiência se­xual será muito limitada, pois é ele o condutor da corrente elé­trica. O orgasmo cura e realinha o corpo físico.
Com o passar do tempo, não conseguirão se aproximar nem ter relações com alguém que não esteja operando na mesma voltagem. Simplesmente não vai dar. Seria comparável a uma pessoa que usa sapato n° 41, calçar um n° 35. Não serve, não fica confortável. Vocês não combinam porque as vibrações não se misturam.

in mensageiros do amanhecer - barbara marciniake

Sem comentários: