sábado, fevereiro 28, 2009

MULHERES NÃO CONFIEM NOS LABORATORIOS

O ex-executivo da Pfizer diz que as práticas da indústria farmacêutica são ilegais e antiéticas

Escritor sueco Peter Rost tornou-se o pesadelo da indústria farmacêutica. Ele foi demitido do cargo de vice-presidente de Marketing da Pfizer em dezembro de 2005, depois de acusar a companhia de promover de forma ilegal o uso de genotropin, um hormônio do crescimento. A substância era vendida como um potente remédio contra rugas. A empresa teria faturado US$ 50 milhões com o produto em 2002.
(…)
ÉPOCA – Os laboratórios são acusados de ganhar dinheiro ao lançar remédios com os mesmos efeitos de outros já no mercado. O senhor concorda com essas acusações?

Rost – Sim. Eles desenvolvem drogas parecidas com as que já estão à venda. Não necessariamente são as mesmas substâncias químicas. No geral, são as que apresentam os mesmos efeitos colaterais. É por isso que existem dezenas de antiinflamatórios e de antidepressivos. É muito fácil criar um remédio quando já se conhecem os resultados e as desvantagens para o paciente. O risco de falha e de perder dinheiro é muito baixo. Os laboratórios não estão pensando no benefício do paciente. É pura concorrência.

ÉPOCA – É por isso que não se investe em tratamentos para doenças como a malária, mais comuns em países pobres?

Rost – Não há interesse em desenvolver medicamentos que possam acabar com doenças conhecidas há décadas. Os países pobres não podem pagar essa conta. O Brasil é visto pela indústria farmacêutica internacional como um mercado pequeno. Ela se baseia em dados de que apenas 10% dos brasileiros têm condições de pagar por medicamentos. Para eles, esse número não significa nada.

ÉPOCA – Segundo uma teoria, os laboratórios “criam” doenças para vender medicamentos. Isso é real?

Rost – É o caso da menopausa. Sei que as mulheres passam por problemas nesse período da vida. Mas não classifico a menopausa como doença. As mulheres usam medicamentos com estrógeno para amenizar calores e melhorar a elasticidade da pele. Os laboratórios se aproveitaram dessas reacções naturais da menopausa e as classificaram como graves. Quando as mulheres tomam os remédios, sofrem infarto como efeito colateral.

ÉPOCA – As práticas ilegais da indústria farmacêutica são piores que as de outros setores, como o de tecnologia?

Rost – Sim, porque os laboratórios lidam com vida e morte. Você não vai morrer se a televisão ou o DVD não funcionarem direito.

ÉPOCA – Não devemos levar em consideração que, hoje, graças à pesquisa dos laboratórios, foi descoberta a cura para várias doenças e há maior qualidade de vida?

Rost – Claro que sim. Os laboratórios fizeram muita coisa boa. Em troca de muito dinheiro.
http://revistaepoca.globo.com/Revista/Epoca/0,,EDG78228-8055-480,00.html
ENCONTRADO EM: http://www.monicacamacho.com/blog/blog.php?bid=248

sexta-feira, fevereiro 27, 2009

E SE FOR VERDADE?

OS PORTAIS
"Quase todos os que atravessarão a Mudança experimentarão “três dias de escuridão”.

Durante esse tempo, a Terra se moverá através do cinturão de fótons, a Mãe Terra realinhará sua energia, vocês estarão dormindo, e seus corpos serão iluminados. Sobre o despertar destes “três dias de escuridão”: muita gente estará confundida e assustada. Não saberão nada sobre a Mudança e eles, como vocês, verão devastação ao seu redor. Quando olharem para este mundo, embora saibam da Mudança, igualmente poderiam pensar: “Meu deus. Isto não pode ser verdade. Isto não pode ser a Mudança. Olhem a destruição.


O que faremos com isto?”

Não podem imaginar o que verão, escutarão ou terão que fazer.

A paisagem da Terra se parecerá com o que viram recentemente no Texas depois do furacão, quando algumas ilhas fora da costa foram completamente arrasadas e parecia que alguém tinha simplesmente apagado os edifícios.

Não se desesperem, porque, junto à devastação, verão os portais pelos quais devem passar para entrar na quarta luz.

Quando virem os portais, pensarão: “Como passarei por esta coisa?” Felizmente, os portais que se abrirão serão muito grandes, portanto vocês serão capazes de caminhar por eles sem dificuldade. Assegurem-se de não correr ou ir depressa através dos mesmos. Digam a todos que não se preocupem em ser os primeiros em passar pelos portais. Aqueles que tenham escolhido não entrar na quarta luz são programados para passar também por portais. Eles entrarão nos portais, dissiparão suas energias, e retornarão para dentro da Luz do Criador.

Quando aqueles que foram programados para adentrar à quarta luz saiam do portal pelo outro lado, verão primeiro uma neblina, e à medida que caminhem por ela, esta se desvanecerá instantaneamente e vão amar o que verão: um bosque, campos e casas. Perguntar-se-ão de onde veio tudo aquilo. Terá vindo daqueles de vocês que estiveram indo à quarta dimensão em seu estado de sono, preparando as coisas para este grande evento.

Os Trabalhadores da Luz, estarão trabalhando no lado de dentro como do de fora do portal, e, em casos especiais, estarão em ambos os locais. Os trabalhadores de dentro do portal serão professores e os membros de Conselhos. Ensinarão a aqueles que estejam desinformados da Mudança, ou farão parte de diferentes Conselhos que servirão de corpos “governantes” para a sociedade da Mudança.

Os trabalhadores de fora do portal serão os “guerreiros da luz”. Eles levarão a aqueles que estejam “perdidos”, por assim dizer, através dos portais para a nova luz. Quando digo “perdidos”, refiro-me ao fato de que muita gente não saberá da Mudança e estará assustada. Daí que os trabalhadores do lado externo do portal estarão um pouco mais enfocados neste aspecto da viagem. "

CANALIZAÇÃO DE 29 DE JANEIRO DE 2009

*
SE ESSA MUDANÇA SE DER DESTA OU DE OUTRA MANEIRA SEMEMLHANTE QUE FARÃO SE NÃO ACREDITAREM AGORA?
POR MIM PREFIRO IMAGINAR ESTA ESPANTOSA AVENTURA DO QUE ACREDITAR NESTA DESTRUIÇÃO CONTÍNUA OU NA DERROCADA DA ECONOMIA E NA TIRANIA DOS GOVERNOS QUE NOS EXPLORAM E ENGANAM...
*

Importante lembrar...


Como já mencionamos, não é fora que devem procurar a chama gêmea companheira. Devem procurar a integração da essência masculina e feminina dentro de si. Elas formam um todo. Pessoas inteiras procuram unir-se a outras pessoas intei­ras em relacionamentos baseados na confiança, desejo e esco­lha. Esses relacionamentos não se baseiam em "Eu preciso de você na minha vida para me completar e me autorizar." Vocês se tornam completos em si mesmos e operam com outras pes­soas também completas em si mesmas, criando um território totalmente novo a ser explorado.

Quando casam a chama gêmea interior, estão reconhe­cendo o intuitivo, a Deusa, portadora-de-vida, a parte sensível de si mesmos, bem corno a parte de si que é potente, racional e intelectual. Uma parte muito ligada ao plano físico e outra muito ligada ao plano espiritual. Quando fundem essas ener­gias dentro de si, torna-se imprescindível encontrar alguém com as mesmas qualidades. Isso irá acontecer sem o menor esforço, pois terão a capacidade de atrair pessoas inteiras. Vão atingir o que nunca consideraram possível nos relacionamen­tos anteriores, ligar-se a uma outra pessoa por desejo ou afini­dade, jamais por necessidade, e darão aos relacionamentos uma nova personalidade, um novo limite, uma nova defini­ção.

Vocês se tornarão seu próprio modelo neste novo tipo de relacionamento. Muita gente vai achar que a instituição do ca­samento perdeu o significado. Não comportará o que vocês conhecem, nem será adequada à maneira como querem viver. Como todos estão no caminho de integração das polari­dades dentro de cada um, temas difíceis surgirão muitas e muitas vezes. Acolham esses momentos difíceis, pois eles se­rão o vosso melhor professor. Permaneçam focados no vosso próprio crescimento, no próprio caminho, no próprio Eu e não se preocupem com o que os outros estão fazendo.

Chamem suas partes feminina e masculina, estabeleçam um diálogo entre elas para que comecem a trabalhar em cooperação e har­monia. Dêem a si mesmos muito amor e incentivo. Marquem um encontro consigo mesmos e digam: "Meu Eu, eu amo você. Você é um Eu maravilhoso. Você é o número um, o campeão, o melhor Eu do mundo!" Quando concedem a si mesmos a dignidade do vosso próprio amor, como se fossem a realeza recebendo saudações de seus súditos, tudo muda. A integridade e a força tornam-se vossa propriedade porque acreditam e amam quem são. Quan­do acreditam e amam a si mesmos, tudo começa a correr como vocês querem.

O mais difícil para quase todos é acreditar que merecem amor. Ninguém é obrigado a amá-los. Vocês não es­tão aqui para mendigar o amor de outras pessoas e, assim, se convencer de que têm valor. Estão aqui para desempenhar uma tarefa muito difícil num sistema sombrio, com pouca energia, estímulo ou infor­mação sobre a verdadeira história. Estão aqui para fazer o im­possível. Através do compromisso de amar a si mesmos, e fazendo deste compromisso o primeiro passo a partir do qual vocês operam todos os dias, tudo entra no lugar. Vocês se tor­nam inteiros, completos. Estão prontos para um relacionamen­to com outro ser completo e este relacionamento pode levá-los a planos deliciosamente inexplorados.

Bárbara Marciniak, Mensageiros do Amanhecer

quinta-feira, fevereiro 26, 2009

O CORPO INTERIOR E "O PODER DO AGORA"

"Retardando o processo de envelhecimento

Nesse meio tempo, a percepção do corpo interior traz outros benefícios no campo físico. Um deles é uma significativa redução do processo de envelhecimento do corpo físico.
Enquanto o corpo exterior, em geral, aparenta estar envelhecendo e murchando bem rapidamente, o corpo interior não muda com o tempo, exceto que podemos senti-lo mais profundamente e torná-lo mais completo. Se você tem vinte anos agora, o campo de energia do seu corpo interior vai se sentir igual ao de quando você tiver oitenta. Estará vibrantemente vivo. Assim que o nosso estado habitual passa do estar fora do corpo e preso pela mente para estar no corpo e presente no Agora, o nosso corpo físico fica mais leve, mais claro, mais vivo. Como
existe mais consciência no corpo, a ilusão da materialidade diminui.

Quando nos identificamos mais com o corpo interior do que com o corpo exterior, quando o estado de presença se torna o nosso modo normal de consciência, deixamos de acumular tempo na nossa psique e nas células do corpo. O acúmulo do tempo, tal como um fardo psicológico do passado e do futuro, prejudica a capacidade de auto-renovação das células. Portanto, se você ocupa o seu corpo interior, o exterior vai envelhecer em um ritmo mais lento. E, mesmo quando envelhecer, a sua essência eterna vai brilhar através da sua forma exterior, e você não dará a impressão de ser uma pessoa idosa."
(...)

Se você encontrar dificuldades de entrar em contato com o seu corpo interior, é mais fácil, em primeiro lugar, concentrar a atenção no movimento da respiração.

Tomar consciência da respiração, que já é uma meditação poderosa, irá, aos poucos, colocar você em contato com o corpo. Observe atentamente a respiração, como ela entra e sai do nosso corpo. Respire e sinta o abdômen inflar e contrair-se levemente, a cada inspiração e expiração. Se você tiver facilidade para visualizar, feche os olhos e veja-se no meio da luz, dentro de um mar de consciência. Então, respire dentro dessa luz. Sinta essa substância luminosa preenchendo todo o seu corpo e tornando-o luminoso. Então, aos poucos, concentre-se nessa sensação. Você agora está dentro do seu corpo.
Não se fixe em nenhuma imagem visual.

O PODER DO AGORA DE ECKHARTE TOLLE

A ESPIRITUALIDADE FEMININA


Diante de uma doença terminal uma mulher questiona-se sobre como vivenciou o seu feminino...
PERGUNTA-SE o que falhou na sua vida. Ela tem a intuição - e no livro fala nisso - se o facto de ter manifestado mais o seu lado masculino, razão, acção e voluntarismo, negando em parte o seu lado feminino, ou semelhança com as mulheres padrão da sua sociedade, terá ISSO contribuido para a sua doença...

O livro em questão, Graça e Coragem, é o relato por seu marido da evolução da doença e como tudo fizeram para impedir o desfecho da sua morte...

DIZ ELA:

"Toda a área da espiritualidade feminina se encontra em branco. Muitos dos escritos de freiras foram perdidos. De qualquer forma, as mulheres não escreveram muito sobre a busca espiritual. As mulheres tem sido afastadas de posições importantes na maioria das religiões instituídas.
A espiritualidade feminina parece diferente da masculina. Menos orientada para objectivos. Pode alterar a noção do que é iluminação. Mais vasta e abrangente; mais uma vez amorfa.
A espiritualidade feminina é difícil de ver, difícil de definir. Quais são os estádios, os passos, o treino? Será que fazer croché ou malha é tão bom como a meditação para treinar a atenção e serenar a mente?
Um contínuo, com o desenvolvimento espiritual masculino num dos extremos o feminino. O masculino já foi definido, o feminino não. Montes de variações entre os extremos. Será que existem caminhos paralelos mas diferentes/separados, à la Carol Gilligan?
(…)
As mulheres que alcançaram a iluminação – conseguiram-no seguindo vias ou modelos tradicionais masculinos? Conseguiram-nos seguindo o seu próprio caminho? Como é que o encontraram? Por que tipo de conflitos, dúvidas sobre si próprias, etc., passaram para encontrarem o seu próprio caminho?
(…)
A “Deusa é uma descida, Deus é mais uma ascenção. Ambos necessários, ambos importantes. Mas há muito pouco trabalho feito sobre a descida da Deusa. Algumas excepções: Aurobindo, tantra…
(…)
Treya
In Graça e Coragem de
KEN WILLBER

quarta-feira, fevereiro 25, 2009

O AMOR COMEÇA NO AMOR POR SI MESMO


Vocês têm medo da intimidade consigo mesmos - de estar sozinhos com o Eu. Uma vez desenvolvida essa intimi­dade, o silêncio, o amor por si, a contenção da própria energia, irão estabelecer esse mesmo aspecto de intimidade como pa­drão de intimidade com outra pessoa.
A sexualidade pode ser muito confusa nos dias de hoje, porque vocês estão elevando e estudando as suas freqüências. Quando corpos se juntam, mesmo que seja através de um abraço, há uma troca de freqüência. Quando têm uma experiência sexual, há uma liberação e hormônios dentro do corpo. Os hormônios despertam determinadas energias dentro das célu­las, que provocam uma transferência da essência de urna pes­soa para a outra.
É por isso que, quando têm urna relação sexual com alguém, nem sempre conseguem eliminar a ener­gia dessa pessoa. Mesmo não querendo estar com a pessoa, a experiência sexual permanece com vocês, porque houve uma troca eletromagnética.
Vocês vão seguindo através desta modulação de freqüência, aprendendo corno elevar a vossa freqüência para um local de informação consistente, amor por si mesmos e in­timidade consigo. Pode parecer muito confuso e até amedron­tador unir essa vulnerabilidade toda, que estão aprendendo sobre si mesmos, com outra pessoa, mas quanto mais se torna­rem conscientes, e dominarem o uso do vosso corpo, melhor irão saber onde ligá-lo, onde sentar-se e, sem dúvida, com quem unir-se sexualmente.
Se agora a expressão da vossa sexualidade incentiva e aumenta o vosso crescimento, automaticamente irão criar essa experiência para si mesmos porque estarão prontos para ela. Precisam saber que, durante o processo de evolução do Eu ocorre frequentemente um período de dormência na ativida­de sexual. Dentro da freqüência sexual a urna troca.
Assim, se existe uma união e uma troca química com uma pessoa que não está na vossa sintonia, vocês estão recebendo todo o lixo dessa pessoa, porque estão trocando energia com muita intimidade.

Às vezes vocês se afastam dessa espécie de troca. Po­dem pensar: "Que coisa, o que está acontecendo? Será que es­tou ficando velho? Será que estou ressecando? O que houve?" Nada disso. Vocês podem aprender a usar a energia que os estimula sexualmente sem dá-Ia para outras pessoas. Em vez de entrar no caos e na loucura, podem explorar essa energia através da arte da masturbação, sabendo que é perfeitamente válido e saudável fazê-lo. Ou simplesmente observar quando sentem uma excitação sexual e decidir o que fazer com ela. Podem dizer: "Bem, não vou trabalhar isso agora. Vamos ver para onde vai esta energia. Peguem a energia, deixem-na su­bir pelo corpo e usem-na em outras áreas.

Vocês vão chegar a um ponto em que devem venerar, sustentar e amar a si mesmos como se estivessem carregando um bebezinho recém nascido em seus braços, sabendo que es­tão dando o melhor de si mesmos. Muitas pessoas se disper­sam. Encontrem um local de serenidade e silêncio onde possam encontrar respostas às vossas perguntas. Não irão con­seguir encontrar respostas fazendo perguntas a todo mundo ou falando o dia inteiro no telefone. Se fizerem isso demons­tram que estão procurando fora de vocês. Quando aprendem a voltar-se para dentro de si para encontrar as respostas, o Eu falará. Normalmente não conseguem ouvir porque estão tran­cados dentro de padrões de comportamento que já sabem ser necessário mudar, mas falta-lhes coragem para enfrentar o desconhecido.
Com a maior honestidade, vocês têm medo de si mes­mos. Isso é muito comum. Têm medo de não estar completos, e vocês querem muito ser completos. Então dizem: "Estou completo. Sou soberano. Preciso de alguém. Estou atraído por alguém. Não! Não quero ver! Tenho muito medo disso! Não preciso de ninguém. Não, eu preciso sim!" Vocês vão para a frente e para trás. Aprendam a aquietar vossa mente. Apren­dam a ter o controle total da vossa energia. O que isso signifi­ca? Significa que, onde quer que vocês estejam, estão observando a si mesmos - a postura do vosso corpo, o movi­mento das mãos, estão se repetindo muitas e muitas vezes, se estão falando ou em silêncio. Aprendam a observar-se sem julgamento. Aprendam a observar-se (constatando como são) e a corrigir-se (determinando como gostariam de ser). Apren­dam a silenciar a mente.
As freqüências são transmitidas de uma pessoa para ou­tra, especialmente se houver uma ligação de amor. Uma liga­ção de amor não significa grudar-se no outro para sempre. Significa simplesmente que existe um relacionamento enquan­to o considerarem apropriado, em que há respeito mútuo, troca de energias e que estas energias podem fluir livremente num circuito aberto. Quando vocês não se amam e não estão ligados, não há troca positiva, o circuito não se abre. Isso não significa que não possam ter prazer no sexo; significa simples­mente que o circuito não está aberto.
Com a elevação da corrente elétrica, os orgasmos vão ficando cada vez mais intensos e longos; o corpo humano con­segue atingi-los e mantê-los porque o sistema nervoso é capaz de sustentar freqüências orgásticas altíssimas. O sistema ner­voso que determina como você se expressa e sente. Se você tiver um sistema nervoso pouco evoluído, sua experiência se­xual será muito limitada, pois é ele o condutor da corrente elé­trica. O orgasmo cura e realinha o corpo físico.
Com o passar do tempo, não conseguirão se aproximar nem ter relações com alguém que não esteja operando na mesma voltagem. Simplesmente não vai dar. Seria comparável a uma pessoa que usa sapato n° 41, calçar um n° 35. Não serve, não fica confortável. Vocês não combinam porque as vibrações não se misturam.

in mensageiros do amanhecer - barbara marciniake

terça-feira, fevereiro 24, 2009

MULHER: ÁGUA, FONTE, MAR...

ELEGIA DO CORPO FEMININO

“O meu coração estremece como diante da Deusa perante a sua beleza revelada no corpo nu e sagrado da mulher, quando ele eclode na sua força de vida, pujante e soberano.
A beleza do seu ser essencial, a sua alma, no perfume que dela exala, a majestade do seu porte, ou simplesmente o olhar as suas mãos, as suas pernas, inebria-me duma estranha e doce volúpia e invade todo o meu ser…
As mãos de uma mulher causam-me uma impressão tão profunda e bela quando têm essa transparência dos nervos e a longura dos dedos… é como se fosse uma nudez anunciada, uma iniciação, que irrompe na minha memória e me devastasse por dentro; a minha alma fica extasiada, perto do delírio, o meu coração bate acelerado. Apetece-me correr e esconder o rosto no seu seio, fugir para dentro de si, afundar-me no mais recôndito do seu ser, cair a seus pés em soluços…E dela renascer para a eternidade ou ganhar asas...

A beleza da mulher é o único elixir que conheço, o único vício que tive na vida, o meu ópio. Mas só me é permitido se for vivido num plano mais elevado, transcendente, SAGRADO. E este plano é ainda inconciliável com esta rude realidade. Por isso sinto que definho, e até parece que morro aos poucos na dor dessa impossibilidade, enquando a sua ausência me mata devagar...

Sem Ela é como se a minha alma vivesse no deserto…vida após vida, a caminhar em terra estéril, na noite eterna sem nunca chegar ao oásis do seu corpo cálice, água, fonte, mar…”


AVISHAI

Gosto das Mulheres Que Envelhecem


Gosto das mulheres que envelhecem,
Com a pressa das suas rugas, os cabelos
Caídos pelos ombros negros do vestido,
O olhar que se perde na tristeza dos reposteiros.
Essas mulheres sentam-se
Nos cantos das salas, olham para fora,
Para o átrio que não vejo, de onde estou,
Embora adivinhe aí a presença de outras mulheres,

Sentadas em bancos
De madeira, folheando revistas baratas.

As mulheres que envelhecem
Sentem que as olho, que admiro os seus gestos lentos,

Que amo o trabalho subterrâneo
Do tempo nos seus seios.

Por isso esperam
Que o dia corra nesta sala sem luz,
Evitam sair para a rua, e dizem baixo,
Por vezes, essa elegia que só os seus lábios
Podem cantar.


nuno judice

A DEUSA SHEELA NA GIG

CENSURA?

Foram apreendidos pela polícia portuguesa alguns livros de Arte numa feira cuja capa reproduz a imagem d' «A Origem do Mundo», de Gustave Courbet, tido como fundador do Realismo. Trata-se da sua obra mais conhecida, por expor as coxas e o sexo de uma mulher.

De facto é um quadro que expõe de forma dessacralizada, ou sem pudor, digo e é difícil usar o termo certo, ostensiva e desnecessária. É um quadro que esteve muitos anos interdito no museu do Louvre (creio que não me engano), um quadro que uma pintora que conheci em tempos reproduziu na íntegra e me pediu para colocar um poema meu sem eu ter sabido antes qual era o quadro. Fiquei a um certo nível confrontada com o facto de ver o meu poema associado à exposição da parte mais íntima e sensível da mulher assim em foco, mesmo considerando ser "a origem do mundo", porque creio que nenhum pintor pintou as coxas e o sexo do homem e o usou numa capa de Arte... ou numa exposição, creio eu. Pelo menos não sofre a mesma conotação depreciativa, nem é explorado na publicidade, a não ser para gays...
É verdade que a imagem da mulher é desvirtuada na arte e na publicidade. Aí a sua nudez é usada das formas mais grosseiras e obscenas que não abonam nada a favor da sua "emancipação", por ser uma forma gratuita e de desrespeito pela sua integridade e que a aprisiona a uma imagem de exploração sexual e serve só para atrair compradores para os mais variados produtos. Isso é feito por norma de forma abusiva e nesta linha creio que se passa o mesmo com a capa do tal livro de arte "porno qualquer coisa" que foi apreendido como pornografia.

Agora vamos ver onde acaba o preconceito e onde começa a ética e o respeito por uma parte tão especial do corpo da Mulher e da Mãe.
Está a nossa sociedade preparada como as sociedades antigas para encarar o sexo da mulher como sagrado, respeitá-lo como fonte de vida e origem do mundo?
Não, de maneira nenhuma.
O catolicismo e a Igreja diabolizaram a mulher e o seu sexo e infelizmente é nesse sentido que ele é olhado e encarado e é na pornografia e no desprezo mais vivo que o homem continua a conviver com a nudez da mulher, salvo as honrosas excepções dos homens verdadeiros, os poetas e os já preparados por iniciações e de grande sensibilidade, perto do seu feminino, libertos dos tabus católicos e dos medos atávicos que a Igreja propagou contra a mulher.

Vejamos o que representava de facto a nudez da Mulher,
que nos chega através dos tempos e evoca a Deusa SHEELA NA GIG:

"Ela é uma Deusa Anciã, Deusa da vida e da morte, da fertilidade e da sexualidade. Era retratada como uma mulher velha, esquelética, com os seios caídos, cabelos brancos, representando o aspecto da morte, ao mesmo tempo que abria sua vulva enorme, representação do portal da vida.
Os Celtas reverenciavam o poder sagrado dos órgãos genitais femininos e, esta representação da Deusa servia também como proteção.
Mais tarde a Igreja Católica e o patriarcado transformaram esta representação da Deusa em símbolo do “demônio”. Mais uma vez um exemplo do massacre ao poder sexual feminino tão bem expresso na figura de Sheela Na Gig, que mesmo com uma aparência decrepita triunfa com a sua sexualidade exposta, viva e alegre.
Sheela Na Gig ensina que o medo da velhice é o medo da vida, o medo do ciclo natural de vida e morte. Ela mostra que há poder na velhice, que há glória na velhice e principalmente, que há autenticidade na velhice."


IN http://annaleao.blogspot.com/2009/02/gosto-das-mulheres-que-envelhecem.html

COPIADO DE: http://wwwjaneladaalma.blogspot.com/2009/02/gosto-das-mulheres-que-envelhecem.html

segunda-feira, fevereiro 23, 2009

AFRODITE BRASILEIRA...

Iemanjá, a grande mãe,
o oceano que origina tudo.

De seu ventre saíram todos os Orixás, dos seus seios correm os rios que fertilizam a terra.
Como toda matriarca, é benevolente e preocupada com o bem-estar de todos, mas exerce uma autoridade mais pela astúcia que pela força. Iemanjá é a imperatriz fecunda e resoluta totalmente aberta à criatividade.

Deusa da nação Egbá, nação Iorubá, onde existe o rio Iemanjá. A umbanda por influência do sincretismo, promoveu Iemanjá como nova entidade, criação puramente brasileira. Moralizada como mãe de todos os orixás, assimilando-a com Nossa Senhora, mãe de Deus. Nela ficam condensadas as características das diversas entidades femininas.

Dona de poderes, a tranquilidade do mar ou as tempestades estão sob o seu domínio. Representam a linha de Iemanjá as Sereias (Oxum), Estrela Guia (Maria Madalena), Ondinas (Nanã Buruku), Caboclos do Mar (Indaiá), Caboclos dos Rios (Iara), Marinheiros (Tarimá) e Calungas (Calunguinha)

"Afrodite brasileira", Iemanjá é a padroeira dos amores e muito solicitada em casos de desafetos, paixões conflituosas, desejos de vinganças, tudo pode ser conseguido caso ela consinta. Iemanjá exerce fascínio nos homens, sua beleza é o esteriótipo da beleza feminina: Longos cabelos negros, feições delicadas, corpo escultural e muito vaidosa. Têm poderes sobre todos aqueles que entram em seu domínio, o mar.

Venerada e respeitada por pescadores e todos aqueles que vivem no mar, pois a vida dessas pessoas estão em suas mãos, segunda a lenda é ela quem decide o destino das pessoas que adentram seu império: enseadas, golfos e baías.

Rainha, sereia, mãe-d’água, ela é a deusa de "todas as águas" da Bahia de Todos os Santos, cultuada em Amaralina e Itapoã, no Dique e no Rio Vermelho, nos lados de Abaeté e nas pedras de Monte-Serrate, e do outro lado, na ilha de Itaparica. Cultuada também em Porto Alegre - RS, como Nossa Senhora dos Navegantes do Catolicismo (sincretismo).
*
Copiado de Carla Lampert
In:
http://www.femininoessencial.blogspot.com/

AS MULHERES NÃO SE QUEIXAM...

"A violência no namoro é um fenómeno emergente"
CÉU NEVES
Entrevista. No Dia da Vítima do Crime, Elza Pais, presidente da Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género, diz porque os namorados são os visados da campanha deste ano

Em termos de vítimas de violência doméstica quais são as principais vítimas directas?

Continuam a ser as mulheres. Existem outros grupos como os idosos e as crianças que sofrem abusos, mas as mulheres surgem em muito maior número. O maior tipo de violência é psicológica, seguida da física e da sexual. Por exemplo, 25% a 35% das pessoas com idades entre os 13 e 19 anos consideram que não há violência sexual no namoro. Ou seja, entende qualquer cedência sexual no quadro do namoro como um gesto de amor. Isto é gravíssimo do ponto de vista dos valores e da representação.

Essa é uma das razões por que lançaram uma campanha contra a violência no namoro?

Sim, foi por isso que elegemos esse tema. Dados do Conselho da Europa indicam que 12% a 15% das mulheres com mais de 16 anos passam por situações de abusos nas relações amorosas. E o estudo da Universidade do Minho indica que os jovens têm uma percepção errada da violência no namoro.
(…)
Têm muitas queixas de namorados?

Esta população ainda não se queixa. Temos recebido muitos telefonemas, mas não é em percentagem tão significativa como as da população adulta. Até porque, embora o crime de violência doméstica seja crime público desde 2000, só o passou a ser para os jovens [idosos, crianças, homossexuais, namorados] com a revisão do Código Penal, em 2007. Houve também uma alteração legislativa. Mas o objectivo da campanha não é tanto promover a apresentação de queixas, mas a de promover a construção de novas representações dos afectos. Pretendemos combater uma representação errada dos afectos.
(…) dn

SÓ UMA NOTA DE DESTAQUE:
Não adiantam nada campanhas publicitárias de consciencialização dos jovens que exercem violência sobre as namoradas, quando a grande campanha feita contra a mulher é manipulada pelas instituições e permitida pelos Estados, e actua de forma inconsciente nas pessoas, de uma forma subreptícia e subliminar... como se vê na imagem ao lado
Por isso as mulheres em Portugal não se queixam.
O Sistema falocrático das sociedades patriarcais instigam e instituem a violência contra a mulher de formas as mais variadas e subtis, nomeadamente através dos filmes e das telenovelas feitas em Portugal, e não só, que denotam quase todas o espírito predominante machista e marialva dos homens ou o mais preconceituoso da parte das religiões instituidas.
*
O MELHOR DE PORTUGAL...

E O EXEMPLO MAIS FLAGRANTE DO MACHISMO PORTUGUÊS:
*
Resolvi alongar esta nota, tão bem ilustrada com a foto do desfile de carnaval de ontem em Torres Vedras, o "Carnaval mais Português de Portugal" que fez desfilar um carro alegórico dedicado a Cristiano Ronaldo, o mais actual herói português que ganha milhões porque dá uns pontapés na bola, e estraga carros de marca: ei-lo alegoricamente sentado de pernas abertas em cima da bola do mundo, dominador, e a seus pés dentro de um insignificante pacote de cigarrros SG (à esquerda) três mulheres nuas em miniatura - o rapaz, meio atrasado mental, em vez de cigarros "fuma" mulheres?
Este é o verdadeiro espírito jovem e machista, "o melhor de Portugal", que impera igualmente entre os mais velhos, como se vê na foto ao telemóvel.

rlp

domingo, fevereiro 22, 2009

AS NOMEAÇÕES VIRTUAIS


DE vez em quando recebo uma ou outra nomeação em blogues amigos e devia corresponder com um mínimo de cortesia à amabilidade que têm ao citar Mulheres & Deusas. Acontece que por opção e por princípio resolvi não ter nem linkes nem entrar nesses prémios. Prefiro destacar textos ou citações dos mesmos em prol de um trabalho efectivo sobre a Consciência do Feminino ou simplesmente da evolução do Ser Humano.

Por esta razão peço às minhas amigas imensa desculpa por este aparente descurar da sua manifesta simpatia, e por isso peço a vossa compreensão. Sei que muitas me compreendem e me aceitam tal como sou e me manifesto aqui... Assim como sei que outras não simpatizam nada comigo por qualquer razão desconhecida. Como há pessoas que me agridem...ou eu agrido sem querer...

Sem dúvida que na nossa vida temos sempre mais ou menos afinidade com uns do que com outros, empatia pura, simpatia ou...antipatia. Daí atritos ou choques, zangas ou injúrias, por vezes, mas tudo isso faz parte da evolução das pessoas tal como faz parte do nosso mundo, dentro dos limites...que é não ferir ninguém de forma gratuita...

De qualquer modo quero agradecer em especial aquelas amigas e amigos que manifestam reconhecimento e carinho por mim. Por eles e com eles é mais fácil continuar fiel a mim sem fazer concessões a pressões ou deveres.

Não só os meus textos como os textos que traduzo ou transcrevo dos livros que leio, publicados em Mulheres & Deusas, estão à vossa disposição, como eu, de todo o coração, estou sempre disponível para qualquer questão...

rlp
PS. Imagem da Primavera foi roubada à Lealdade Feminina, a Aparecida...
Juliana: seja bem vinda ao convívio desta irmandade...

sábado, fevereiro 21, 2009

O SONHO DA BELEZA...

(...)
"Há em tudo um sentido para além da beleza: e que sinto ainda não consegui desvendar por fraqueza minha, falta de concentração. Parece que o mistério está ali, indefeso, prestes a rebentar, a dar-se, e que a culpa de sua negação é só minha.

Talvez que a beleza seja assim, transcendente. Contendo em si um sentido que não lhe pertence. Mistério que sinto para além do meu poder e que faz a dor da sua contemplação. A inatingível. Dura impossessão.

Talvez que ela seja aqui o único porto de abrigo. Mas aberto somente através dosofrimento. Porque a beleza é pungente.

E é esta a única marca da sua verdade."


in A cidade e o rio de Dalila Pereira da Costa

Uma nova dimensão da sexualidade


ABRIR NOVAS FREQUÊNCIAS

"Agora chegou o momento de uma nova revolução glo­bal, através da qual vocês vão se unir vibracionalmente a uma pessoa. Acabou a sexualidade leviana, o fingimento de sensa­ções - acreditar que se é sexualmente liberado por ficar nesta e naquela posição, dizer isso ou fazer aquilo, isto não passa de aeróbica na área da sexualidade. Nós queremos que entrem na aeróbica e nas contorções da alma - a vibração. A profundida­de de duas pessoas atingindo o orgasmo simultâneo e unindo-­se nessa capacidade é o que todos desejam. Se existe medo, é devido à falta de um modelo de comportamento. Vocês de­vem projetar um. Precisam acreditar que, de alguma forma, a energia do projeto cósmico, instantaneamente, irá provocar um novo movimento baseado no desejo de dar o passo seguinte em direção ao auto-conhecimento.
Vocês vão lembrar com grande clareza as expressões da vossa sexualidade em diferentes realidades quando foram homens e mulheres e exploraram a sexualidade em todos os aspectos.

É necessário muita coragem para fazer isso. Se existe uma área em que se julgam a si próprios, e onde o planeta também julga, é a área sexual. Vocês têm idéias muito defini­das sobre o que é próprio e impróprio sexualmente. Por isso, muitos de vocês podem ficar chocados ao se lembrarem do que fizeram com sua sexualidade.
Compreendam que, neste planeta, a sexualidade sem­pre foi o elo que ligou o corpo a vossa freqüência mais elevada. Apesar de grande parte dos dados ter sido desmontada e es­palhada dentro do corpo, o potencial de criar a vida permane­ceu intacto, para que pudessem compreender inteiramente quem são no âmago do vosso ser. A vibração sexual tem sido a ligação com a vossa identidade cósmica, mas esse conceito global tem sido completamente incompreendido e perdido. Estamos informando que existe uma história muito maior e muito mais emocionante do que qualquer um ouse imaginar.
Existem pessoas que não querem entrar em sintonia com essas freqüências, pois elas podem levá-los a áreas de libera­ção onde começam a compreender as coisas. A sexualidade foi-lhes deixada como freqüência, onde vocês seguindo pelo sistema nervoso, podiam ligar-se à mente superior e sair do corpo. Se soubessem que esse era o caminho para fora, quem poderia tê-los controlado ou manipulado?
Precisam limpar a conotação negativa e os julgamentos que tingiram a vossa experiência sexual por eons. Precisam fazer as pazes com o sexo para integrar as freqüências e a iden­tidade. Houve tanta manipulação e limites tão estreitos foram estabelecidos, que a verdade da sexualidade foi escondida de vocês. Disseram-lhes que poderiam procriar e ter orgasmos, mas não lhes contaram que poderiam abrir freqüências com ela. Podem contatá-la e usá-la como método para se lembra­rem quem são e alterar a freqüência vibratória do vosso corpo.
Nos próximos anos, a expressão da vossa sexualidade terá adquirido toda uma nova dimensão. Irão evoluir e cres­cer se tiverem um companheiro que também queira seguir pela mesma estrada e estar tão aberto. Mas se estiverem com uma pessoa que queira jogar o jogo da abstinência ou da fuga, infe­lizmente, não chegarão lá."
*
barbara marciniake - mensageiros do amanhecer

sexta-feira, fevereiro 20, 2009

EU QUERIA SER MULHER...

ASSIM COMO A CHUVA LAVA A TERRA
AS LAGRIMAS DE ÍSIS LAVAM MEU CORAÇÃO
AS VEZES, sinto dificuldade em dizer o que penso e o que sinto, as vezes tenho medo de que o que eu faço não mude nada nem ajude ninguém, mas aí eu olho para o céu luminoso e rezo a Deusa…

Mesmo agora não consigo dizer o que eu gostaria de dizer.
Será que você pode me compreender… é uma dor sem motivo, não fui magoada, nem machucada hoje, mas sinto essa dor essa insatisfação desde que nasci… como se ainda não tivesse concretizado todo o meu potencial...
Eu tenho muitos sonhos mas não sei o que fazer com eles. A cada dia sinto que estou sendo afastada de um lindo caminho que um dia alguém lá encima traçou para mim que estou indo em direção a uma vida plástica e vazia...
Sinto como ate hoje sempre senti a saudade de ser mulher
Sim eu fui mulher em minhas vidas passadas e vim homem nesta vida não sei porque…
Sinto saudade de ter um útero e sentir o processo genitor em mim,
sinto saudade de poder me maquiar
passar perfumes e sair na rua assim.
… mas dói tudo…tanto…
… sinto saudade de ser beijada como uma mulher…

(E não venham dizer que vim homem para aprender a lidar com meu lado masculino porque sei que não é essa a razão…
Na verdade lidar com o nosso lado masculino quando se é um homem com alma de mulher é ainda mais difícil pois pode parecer uma auto negação da essência…)


gaia

- Que poderia eu dizer-lhe meu querido amigo, que o compreendo? Que sei bem a sua dor e sou mulher? E que ser mulher num corpo apesar da saudade e da dor de ser o/a outro/a que não somos serve às vezes de consolo lembrar que nós somos muito mais do que um sexo…muito mais do que ser homem ou mulher, bissexual ou homossexual…
Dizer-lhe que o compreendo é pouco, mas posso dizer-lhe que a Alma é dupla e não tem sexo, e embora compreenda a sua ânsia de ser beijada como mulher… sei que podia ser mulher e querer beijar outra mulher ou ser homem e querer beijar outro homem…e não poder...
Tudo neste plano pode ser doloroso, eu sei, mas temos outros corpos que nos podem dar mais prazer e êxtases desconhecidos...tanto ou mas que nem nos atrevemos ainda a sonhar. Por isso sonhe com tudo o que ainda não conhece e não perca a esperança nem desespere de amar tanto quanto agora sonha... em ser beijada como mulher...
De qualquer modo, o que importa é o amor e O Amor não tem sexo, como diz Fernando Pessoa, o sexo no amor é um acidente…você pode ser amado como uma mulher sem sequer se travestiar, basta que se sinta com a alma da Deusa…e se deixe ir para dentro dela, infinitamente nos seus braços e no seu colo.
E como também escreveu outro poeta e esse nem sabia da Deusa dentro de si...e queria tão só ser mulher...e ter amantes louros e velhos...

*
Eu queria ser mulher pra me poder estender
Ao lado dos meus amigos, nas banquetes dos cafés.
Eu queria ser mulher para poder estender
Pó de arroz pelo meu rosto, diante de todos, nos cafés.

Eu queria ser mulher pra não ter que pensar na vida
E conhecer muitos velhos a quem pedisse dinheiro -
Eu queria ser mulher para passar o dia inteiro
A falar de modas e a fazer 'potins' - muito entretida.

Eu queria ser mulher para mexer nos meus seios
E aguçá-los ao espelho, antes de me deitar -
Eu queria ser mulher pra que me fossem bem estes enleios,
Que num homem, francamente, não se podem desculpar.

Eu queria ser mulher para ter muitos amantes
E enganá-los a todos - mesmo ao predilecto -
Como eu gostava de enganar o meu amante loiro, o mais
[esbelto,
Como um rapaz gordo e feio, de modos extravagantes...

Eu queria ser mulher para excitar quem me olhasse,
Eu queria ser mulher pra me poder recusar...

Mário Sá Carneiro

quinta-feira, fevereiro 19, 2009

ESTAR DO LADO DO SER HUMANO, DO LADO DO AMOR...

"As mulheres a quererem ascender na hierarquia da Igreja Católica são como os negros a quererem aderir ao KU KLUX KLAN"...
Assim me parece também acontecer com o desejado "casamento homossexual"...

Bem sei que não é casar pela igreja o que eles/elas ainda querem, mas mesmo assim é querer algo que os heterossexuais já não querem...e que as mulheres não deviam querer de maneira nenhuma! Embora não dê razão aos padres da igreja, nem aos machistas tradicionalistas, nem me considere conservadora, não concordo com esta ideia do "casamento" homossexual.
Os políticos e os intelectuais estão programados: só vêem o mundo exterior e o mundo material à sua frente; para eles só contam os seus sentidos... A sua razão é tudo e por isso mesmo redutora pois só conseguem ver as coisas na superficie. Ou então é preciso ser-se muito faccioso e ignorante para não ver o erro...ou cometer o mesmo erro que amarrou as mulheres ao domínio dos homens!

BASTA VER COMO E PORQUÊ NASCE O CASAMENTO...

- “Na medida em que o Pátrio Poder se desenvolve e a lei do mais forte se instala, o uso da agressão se impõe nas relações humanas gerando competitividade, poder, conquista, luta pela posse de um território, guerras. Surge a questão da herança, institui-se o casamento. E a posse sobre a mulher, sua sexualidade, prazer e direito à própria vida se concretiza. Ao dominar a função biológica reprodutora o homem passa a controlar a sexualidade feminina. O poder cultural passa a desenvolver-se em oposição ao poder biológico nato na mulher. A vulnerabilidade permeia a função de parir, a mulher se inferioriza, torna-se dependente e o homem trabalha e domina a natureza.”
(…)

OS ESQUECIDOS ANOS 60

*
- No meu tempo a minha geração queria-se revolucionária e libertadora… Era-se contra os Estados totalitários que nos tinham aprisionado nos seus esquemas opressores e fraudulentos... Era-se contra as instituições, contra o casamento, pelo amor livre e pela liberdade sexual dos homens e mulheres. Era-se contra as amarras sociais, pelas comunidades hippies, pelas flores e pela marijuana, mas era-se principalmente contra o casamento que representava uma prisão para as mulheres e uma hipocrisia para os homens.
O casamento sempre foi o suporte da família e a família o suporte do estado OPRESSOR. Esta é construída na base de um contracto assinado, que obriga os indivíduos a um compromisso com o mesmo, celebrado num ritual tradicional religioso ou não, para as pessoas poderem ter relações sexuais controladas pelo estado e pela igreja, manter o controlo sobre os filhos e os educarem legalmente dentro da moral católica. Tudo dentro das regras da sociedade capitalista socialista (ou comunista, sendo nesta a fé a produtividade) consoante for o caso da exploração da pessoa humana, como mero instrumento de produção e consumo. Era assim que era e é assim que continua a ser. A "família" obedece sempre a princípios estabelecidos de domínio e controlo em nome de um qualquer ideal que vai mudando só na superfície.
O casamento já foi apenas o projecto de famílias para acrescentar património à sua casa feudal ou unir reinos e impedir guerras; para isso, os pais, casavam ou davam as suas filhas aos que correspondiam melhor aos seus interesses. Podia ser um nome da família, um brasão, umas propriedades, como podia ser uma vaca ou um rebanho de cabras, uns bois, dependentemente das classes sociais, pelas quais se trocavam as filhas. Os mais pobres vulgarmente tratavam de arrumar as filhas assim que pudessem, se elas fossem bonitas e tivessem essa sorte, senão iam para servas ou criadas!

Hoje em dia é um pouco diferente; parece que são as mulheres que escolhem os maridos e vice-versa, pelo menos na Europa. Também há interesses de património, teres e haveres, e nomes de família se possível, mas há sobretudo os sonhos e os filmes; sonhos e filmes de amor e felicidade que passam pela ideia de segurança, conforto e até o de arrumar a vida, casando para sempre. Sim, o sonho superou os interesses, mas não durou muito. Ficaram os mesmos filmes, com as décadas de desilusões, desenganos, sexo vídeos e mentiras, advogados e divórcios, veio a derrocada, a mudança de sexos… Sim, com os filmes de Hollywood tudo foi mudando, mas no fundo no fundo tudo ia ficando na mesma, ou seja, iam-se salvando as aparências! Mas o contrato de arrendamento da mulher-sexo ou da mãe-barriga manteve-se mais ou menos intacto…
Primeiro, o casamento aparece em função da propriedade privada, depois tornou-se católico e eterno mas depois deixou de o ser; passou a ser civil, sem cerimónias e só com os papéis assinados. Mas como ele começou mesmo e do princípio, foi como toda a gente sabe, uma maneira de controlar a mulher, uma maneira de controlar os bens e garantir aos homens que os seus descendentes eram seus e os seus bens ficariam para os filhos legítimos e não para os sobrinhos, filhos da irmã etc. . Assim, impôs-se a fidelidade à mulher, enquanto o homem teria as mulheres que quisesse; amarrou-se em suma a mulher a um contracto e ai dela se o não cumprisse; podia ser espancada e submetida a tortura e até morta como o é ainda por cá tantas vezes e no Paquistão ou no Irão e por aí fora onde nada mudou desde a Idade Média…

A verdade mais simples é que o casamento não passa de uma instituição que submeteu a mulher às ordens do homem, sujeição da parte mais fraca à mais forte e que é parte assente do estatuto da mulher na família e parte integrante das leis da família patriarcal durante centenas...talvez milhares de anos…
Não vi em momento algum da história do Homem, nem em classe alguma ou em família nenhuma nada que não fosse um modo de sujeição da mulher e a ignorância da mesma (ou mesmo que ela fosse culta, a cultura é sempre a dos senhores doutores que ditam essas mesmas leis), uma situação quase sempre forçada pela sua dependência do homem tanto económica como afectiva e sexual e não vi nunca senão o abuso desse poder frontal ou subtil, e a displicência como a mulher doméstica era tratada, mais a violência doméstica camuflada, mais ou menos uma burra de carga ou, então, tinha criadas que por sua vez eram elas as abusadas de todas as maneiras e assim se trocava a canga!
Os tempos mudaram ou aceleraram e com isso as relações são cada vez mais efémeras e as trocas também; um casamento dura mais ou menos 3 anos, já dizia no meu tempo o Wilhelm Reich e agora comercializa-se o acto só para o espectáculo e ganhar umas prendas para se montar a casa, e depois logo se vê, vai-se variando, e depois vem o divórcio e tem-se sempre a "alternativa" da pornografia e as boites de alterne….
Por todas estas razões eu não entendo porque é que os homossexuais estão doidinhos para se casar. Não, juro que não entendo como é que querem casar com a raridade de casos duráveis entre si e sabendo como todos sabemos que as relações homossexuais, seja entre homens ou mulheres, são ainda menos duradoiras que a dos heterossexuais e perfeitamente descartáveis? Claro que há também aqui as tais excepções à regra…
Sim os homossexuais fazem questão de honra fazer parte do sistema patriarcal, de um sistema que os ostraciza, que desvaloriza a mulher, que foi sempre pela força e do lado do mais forte; querem fazer parte de um contracto caricato para que tenham dignidade como par...


Mudar a lei e permitir o casamento entre gays e lésbicas não vai alterar as mentalidade nem fazer com que as pessoas os respeitam e possam enfim beijar-se em público...é estúpido porque a lei não mudou nada na realidade das mulheres com as pseudo-revoluções e estas continuam a servir os interesses dos homens ou unicamente a serem violentadas em casa, como o são na rua e no trabalho!

Os homossexuais têm todo o direito de viver com quem quiserem, ninguém duvida disso, mas casar segundo os padrões reaccionários e atávicos, servir o sistema que os despreza á partida; que despreza os homens porque se assemelham a mulheres e despreza as mulheres lésbicas porque os não servem a eles… isto é dar um tiro nos pés…é voltar atrás na escala do progreeso social e da evolução da humanidade…é atrasar os processos que pediam deles uma libertação dos todos os Sistemas de controlo e a não ficarem estigmatizados como o foram as mulheres durante centenas de anos…
A questão essencial para mim não devia ser casar, nem afirmar uma sexualidade diferente, mas sim lutar para que o Ser Humano, todos os seres humanos e em todos os casos e individualmente mereçam o respeito por si mesmos, independentemente de sexo cor ou religião... o que implicaria uma mudança não só de costumes, mas essencialmente de paradigma.
A Vida tem muito mais que se lhe peça do que assinar um papel para garantir umas parcas regalias sociais. O amor é muito mais do que um sexo, muito mais do que uma aparente liberdade de andar de mãos dadas e de umas bugigangas de herança ou de finanças e Ivas…
O Amor é muito mais do que uma casinha e pucarinho e festinhas em lugares públicos, porque nunca nesta sociedade machista e falocrática se respeitará o amor entre as pessoas sejam elas o que forem se fugirem às suas regras e leis. E só quando as pessoas todas forem simplesmente humanas e todas mais elas próprias, sem olhar a sexos, esse respeito será possível. Para isso era preciso e urgente ser-se mais humano, mais conscientes de Um Amor Maior, superior, de uma Ordem Divina, nem católica nem muçulmana, mas de uma Vida Inteligente e vibrante que nos faz respirar uma oitava acima de todas estas querelas.


E só uma mudança de paradigma permitirá a todas as pessoas viverem em liberdade e em respeito, a começar pelo respeito da mulher e de si mesmo!
Por hora, SIM, esta e outras causas menores servirão apenas para nos distrair de problemas maiores e de uma vida REALMENTE mais digna e mais humana. PARA TODA A HUMANIDADE. RLP

PS:
Eu sei que ser ultra-realista tem um alto preço a pagar...

A PALAVRA DE BRUXA...


"A palavra Deus tornou-se vazia de significado ao longo de milhares de anos de utilização imprópria. Emprego-a ocasionalmente, mas com moderação. Considero imprópria a sua utilização por pessoas que jamais tiveram a menor ideia do reino do sagrado, da infinita imensidão contida nessa palavra, mas que a usam com grande convicção, como se soubessem do que estão falando. Existem ainda aqueles que questionam o termo, como se soubessem o que estão discutindo. Esse uso indevido dá origem a crenças, afirmações e delírios absurdos, tais como “o meu ou o nosso Deus é o único Deus verdadeiro, o seu Deus é falso”, ou a famosa frase de Nietzsche, “Deus está morto”.
A palavra Deus se tornou um conceito fechado. Quando a pronunciamos, criamos uma imagem mental, talvez não mais a de um velhinho de barba branca, mas ainda uma representação mental de alguém ou de algo externo a nós e, quase inevitavelmente, alguém ou alguma coisa do sexo masculino. "
IN O PODER DO AGORA de Eckharte Tolle

OLHA EU NÃO TARDA A SER QUEIMADA NA FOGUEIRA…

"No casino da Figueira da Foz, onde o Patriarca de Lisboa já tinha causado polémica, o Prefeito Emérito da Congregação para as Causas do Santos no Vaticano disse ainda que a homossexualidade "não é normal no sentido de que a Bíblia diz que quando Deus criou o ser humano, criou o homem e a mulher". in DN

...Eu sempre disse que o que a Bíblia diz não se escreve…
Isto é: o que está escrito na Bíblia é a interpretação deformada dos padres e dos papas que deram a volta completa ao texto ao longo dos séculos para seu proveito, bem terreno, e interesse seculares!
Penso que do original já manipulado por mentes torpes e concílios políticos, poucos credíveis para a humanidade, resta muito pouco desse grosso volume, e parte do que resta é a fraude com que querem fazer acreditar os analfabetos do espírito e tem pouco a ver com a realidade do ser humano de hoje e se calhar nem com o de ontem!
Todos sabemos dos textos apócrifos, da destruição dos originais e da misoginia dos seus falsos iluminados, fanáticos ou até homossexuais reprimidos, como São Paulo ou São João…que afinal era Maria Madalena….dizem...
A verdade verdadinha é que nada sabemos de verdade. São tantas as versões, as traduções e tantas as especulação, que o único facto real é que nada sabemos ao certo…nem de onde viemos e quem realmente nos fez…ou como nos fez...
SE já fomos esféricos como dizia Platão (ou Sócrates?), ou quadrados…como Santo Agostinho!
O que Deus teria dito se fosse dito por Ele ou se Deus falasse e não uns malucos que ouviam vozes...é que os seres humanos foram engendrados dentro de um espírito que nos escapa ainda a todos… ou então que o segredo está DENTRO, no nosso ADN…ou numa versão mais velha, a da Suméria, mas “mais actual”, é que fomos manipulados geneticamente pelos anunakys à sua imagem e semelhança e feitos escravos para cavar o seu ouro.
Ou ainda que esse poder inatingível à mente humana nos fez homens e mulheres à vez, hermafroditas, ou nos fez andróginos, que não é uma uma coisa nem outra …ou ainda, ora nasço como homem ora venho como mulher, de encarnação em encarnação e por vezes esqueço-me que mudei de corpo… e isso é muito complicado. Ora ainda sou bissexual ou homossexual. Ora sou neutra e não gosto de nada…
Isso era o que diziam os egípsios e muito mais coisas que eles copiaram ao contrário...
O problema é que os doutores da igreja falam para os obtusos…e esses acreditam neles e nas escrituras dos homens desvairados que odiavam e matavam as mulheres ou as entregavam aos inimigos para salvar a sua pele e isto há mais de dois ou cinco mil anos…
Tirando o Cântico dos Cânticos, a Bíblia é o livro do medo, da repressão, do deus e do diabo….o livro que nos ameaça de castigos infinitos e condena a mulher ao inferno…não há livro mais atrasado e desfasado da realidade do que este, no meu ver, mas já sabem que sou suspeita...mas sei muito bem, por experiência própria, que os homens que falam em seu nome são idênticos aos que falam literalmente do Corão e matam ou degolam as suas mulheres se elas se quiserem divorciar mesmo na América…
Os padres da Igreja são sumamente ignorantes das coisas do sexo, do amor e da vida e deviam calar-se porque deviam era ter vergonha da sua obscura história de mortes, terror, abusos sexuais e pedofilia.
Eles têm um jeito especial para crucificar pessoas, primeiro Jesus, depois Maria madalena, as mulheres nas fogueiras e agora mais uma vez, podem ser os homossexuais…
Vamos lá ver quem é que me atira aqui a primeira pedra???
Cá por mim, quantos aos fanáticos que andam por aqui, se há muitos que isto lhes sirva de purga…
rlp

RESPOSTAS PARA O FEMININO PERDIDO...

RAZÃO E INTUIÇÃO NO CAMINHO DO GUERREIRO
(...)

"A razão, assim como a fé, pode servir a uma ideologia. Ambas podem se submeter aos interesses da egolatria humana. Podem manipular ou serem manipuladas. Ela, a razão, é um atributo do tonal, da persona social, apenas estrutura e organiza o mundo ou a percepção que temos do mundo.

A intuição não, é livre, adentra direto ao salão da verdade, dispensando qualquer instituto, é como uma mulher desnuda e despudorada, mas diferente da razão que pode vir a ser prostituta e corrupta, Ela não se submete, descobre sempre um jeito de escapar de uma razão desarrazoada. Por isso pode-se dizer que ela é uma qualidade do feminino, da água que encontra por onde fluir, da mulher, da guerreira e da bruxa que acessa o conhecimento diretamente com o útero, que sonha e percebe a realidade através de seu corpo, por meio de seu útero.

Pode parecer estranho falar em percepção a partir do útero, mas é igualmente estranho dizer que o ser humano possui 21 tipos de órgãos do sentido (ver palestra do Dr. Felipe de Oliveira). É isso que a medicina nos diz, sabiam? Estranho é tudo aquilo que foge ao limitado conhecimento do mundo do eu. A mulher possui sentidos que o homem não possui, falar em sexto sentido é apenas uma forma de expressão.

Por isso a mulher teve que ser, historicamente, submetida ao homem, para que o sistema que está aí, de base (pseudo) patriarcal, machista, dominador e baseado na idéia do deus único, domini, o senhor (baal), pudesse ser instaurado, através de uma razão que desconectada da intuição submeteu-se a uma ideologia altamente manipuladora e limitadora. Uma razão, uma mente desconectada e assentada em 5 sentidos que por isso perdeu a si mesma (o que há de racional na sociedade que vivemos?).

Ideologia que defende um único deus, uma única verdade, uma única realidade, um único caminho ao qual todos devem se submeter. Ao mesmo tempo assenta-se numa teologia absurda baseada no pai, no filho e no espírito santo, uma trindade totalmente masculina, e que, portanto, é contrária a Natureza, pois não pode ser criativa. Na religião egípcia, na tradição hindu e mesmo na Cabala Judaica, que vem da Cabala Egípcia, o feminino tem um papel a cumprir altamente relevante. A tradição católica deu um corte terrível nesse sentido, amputou o sagrado feminino de si, a ponto de terem transformado Maria Madalena em prostituta quando nem o evangelho assim o faz, buscando assim diminuir o papel da mulher.

Porque será que tal tradição assumiu o lado masculino em detrimento do sagrado feminino?

Sabemos que predadores, como seres inorgânicos que são, não se interessam pela energia feminina, buscam apenas a energia masculina. Criar uma religião onde o masculino assume papel relevante é criar uma matriz mística e religiosa que permite o fornecimento e a produção do único tipo de energia que eles estão interessados: a do homem. Agregue-se a isso a instituição do celibato, regras hierárquicas, a diminuição da mulher, o ritualismo desconectado da natureza, um deus punitivo, dominador e a valorização de uma teologia absurda para termos uma instituição que alimenta o interesse dos predadores de todas as maneiras possíveis. Certas ordens esotéricas que se assentam nessa base machista, como certas ordens thelêmicas e macônicas, feitas só de homens, possuem em seu grau mais alto de segredo, o grau 11, ritos de magia sexual apolar ou homossexual, com a finalidade de adentrar em reinos de escuridão, em reinos qliphóticos e promover a associação energética de seus adeptos com tais forças sombrias, os predadores (OTO e os espermo-gnósticos).

Não é a toa que abundam na história da Igreja Católica os escândalos sexuais de homossexualismo e pedofilia, associados ao sadismo persecutório da inquisição e o masoquismo de certas regras monásticas. O mais interessante é que tais práticas são consideradas abomináveis e devem ser punidas com a morte, segundo a Bíblia (Levítico 20;13). Isso é o ápice da contradição, reflexo da própria morbidez, medo e contradição da mente do predador. Se a Bíblia fosse cumprida pela Igreja esta não mais existiria. Assim é que a "casa de deus" (arcano 16) também tornou-se o palco histórico de uma série de correntes místicas: templários, maçons, priorado de sion, bruxos, naguais, opus dei, companhia de jesus, etc, uma verdadeira casa da mãe joana (referência a história de uma mulher no trono de pedro, a papisa Joana). Ao longo da história humana nenhuma instituição religiosa rivaliza com a católica em termos de seu caráter predatório da alma e do corpo humano. Ficaram com o poder secular e se aproveitaram do poder espirtual de alguns de seus místicos. Ficaram com a letra que mata, a razão a serviço de uma ideologia escravizante, e alijaram-se do espírito que vivifica, o conhecimento direto pela intuição.

No mito do éden, os falsos deuses submetem Eva a Adão porque ela ousou provar do fruto conhecimento. Ora, algo que se come torna-se parte de nós, o conhecimento verdadeiro é tornado carne em nós, (em especial na mulher o conhecimento se faz corporalmente, via útero. Assim é na mulher que o verbo se faz carne e não no homem.) "um ser só conhece quando ele próprio é esse conhecimento", assim o fruto do conhecimento era proibido para que ficássemos apenas com um conhecimento ditado de 2ª mão pelos falsos deuses, um conhecimento imposto, teórico e manipulado, interpretado pelos sacerdotes intermediários de falsos deuses (predadores) que não podia ser acessado diretamente por nós mesmos. Assim nos foram dados mandamentos, um livro dito sagrado e palavras ditas sagradas, mas o fruto do conhecimento direto nos foi proibido, incluindo aí o "fruto" das plantas de poder, estigmatizadas ainda hoje e base da maior parte do conhecimento xamânico. O homem se tornou um escravo teórico e a mulher considerada uma insana pecadora. A razão foi dominada e a intuição quase submetida, pois a palavra do livro dito sagrado tornou-se a lei espiritual do povos. Eis a letra que mata, literalmente até. A tradição nativa sabe-o bem.

Pessoalmente nada tenho contra a Igreja, fui formado em colégio de padres e o máximo que um padre fazia era estalar as juntas do meu dedo, mas a Igreja sim possui graves problemas com relação a humanidade.

Assim podemos compreender a cisão histórico-cultural ocorrida entre razão e intuição como um meio de dominação. Só a interpretação de determinado(s) grupo(s) deveria ser colocada como a verdade, para tal o acesso ao conhecimento direto deve ser bloqueado e a razão manipulada pela fé e por um livro, a mulher precisaria ser alijada do processo mágico-religioso-espiritual e o homem assumiria como amo, senhor e sacerdote. E foi o que aconteceu. Até hoje o conhecimento mágico do feminino precisa ser resgatado. E será resgatado. Há sinais claros de uma nova percepção de base intuitiva surgindo. O que aconteceu com a neurocientista Jill Taylor não aponta para isso?

A intuição é como o fruto do conhecimento direto, que se prova por si. A razão dominada pede explicações insossas e acaba sempre faminta, morre de inanição espiritual.

A intuição também pode se tornar uma qualidade perceptiva do homem que transformou sua mente num útero, que é capaz de deixar sua mente num estado de silêncio e receptividade. A intuição é um atributo do nagual, ela é criativa.

Podemos nos servir da razão para ir além, porque para qualquer argumento montado com perfeita lógica outro oposto e rigorosamente estruturado pode ser feito. Assim a razão anula a si mesma. Assim as discussões e debates se cancelam e revelam a inutilidade do intelecto em questões que transcendem ao mesmo. Por exemplo, não se pode saber através do intelecto o que é o estado desperto ou iluminado, mas pode-se usar o intelecto como uma ferramenta para cancelar a ele mesmo, para anular o diálogo interno e nos permitir ir além. Por exemplo, numa situação onde nos observamos e nos pegamos num diálogo incessante com nós mesmos podemos nos perguntar: se eu estou sozinho com quem eu estou falando? Como posso falar comigo mesmo se estou só? Isso por si só dá uma parada na mente discursiva, a coloca em xeque a partir dela própria.

Há um caminho da Ioga, por exemplo, Jnana Ioga, onde o intelecto é usado como uma ferramenta para a transcedência da mente discursiva a partir da pergunta "quem eu sou?".

Através da fisiologia do corpo energético, pela perspectiva da Ioga, localizamos a razão e a intuição, em íntima harmonia, como qualidades associadas ao chacra frontal, simbolicamente representado por duas pétalas. Não podemos ver nessas pétalas a razão e a intuição em íntima harmonia? "

(...)

OBRIGADA A F.A.
- Excerto encontrado em PISTAS DO CAMINHO, as pistas certas....

Leia na Íntegra:
http://pistasdocaminho.blogspot.com/

quarta-feira, fevereiro 18, 2009

A negação da alma começou com a negação da mulher


"Tal como um vulcão prestes a entrar em erupção, a sociedade que assenta a ordem social na negação institucionalizada da alma começa progressivamente a sentir um violento borbulhar, até um ponto em que mais parece que a civilização irá rebentar pelas costuras"
in o Paradigm Conspiracy de Denise B. Christopher L.

ASSIM ACONTECE COM O NOSSO CORPO...

"O nosso corpo cria a nossa alma tanto como a nossa alma cria o nosso corpo"
David Spangler

Os fibromiomas, tais como outras doenças, não aparecem propriamente do nada aterrando no útero das mulheres. Quando a mulher quer mesmo inter-relacionar-se com o seu útero prestando atenção às suas mensagens, é porque acabou de dar o primeiro passo em direcção à cura em vez de apenas disfarçar ou eliminar sintomas. Depois de cada uma de nós ter tentado aprender as mensagens do seu útero, é-nos possível escolher o tratamento que resulta melhor, quer seja a cirurgia, a dieta, a acupuntura ou uma combinação de todas elas.

Muitas mulheres conseguem correlacionar os primeiros sintomas dos seus fibromiomas com o início de abusos verbais dos companheiros, stress no emprego ou outros problemas nas suas realções com o undo exterior. Um trabalho interior é muitas vezes extremamente útil para encontrar novos caminhos para lidar com estas situações dolorosas ou de limite.
(…)
A cura verdadeira, não apenas o tratamento do nosso corpo e o aliviar da nossa ansiedade mental, envolve transformação do nosso campo de energia e consciência.
(…)
Os cientistas podem discutir tudo o que quiserem relativamente ao facto do que eu sugiro ser ou não possível mas, para mim, envolver-me nesta discussão seria participar no sistema aditivo. E é infinitamente mais apelativo prosseguir com a cura.

*
Chritiane Northrup – Corpo de Mulher sabedoria de Mulher

A CIÊNCIA QUE MAIS NOS FALTA!

A ciência do alento

Habitualmente, não temos o costume de observar a nossa respiração. Em verdade, como os nossos olhos só vêem o que está à frente, não criamos o hábito de perceber o que se passa no nosso corpo. Esta percepção precisa ser desenvolvida. Observe a sua respiração da forma como ela está sendo realizada neste momento. O fluxo respiratório é muito forte. Se você quiser pará-lo, experimente trancar a respiração. É impossível. E, esta é a força vital pela qual você vive. Você quer viver como quer intensamente respirar. Quando as fossas nasais estiverem obstruídos, você limpa. E, quando estiverem fechadas? Geralmente as pessoas respiram pela boca e isso é um grande erro.

Pode-se viver respirando pela boca mas não se pode viver bem. A respiração bucal impede a formação da pressão ideal no interior dos alvéolos pulmonares para a perfeita assimilação do oxigênio; o ar inspirado nunca será tão boa quanto o inspirado pelas narinas porque não será filtrado. As fossas nasais filtram e aquecem o ar até a temperatura ideal.

É preferível respirar devagar do que rápido exceto em caso de extrema necessidade pois, o ar que entra rápido, certamente não será devidamente aquecido. A respiração lenta aquieta o bio-ritmo cardíaco e aquieta também as ondas cerebrais. Favorece a oxigenação sanguínea porque dá mais tempo aos pulmões realizar suas trocas gasosas (sangue venoso transforma-se em arterial).


O sangue venoso é um sangue carregado de detritos, resultado da "digestão" celular e que será eliminado pela expiração e renovada pela inspiração quando uma quantidade suficiente de oxigênio é transferido para o sangue. É evidente, também, que outros elementos químicos presentes no ar sejam absorvidos pelo processo maravilhoso da respiração.
(...)
LEIA NA ÍNTEGRA EM PISTAS DO CAMINHO: http://pistasdocaminho.blogspot.com/

QUE PENA RAQUEL ESTAR DO LADO ERRADO

Raquel deixou um novo comentário na sua mensagem
"ESPANHA SUSPENDEU A VACINA GARDASIL":

Não existem, à data, quaisquer razões ou evidências que justifiquem a suspensão da vacinação, reforçando-se a recomendação de administrar a vacina HPV, Gardasil®, de acordo com as orientações do Programa Nacional de Vacinação.
Quanto às duas reacções adversas graves notificadas em Espanha, já foram diagnosticadas etiologias possivelmente associadas àqueles episódios, não havendo indícios, até agora, de relação de causalidade com a administração da vacina HPV.

Fico triste por se dar ao trabalho de fazer um blog que só diz meias verdades... só diz que não protege contra todos os tipos de papiloma mas não diz que protege contra os que têm maior prevalência!! Falar mal daquilo que os outros fazem é o mais fácil que existe!! parabéns continue assim!
Já agora, essas teorias da conspiração davam para fazer um livro!


Resposta à Raquel:

Primeiro que tudo minha cara eu não me dou ao trabalho de fazer um blog para tratar deste assunto porque se o fizesse tinha publicado material extensivo que lhe daria muito que pensar se conseguir pensar por si mesma…
Desculpe mas eu vou-lhe responder no mesmo tom que me escreveu…

Há razões de sobra para temer uma "conspiração" sim. As mulheres, por uma razão ou por outra, sempre foram vítimas de conspirações mais ou menos obscuras…e se se desse ao trabalho de ler o meu livro Mulheres & Deusas - REALMENTE ESTE BLOG DEU PARA ESCREVER UM LIVRO! talvez ficasse a perceber, pela muita documentação que tem dos mais variados autores, que as mulheres sempre foram alvo preferencial de “conspirações” (perseguições e fogueiras) da parte da Igreja e dos Estados e do Governo Mundial de Saúde ou da política económica agressiva das grandes farmacêuticas…

Não houve “gripe das aves”…no entanto todas as estações televisivas tentaram instaurar o pânico para vender o produto a soldo das mesmas…e nesta mesma linha, há muitos venenos, sim venenos, que se vendem em nome da saúde principalmente da mulher , e a ideia de prevenir uma doença que começa e é quase sempre de foro psíquico e emocional da mulher – a situação de stresse agravada e contínua das suas vidas divididas - mais toda a espécies de medicamentos preventivos para não engravidar, para a depressão, para as dores de cabeça, para a menopausa etc. em que se não respeita mais os processos naturais da vida humana, inclusive o direito natural de morrer…por uma obsessão da vida e da saúde que resulta apenas da ignorância do valor da vida em si e do quão estamos afastadas da essência da nossa própria vida enquanto mulheres.
A doença não é inata…nem inerente à mulher. As causas das doenças das mulheres são o seu sofrimento excessivo e o desequilíbrio da sua natureza verdadeira reprimida e rejeitada. A doença não é para se prevenir…a doença serve de alarme para que se vá às suas causas profundas e humanas e não para remediar com químicos…Os químicos que a mulher toma ao longo da vida é o que causa as suas doenças mais graves. Os maus tratos físicos e psicológicos que a sociedade machista e falocrática inflige à mulher, em casa, na rua e no emprego, sempre diminuída e sobrecarregada, prostituída, abusada, sempre alvo de intriga e inveja da parte de outras mulheres etc. isso sim é que era para prevenir e não remediar com vacinas duvidosas, porque todas o são!
Lamento que seja tão ingénua e se for médica, tão alienada de si enquanto MULHER. Obviamente inserida no Sistema só pode servir a sua (deles) razão e interesses.
Pena que não saiba auscultar sobre a verdadeira natureza da MULHER! Se a sua intuição funcionasse talvez tivesse lido nas entrelinhas ou adivinhado que a minha verdadeira causa aqui não é dizer mal dos coitadinhos dos médicos e dos medicamentos…mas ajudar a pensar porque é que a mulher é a vítima preferencial dos sistemas patriarcais… NOMEADAMENTE DO gOVERNO mUNDIAL DE "sAÚDE"...
Leia o Livro, Corpo de Mulher Sabedoria de Mulher escrito por uma médica americana e os seus testemunhos de como funcionam os médicos com as mulheres…nada mais simples do que tirar mamas, ovários e úteros ou operá-las para as salvar e lhes dar a eterna felicidade.

rlp

terça-feira, fevereiro 17, 2009

O SALTO NO ESCURO…


O MUNDO NÃO É AQUILO QUE VEMOS


“Os seres humanos percebem o mundo mas o mundo que eles percebem é uma ilusão: uma ilusão criada pela representação que lhes é oferecida desde que nascem. No entanto, em essência, o mundo que a sua razão quer preservar é um mundo saído de uma representação com leis absolutas e invioláveis, e que a sua lógica aprende a aceitar e a defender”. Carlos Castanheda
(…)
“A maior parte do tempo, aquilo que nós observamos á nossa volta parece de tal forma distinto e separado de nós mesmos que não pensamos em reter ou saber a sua origem. Nós deixamo-nos muitas vezes tomar pela aparência dos fenómenos ou, mais precisamente pela discrição que nos damos dela. Afastarmo-nos dessa discrição para reconsiderar a natureza do mundo e a nossa relação com ela não é uma coisa fácil, porque isso implica abandonar os nossos conceitos sobre o que é real e não é, quer dizer, mergulhar num mundo que se tornou misterioso. Um verdadeiro salto no desconhecido cuja perspectiva é para muitos de tal forma assustadora que eles se agarram com toda a força da sua razão, ao sistema de crenças que é o seu e que lhe dá a sensação reconfortante, mas ilusória de conceber o mundo tal como ele realmente.”

In Le calandrier Sacré des Mayas, Bertrand Lepont

O MASCULINO E O FEMININO


“No Quinto Império haverá a reunião das duas forças separadas há muito, mas de há muito aproximando-se: o lado esquerdo da sabedoria – ou seja a ciência, o raciocínio, a especulação intelectual; e o seu lado direito – ou seja o conhecimento oculto, a intuição, a especulação mística e cabalística.”

Fernando Pessoa (copiado de Templários na formação de Portugal)

O que eu me pergunto e algo perplexa é como tantos humanistas, poetas e homens sábios, de entre eles tão poucos ou mesmo nenhum se tenha lembrado da correspondência dos sexos quanto a esses dois lados do ser e em como o homem, à partida, representa apenas um lado, o lado racional e a mulher o intuitivo e emocional.
Não esquecendo, como diz Dion Fortune: “A individualidade é bilateral, positiva e negativa; tem uma fase dinâmica e outra estática, e é, portanto, masculina e feminina, ou feminina e masculina de acordo coma relação existente entre “força” e “forma” em sua estrutura. A personalidade, porém, é unilateral e tem um sexo definido."
(…)
E diz ainda: “que a masculinidade e a feminilidade são sempre relativos nos planos internos, e tal como o vigor físico dos indivíduos que formam um par oscila num sentido ou noutro, o mesmo se pode dar com a sexualidade; assim, um homem pode ser puramente masculino em suas relações com uma mulher e puramente feminino, ou negativo, em suas relações com outra. A forma determina o sexo do indivíduo no mundo físico, porém a força relativa é a que determina nos planos internos; e este facto serve de chave para muita coisa”.
Independentemente desta visão esotérica da ambivalência sexual do ser humano, só a um nível da estrutura do par, eu não entendo como é que eles não compreenderam ou ainda não enxergaram, que o facto da mulher se manter ignorada e ignorante do seu papel na sua dimensão ontológica, na manifestação dos princípios, não pode expressar nem dar corpo à sua parte integrante se os homens continuam a desrespeitá-la e a depreciá-la como o fizeram os doutores da igreja, os filósofos e até os poetas que não elegem a Deusa e a musa como fonte de inspiração. E que não há verdadeira Mística sem a Mulher e a Rainha tal como é dito e apresentado na obra alquímica, como não há espiritualidade sem a mulher integrada!
Eu pergunto-me como é que tantos autores de renome e de valor subestimaram ou nem se lembraram que a mulher ao ser minimizada e a sua natureza dividida mantendo-se cativa dos preconceitos religiosos seculares que se reflectem nos nossos dias em sentimentos bastante vastos e empedernidos de misoginia, do qual nem sei se Fernando Pessoa também não padecia…
Quase todos os escritores, historiadores, antropólogos, psicanalistas e cientistas em geral padeceram deste mal ao ponto dos antropólogos julgarem que as deusas de Willendorf, encontradas nas suas escavações e outras estatuetas de deusas, encontradas ás centenas, representantes do princípio feminino e maternal, símbolos de fecundação e do sagrado tal como era vivido e encarada a Deusa Mãe na antiguidade, serem para eles meros objectos eróticos à imagem do que hoje se fará com as mulheres na pornografia e na publicidade. Aí se percebe a mente tacanha do Homem em relação à mulher e se não fossem as antropólogas feministas dos meados do século XX tudo continuaria na mesma! Também algumas psicanalistas abordaram aquestão, como Marie-Louize Von Fraz np seu livro Alquimia que diz:

“ A experiencia da anima para o homem e do animus para a mulher está de facto, inteiramente fora de uma experiência real com um parceiro humano. A extensão em que o parceiro humano desempenha um papel – apenas como uma imagem longínqua ou como uma conexão genuína – varia de caso para caso, mas essa experiência é a suprema experiência, que culmina na experiência de Si – mesmo.
(…)
A Igreja não encorajou esse género de literatura mística e religiosa, que, portanto, afectou profundamente a literatura semi-religiosa dos romances medievais, sobretudo a poesia do ciclo do Santo Graal e as suas lendas.”

- Precisamente por causa desta sua atitude a igreja provocou o afastamento da mulher, que por isso mesmo, com o passar do tempo, deixou de ser a musa inspiradora dos poetas e a Dama para os cavaleiros. Não só a mulher foi privada da sua essência como também toda a humanidade se perdeu da sua matriz. Nessa medida temos o homem isolado, rejeitando o seu próprio feminino.
E eu pergunto estupefacta, como é que ainda hoje os homens não vêem que essa separação da mulher e a sua cisão em duas no ocidente (sexualidade por um lado e maternidade por outro) priva a mulher da sua totalidade e idoneidade como pessoa e que ao privá-la da sua sexualidade sagrada e capacidade mediúnica, a mulher tornou-se um ser amorfo e subalterno, obediente ao homem sem discernimento próprio e sem capacidade sequer para ser mãe nem amante.

Perante tantos autores consagrados reparo que nenhum dos autores e as suas mais prementes questões de ordem metafísica se debruçam sobre o que deveria ser o papel da mulher na vida do homem e da história - partindo do princípio de que a mulher é apenas o que eles quiseram que fosse e está muito bem assim na sua ocultação religiosa, ignorada e silenciosa - e consequentemente deveriam elevar a mulher à sua condição integral e dar-lhe o seu lugar no mundo para que efectivamente ela seja o contributo da parte de inteligência emocional e vibratória que falta ao homem e à Humanidade.
Sim, eu pergunto como é que os homens, salvo raras excepções, nunca lhes tenha passado pela cabeça que sem a Mulher autêntica, a Mulher Integral, a Mulher Iniciada, a sacerdotisa dos templos da antiguidade, a que os padres cristãos destronaram para lhes ocupar os lugares e vestir as vestes, não podem chegar a nenhum lado?
Com excepção penso dos tântricos e dos yoguis hindus não sei se mais alguma cosmogonia presta o devido culto e respeito à Deusa e à Mulher na sua função primordial. A Shakti…a Dakini, as Golpis…
Sim, tirando o Egipto, a Índia, o Tantra Yoga e o Gnosticismo raras são as visões da espiritualidade e da Realização do Ser que considerem a Mulher e a Deusa como essencial.
Será que não é tempo dos homens e mulheres se aperceberem deste clamoroso erro histórico, filosófico e religioso e começarem a atribuir ao Feminino por excelência o seu papel e ver que esta é a peça que lhes falta?

rlp