quarta-feira, novembro 03, 2004

OS SENHORES DA GUERRA
VENCERAM O MUNDO DOS HUMANOS


As forças de destruição maciça há muito que reinam das trevas
Um novo Império marcha implacável para a destruição da Terra.
Em nenhum continente resta esperança...



“A ilusão de um amanhã melhor há muito murchou (...). Por todo o lado impera a força das armas e a pirataria das armas. Evaporou-se a água que refresca os destinos da humanidade, tudo é fogo.
Mulher e homem, forte e fraco, fogo e água, desfilam em círculo como as estações do ano. Morre um vem outro, nuca caminhando juntos para a harmonia da natureza. As palavras fome, guerra, greve, fuga, massacre, roubo, desgraça, fazem hoje o discurso da maioria. Os passos dos homens já não são desfiles serenos, mas marchas de protesto. As palavras poder, revolução, soam como maldição, nos ouvidos ensurdecidos pela violência das explosões em nome da democracia.



O derramamento de sangue é premeditado, planeado, com uma intenção benéfica e um projecto de nobreza.(...) Há cada dia menos escolas, menos emprego, menos chuva, mais sol, mais armas. Há mais mortos do que vivos, mas ainda não é chegado o fim do mundo, a vida triunfará para a glória do vencedor. O campeão desta guerra construirá o majestoso palácio imperial com ossadas humanas que andam às toneladas nas matas.”

In O SÉTIMO JURAMENTO
De Paulina Chiziane

Sem comentários: