sexta-feira, outubro 23, 2009

QUANTAS MÁSCARAS NÓS TEMOS?

MOLOI LORASAI disse...

Rosa, filha de Leonor, eu não sei ser cruel. a visão das coisas como elas são choca as pessoas. deve ser por isto que as pessoas se vestem, se decoram, antes eram só as mulheres, agora os homens são metrosexuais em larga escala. as pessoas usam máscaras também por isso. DNA e física quântica é um clichê muito em voga para se mascarar neste carnaval!!!

TALVEZ VOCÊ TENHA RAZÃO, MOLOI TALVEZ...

AS MÁSCARAS DO SÓRDIDO


Este mundo de insinceridade que existe dentro de nós, é uma coisa assustadora – nas nossas células, nas…oh! …

Mère

*

Sempre me vi a desconfiar e a desmistificar as boas intenções, as minhas e das pessoas que apregoam a bondade ou a espiritualidade fácil e são muito optimistas e crentes e cheias de esperança no além …que negam a sua sombra e varrem para debaixo do tapete o seu lixo, que não reconhecem os seus maus pensamentos, invejas e rancores… os seus sentimentos negativos e ódios…Elas são só positivas e estão sempre bem-intencionadas e são muito…muito caridosas. É fácil identificar à partida essas pessoas como crentes ou católicas, mas não só, nos nossos dias apocalípticos, com toda essa propaganda de crenças alternativas que por aí prolifera, todos se confundem, os de verdadeiro espírito crístico e os “cristóides”…os beatos católicos e adventistas e protestantes, como os de inspiração angélica variada e das informações canalizadas, vindas de seres superiores e em que é suposto ser-se tão bom como os anjos e avançados como os pleiadianos…

Para sentir isso é preciso ser crente, ter fé, ter a aceitação, humildade e submissão aos mestres ascenços e às suas indicações vindas do alto - outros estratos - ou de dentro, do “me disseram”, do “me foi dito”, do astral e do etéreo, de outras dimensões? Tudo a que eu não acesso, nem tenho paciência… mesmo dando por vezes o benefício da dúvida!

Sempre me vi como “a bruxa má” que está sempre a empatar as fadas boas de serviço…Porque eu penso e vejo como é fácil fugir desta realidade e mascará-la de uma nova realidade, por crença ou por ego e em que nada muda, mas simplesmente “se cai fora” do mundo e esquece o que somos e o que nos rodeia, adiando a nossa responsabilidade, a nossa autonomia, a nossa liberdade individual. É-nos sugerido que entremos em contacto com as novas energias e com os mundos invisíveis e esperar as naves que vêm do alto para nos salvar se formos bonzinhos como os católicos e os anglicanos à espera do céu e olharmos só para o lado luminoso do ser… para o anjo e não o demónio que nos habita, para o suposto amor e para uma paz que não sentimos?

Toda essa mentira que dura há milhares de anos e que persiste com novos disfarces…porque o trabalho de dentro, o verdadeiro ninguém o ousa fazer do princípio ao fim…porque consiste em olhar a sua parte negra, a sua parte mais feia, em ir bem ao fundo do nosso poço, às nossas terras profundas…mas disso temos medo e tudo acaba por se resumir a novas crenças, bem arquitectadas e a novas fórmulas, tão alienantes como as religiões o foram do verdadeiro ser e da verdade na terra.


“ É esta terra que me interessa, não os mundos no além em si, é uma realização terrestre que eu procuro e não uma fuga para os elevados cumes longínquos.”

Sri Aurobindo


Acontece isso também: a possibilidade de escapar indo para outros mundos. Muitas pessoas fazem isso: partem algures, para mundos mais ou menos subtis. Na verdade, há milhares de maneiras de fugir; e não há senão uma forma de ficar, que é verdadeiramente ter a coragem e a resistência, em aceitar todas as aparentes enfermidades, as aparências de impotência, as aparências de incompreensão, a aparência, sim, de uma negação da verdade! Mas se nós não aceitarmos isso nunca mais será mudado. Aqueles que querem ficar luminosos, fortes, poderosos, blá, blá, blá, pois bem, fiquem por lá, e assim eles não poderão fazer nada pela terra.

Mère


…É realmente engraçado como toda essa gente ficar a olhar para o lindo por do céu, cor-de-rosa e vermelho e os raios violeta…ou para o mar imenso a vibrar…. Para as palavras muito bonitas e todas certas, convincentes, e esquecer o lixo e a miséria que para aí vai …

Olhar e ver desassombradamente, o que é doloroso em nós, é o que toda a gente quer ignorar e prefere não ver, não ver o nosso lixo ou quem o mostra… Não, ninguém quer olhar para o seu lixo e todos fazemos tal e qual como com os homens do lixo…não olhamos para eles...

Lembro-me de ler o artigo que era a experiência de estudante que para fazer a sua tese em psicologia se disfarçou de varredor da rua e conheceu o completo anonimato: nem as pessoas que supostamente o conheciam, o reconheciam, colegas ou professores…e é assim com os seres humanos, eles não querem reconhecer o lixo que fazem a cada minuto e são todos cheios de bons sentimentos e muito cheirosos… gastam milhões de euros em disfarces, roupas e perfumes e marcas que dava para dar de comer a milhões de crianças com fome, e tudo para esconder o lixo exterior e interior, toda a mentira que exalam e que os rodeia.

Não, ninguém quer olhar para “as bruxas” que fazem o mesmo trabalho de limpeza a outro nível, não o de consertar romances falidos, de atar casais disfuncionais, nem fazer mezinhas para traição e ciúme, mas de jogo limpo com a sujeira que todos fazem…Precisamos de disfarçar o mal que nós cheiramos se não nos mascararmos de civilizados, cultos ou espirituais…para isso continuaremos a santificar os mais mentirosos, os mais piedosos e todos olhamos beatíficos para a luz que simulamos ver nas nossas meditações transcendentais….todos vemos as mais belas imagens e paisagens como essas que circulam na internet e que até enjoa… Mas o pior é que o cheiro do sórdido que vem de dentro da mentira e da falsidade de toda essa gente muito pura e limpa não engana ninguém…pelo menos não me engana a mim. Eles cheiram a poder, quer dizer a podre! E dizem ainda se eu não tenho pena de ser assim, azeda e negativa? Pena da mentira e da manipulação que todos fazemos uns aos outros? A fingir que somos santos e limpos, curadores…capazes de curar as feridas dos outros? Bem intencionados…ah ah ah…deles está o inferno cheio, como quem diz, esta terra…

Por isso eu prefiro ser a bruxa má a ser a fada…e cheirar a alho e a cebola, ser desdentada…e denunciar qualquer montagem da realidade - se bem que saiba, que esta realidade é quase toda ela virtual, e adivinhe que a verdade verdadeira, outro plano de consciência que não é ainda o nosso, talvez só venha a ser possível noutro corpo, noutro tempo ou noutro espaço, pelo menos será fora desta dualidade…mas não é com mentiras nem falsidades nem falsos pressupostos que mudamos a natureza humana para angélica…nem ascendemos ao 7º céu. Sim, dentro de água ficamos molhados, mas não somos peixes…

Porque eu vejo, eu sinto – e sei porque estou sempre atenta ao sórdido em mim, sempre alerta para ele não me enganar – como há tanta insinceridade…tanta mentira cultivada ao longo de anos dentro de nós, lá bem no fundo e que precisamos extirpar …tanta vaidade em sermos “bons” (ou maus...?) mantendo uma aparência falsa, para connosco e para com os outros, tanta permissividade com as nossas mentiras e enganos e com a lixeira do mundo e a maldade dos homens…tanto fingimento e disfarce por detrás desses sorrisos beatíficos…

Ah! Querem que olhe só para as coisas boas e bonitas da vida? Que olhe para a beleza da vida e esqueça este mundo fictício em que vivemos, baseado na aparência, baseado nos falsos pressupostos, na educação oficial e na informação intencionalmente redutora da verdadeira dimensão do humano, ou na outra, seja ela alternativa ou não, que funciona quase sempre como suporte dos egos espirituais e de uma falsa realidade acima de nós que nos oprime ou reduz a marionetas de um e outro, o velho ou o novo Sistema-Religião; sim tudo o que reduz o potencial inteligente, a autonomia e a integridade do ser humano e a sua essência, simplesmente para o manter preso de crenças e ao serviço dos que precisam deles fracos e inferiores, separados de deus...e fazem pontes...e os manipulam? Esta incessante montagem de novos cenários de espiritualidade tão falsa como a primeira, em que nós não mudamos nada da nossa natureza dual, não integramos os dois lados do ser, não vamos ao fundo do nosso verdadeiro ser nem consciencializamos essa essência como a entidade suprema e apenas nos queremos convencer a nós e aos outros como somos bons e estamos curados das feridas e prontos para dirigir templos e conduzir outros para um novo mundo?

Que Novo Mundo pergunto eu? Uma nova tribo?

rlp

(…)

“Então, o Novo Mundo, consiste em desenraizar o Sistema de dentro de nós. E finalmente o Sistema que tem raízes até no código genético e no fundo de cada célula, porque nós somos os filhos do pai que era o filho dos antepassados dos nossos pais que eram…toda a santa igreja e todo o seu Santo Horror. Tu compreendes a dimensão da Batalha?

*

Portanto se tu ainda queres vir para a rua de metralhadora na mão, bateres na mesa com o punho, escrever poemas e dizer “Eu-mim” (MOI-JE) tu estás completamente do lado dessas Forças cruéis – tu farás a poesia da revolta e o soberbo romance do EU-EU, de que és uma ridícula marioneta. Para essas forças a Revolta é tão boa com a submissão, o Mal é tão bom como o Bem e o Amor (digamos) tão delicioso como o Ódio. São essas as duas máscaras do Sórdido. E o “Moi-Je” (o eu-mim) é o suculento fantoche dessas forças. A porta de saída deste atroz Sistema começa quando pomos fora de nós este famoso “Eu-Mim”, porque de todas as maneiras este famoso eu-mim, é somente o “eu-mim” do avô, do bisavô e de toda a santa tribo – e é preciso sair da Tribo radicalmente.

*

La Vie Sans Mort – Saprem – Luc Venet

3 comentários:

Gaia Lil disse...

Eu tambem nunca confiei ou acreditei nos santos e nos anjos.Quando era ainda mais jovem me deixava alienar mas hoje em dia tal como você não gosto dos anjos bonzinhos com sua luz dos raios milagrosos e muito menos dos santos e anjos que dais alturas nos dão ordem ou "conselhos' do que fazer com o Espirito.Negam o sexo e a vida tal como o Pai-Patriarca faz lá nas alturas do céu.O fato é que trabalhar a energia da Deusa é estar ligada a Terra e as coisas presentes que se destroem e renovam...É encarar Kali,Lilith Hecate ou outras Deusas....E´encarar a propria escuridão e não ter medo dos demonios.Eu sempre disse que era uma feiticeira demoniaca....Eis ai a questão...É tão mais facil fugir aos mundo de luz e do amor com a boa aventurança do que olhar verdadeiramente para as mazelas do ser humano e ajudar verdadeiramente e sem hiprocrisia...É mais facil sentar e rezar com mil anjos...Do que se concentrar em ajudar as mulheres e homens dessa terra de governantes desgovernados que destroem a Terra e matam tudo em nome do Pai...O mesmo Zeus que subjlga o Feminino e subjuga o mundo...A escolha é Essa encarar a vida aqui na Terra a trabalhar para que ela melhore ou fugir para as alturas.Não sou santa e todos sabem disso.Gosto do tempo presente e não das alturas.E raramente confio em anjos e santos

Gaia Lil disse...

Ros, o povo quer esperança e não a verdade.A esperança será a destruição da humanidade

André Louro (o outro) disse...

Cara Rosa:

Sobre a vacinação, leia isto...

http://www.davidicke.com/content/view/25191

Estamos a entrar na ditadura mundial illuminati-reptiliana do cérebro central que controla todos...É assustador, mas eu estou calmo e vou seguir todos os passos.

Beijinhos,
André