"NÃO SOU FEMINISTA, SOU ANTROPOLOGICAMENTE LÚCIDA" Ana Hatherly

segunda-feira, novembro 30, 2009

O crime passional não existe...


OS VERDADEIROS PORQUÊS…

"O crime passional não existe: ocorre em contexto sexista por homens incapazes de fazer o luto de relacionamento, diz Lopez. Os autores de crimes passionais não têm problemas psiquiátricos. Que esse crime não é um crime por amor, mas um crime de quem sofre de narcisismo. E ele lembra: Não se deve nunca esquecer que o criminoso, acha, no sexismo, na lei do mais forte, na valorização da masculinidade e na desenfreada competição social, as razões que lhe servem para justificar o seu ato."
*
(*Desconheço o autor(a) deste trecho)


Os homens tem muita dificuldade de largar os privilégios que o patriarcado lhes confere, por isso é muito mais fácil se omitir de qualquer questionamento ou simplesmente lutam para preservar os valores falidos e ultrapassados do patriarcalismo através do masculinismo e do machismo latente.

Nós mulheres, principalmente as que estão conseguindo questionar o patriarcado e buscando nossa essência seja no paganismo, seja no feminismo, seja em uma viagem interior, é que não podemos aceitar nada menos do que seja o nosso direito de andar livremente neste planeta, nesta Terra que também nos pertence.

Porque sendo assim, mulheres que não aceitem mais papéis velhos e ultrapassados e que tolhem sua verdadeira essência, os homens não terão outra alternativa a não ser mudar e se adaptar. Porque querendo ou não os homens, as mudanças estão por vir.
E quem não estiver preparado, vai ser deixado para trás.

O que os homens, as pessoas retrógradas conseguem é no máximo dificultar e adiar um pouco esse processo, que virá queiram ou não...


Se há algo que enfurece os homens e os atormente é perceber a liberdade da mulher.
Não conseguem admitir uma mulher livre, independente, assertiva, dona de si. Isso os apavora. Não é à toa que sempre em todas as épocas aparecem aqueles filósofos, homens de ciência a nos tentar impor a inferioridade, a incapacidade, a emotividade, a irracionalidade para bem justificar todo tipo de castração que cometem contra as mulheres. E também todo tipo de crimes.

E então vem a desculpa de sempre: crime passional. Não há o menor resquício de amor nessas atitudes; porque quem ama e respeita não castra, não inveja, não quer o mal.

Nada mais é do que orgulho macho ferido, sentimento de posse rejeitado e ódio pela capacidade que as mulher tem de dar a volta por cima e perceber que pode caminhar sozinha com as suas próprias pernas.

Vejo esses crimes como recados da colectividade machista para as mulheres, porque todo ato ou atitude tem um significado mesmo que inconsciente não só a nível pessoal e privado mas colectivo também.

Dois homens mataram duas mulheres que queriam sua liberdade
e um recado foi mandado a todos: aos homens e as mulheres. A nossa independência e liberdade pode ter um preço a ser pago perante os valores do patriarcado e para aqueles que os querem preservar. É para incutir o medo e fazer com que mulheres na mesma situação pensam, adiem ou desistam...

Como disse a Gaia Lil, junto à nova mulher que está se transformando, precisamos de novos homens, porque não haverá saída para este mundo se a guerra contra as mulheres continuar. Não há como as mudanças que precisam ser feitas para salvar o que resta deste planeta, se não houver uma harmonização entre a mulher e o homem.

Enquanto a mulher estiver no patamar da inferioridade, o planeta como um todo continuará sofrendo. Sem a mulher nada mudará, como não mudou em nenhuma tentativa anterior. Basta ver nos livros de história, que cada vez que se fazia uma revolução e se continuava relegando as mulheres um papel inferior porque não se agregavam valores do feminino, o que se via era a deturpação dos ideais e os que antes pregavam a liberdade se voltavam para ditaduras e totalitarismos.

Nós, homens e mulheres estamos aqui para compartilhar essa Terra e ela só será salva se os dois estiveram juntos em pé de igualdade em todos os sentidos.


Tesenisis

7 comentários:

Anónimo disse...

Vale a pena ouvir Pierre Rabhi, sobre o papel do feminino no mundo.
http://www.colibris-lemouvement.org/index.php/TH/Comprendre/node_1820
Abraço
M.Lurdes

MOLOI LORASAI disse...

sugiro a Rosa Leonor criar o DIA DA TRÉGUA, para podermos respirar um pouco.
Pode ser até no aniversário dela, já que ela é filha de um homem e de uma mulher.

Anna Geralda Vervloet Paim disse...

Gandhi disse que precisamos"SER" a mudança que queremos ver no mundo.Pelo fato de toda energia estar interligada,estamos todos em um mesmo nível energético.Aquilo que "SOMOS" tem muito mais impacto do que o que dizemos ou fazemos.Se nos unirmos,nossa energia irradia-se para muito além de nossa vida pessoal,como ondas espalhando-se em um grande lago.Quando somos negativos ou críticos,mesmo na privacidade de nossa mente,essa energia afeta o mundo.Mulheres,vamos SER a mudança que queremos ver,e certamente estaremos abrindo caminho para a formação de um novo Homem.

Anónimo disse...

NÃO SE TRATA VERDADEIRAMENTE DE UMA LUTA DA MULHER CONTRA O HOMEM, ou virse-versa, se trata de uma tentativa de eliminar os valores com os quais o homem atual se indentifica, os valores do patriarcado , de opressão e vitimização, de luta e guerra constante. A mim a Tealogia da Deusa não parece de modo algum ter algo contra os homens, mas estes temem o "empoderamento" e a capacidade feminina inata de reger e decidir aquilo que é melhor para todos seguindo os valores da Mãe Natureza e não os livros sagrados e as divindades da guerra adaptadas para as religiões monoteistas.Por isso eu acredito que o culto a Deusa, "Tem muito a oferecer às mulheres que lutam para liquidar aqueles estados de ânimo e aquelas motivações potentes, persuasivas e persistentes de desvalorização do poder feminino, de desconfiança na vontade feminina e de negação dos vínculos e do patrimônio cultural das mulheres que foram gerados pela cultura patriarcal. E visto que as mulheres estão lutando para criar uma cultura nova na qual são celebrados o poder, os corpos, a vontade e os vínculos das mulheres parece natural que volte à tona a Deusa como símbolo de renovada beleza, força e poder das mulheres." (mimeo)Carol Christi

Gaia Lil

Anna Geralda Vervloet Paim disse...

As mulheres nascem com um enorme poder espiritual,enquanto os homens precisam fazer por merecer o poder deles.A mulher menos espiritualizada do mundo tem o potencial para ser uma grande vidente,o que quer dizer que ela tem a capacidade de ver acima das limitações dos sentidos.Deus,de fato,usa baton.
Dentro do DNA das mulheres existe esta força ou energia ancestral,uma compreensão do poder da continuidade,do poder do compartilhar.Isto não significa que sejamos superiores aos homens.Eles não têm o conhecimento espiritual vindo de dentro do jeito que as mulheres têm.Eles não carregam o fardo e a responsabilidade de pensar no que precisa ser dado tanto quanto no que precisa ser recebido,todas estas coisas complicadas com as quais nós, mulheres,lidamos.mas cabe a nós moldarmos a energia deles de forma que aprendam a usa-la com respeito e amor pelo mundo em que vivemos,RESPEITO,pelos "mais fracos" e oprimidos de nossa cultura infelizmente ainda dominada pelo lado masculino.Mas a consciência das mulheres está mudando.
Estou lendo O livro "Deus Usa Baton,cabala para mulheres",de Karen Berg,e termino com as palavras dela palavras dela:
"São as Mulheres que nutrem o mundo,e,sendo assim,somos as mensageiras de Deus."Eu apenas trocaria por...SOMOS AS MENSAGEIRAS DA DEUSA...

Anónimo disse...

Que coincidencia (isto não exsite , ambas sabemos) eu estive pensando hoje num livro que li a muito tempo A Cabala das Feiticeiras, de Ellen Cannon Reed,
acho que te endicaria a leitura,Anna.


Gaia Lil
Abraços que a Grande Mãe te Abençoe muito

Ana Nazaré disse...

Eu acho que a conscientização das mulheres levaria a uma profunda mudança social...Não acho que seja algo contra os homens.Mas a verdade está gritando pra cada uma delas.. como são presas emocionalmente aos homens, como buscam relacionamentos que confirmem sua inferioridade, como estão perdidas entre a independencia financeira e a maternidade..nesse sentido, deve ser algo que tem a ver com os homens sim pois de certa forma é necessário que a mulher expanda seu psicológico pra desenvolver sua afetividade, que pode estar presa em ilusões, esteriótipos, falsas crenças..