segunda-feira, novembro 22, 2004



Todas as rosas são a mesma rosa,
amor!, a única rosa;
e tudo está contido nela,
breve imagem do mundo,
amor!, a única rosa.


JUAN RAMÓN JIMÉNEZ (1881-1959

Se queres ouvir
a mãe
em tua memória
arcaica
deixa as palavras verem.
Aceita o colo
vivo
a álgida solidão
e ultrapassa o poema.


ANA MARQUES GASTÃO(n. 1962)

Teremos no outro mundo
a melancólica lembrança
do que nos vai matando neste?

Poeta, certamente nos encontraremos nesse lugar.

E que sejamos apenas a humilde, a humilhada luz,
que tanto defenderemos
desse vento, dessa noite, desse peso brutal do mundo em que vivemos.
Ai!

(excerto de poemna de cecília meireles)

in POEMÁRIO DA MARIANA

Sem comentários: