"NÃO SOU FEMINISTA, SOU ANTROPOLOGICAMENTE LÚCIDA" Ana Hatherly

quarta-feira, outubro 28, 2009

NEM TODAS AS MULHERES NA ÍNDIA SÃO AMMAS


21/190/2009 – ESPANCAMENTO DE “BRUXAS” CHOCA A ÍNDIA

Da BBC Brasil


Após serem acusadas de bruxaria, cinco mulheres foram despidas, espancadas e forçadas a comer excrementos humanos por moradores de um vilarejo na Índia após serem acusadas de bruxaria.
A polícia local disse que as vítimas eram muçulmanas viúvas que foram chamadas de bruxas por um clérigo local no Estado de Jharkhand.

Correspondentes da região dizem que o abuso a mulheres acusadas de bruxaria é relativamente comum na Índia, mas a divulgação de um vídeo com o ataque, ocorrido no domingo (18) no distrito de Deoghar, provocou um escândalo em todo o país.
(...)

“No domingo (18) de manhã as vítimas foram levadas a um playground, onde centenas de pessoas haviam se concentrado para assistir ao terrível incidente”, afirmou à BBC Murarj Lal Meena, diretor-geral adjunto da polícia.

“Ninguém na multidão foi socorrer as vítimas enquanto elas eram despidas e espancadas”, afirmou.
(...)
Segundo a polícia, os moradores de Pattharghatia acreditam que certas mulheres no vilarejo são possuídas por um “espírito santo” que pode identificar as pessoas que praticam bruxaria.
“Essas mulheres recentemente identificaram cinco mulheres do vilarejo como bruxas que estariam praticando feitiços que estariam trazendo problemas para a área”, disse um policial.
As mulheres foram então retiradas à força de suas casas, arrastadas até o playground e espancadas. A imagem do incidente foi transmitida por vários canais de TV na Índia, provocando um grande escândalo no país.

Centenas de pessoas, em sua maioria mulheres, já teriam sido mortas no país por terem sido identificadas como bruxas por seus vizinhos. Especialistas dizem que crenças supersticiosas estão por trás dos ataques, mas que há ocasiões nas quais as pessoas, especialmente as viúvas, são alvos dos ataques para a apropriação de suas terras e de suas propriedades.


http://www.novojornal.com/internacional_noticia.php?codigo_noticia=6308

2 comentários:

Anónimo disse...

Estudante é atacada e maltratada por alunos da Universidade Bandeirante, em São Bernardo do Campo, porque usava minissaia
"Não foi um fato isolado, nem um exemplo qualquer de mau humor estudantil. É um caso sério e exemplo do que está acontecendo na sociedade brasileira, reflexo de uma campanha ultra-conservadora, da direita fundamentalista e machista, da ação das cúpulas religiosas patriarcalistas e misóginas. São culpados os deputados pregam a violência contra as mulheres e querem fazer um cadastro nacional das grávidas, para controlá-as, ou quando acham que estupro é algo feio, mas o aborto permitido pela legislação nesses casos, um crime hediondo. Esses parlamentares e religiosos católicos e grupos espíritas que defendem isso acabam promovendo uma cultura de intolerância, de raiva contra as mulheres. E só podem gerar esse comportamento violento que se viu em São Bernardo do Campo."

http://www.feminismo.org.br/portal/index.php?option=com_content&view=article&id=213:estudante-e-atacada-e-maltratada-por-alunos-da-universidade-bandeirante-em-sao-bernardo-do-campo-porque-usava-minissaia&catid=1:direitos

A única coisa que une o patriarcado em todas as suas vertentes e culturas é o ódio á mulher e a tentativa costumeira de destruí-las física, emocional e espiritualmnte.

Anónimo disse...

Estupro coletivo de menina de 15 anos choca americanos
http://sindromedeestocolmo.com/archives/2009/10/universidade_para_em_catarse_moralista_e_monstruosa_por_causa_de_uma_minissaia.html/#comments

É ou não, um claro sintoma de que a misoginia vem crescendo pelo mudo? Não há lugar seguro para as mulheres dentro do patriarcado. A mulher nunca pode estar em paz em lugar algum, nem consigo mesma.